Domingo, 20 de Janeiro de 2008

ditadura




---< O CASAMENTO >---

debaixo da ditadura de Sextrip


 



 

- boa tarde... olhe, eu quero saber o que é preciso para casar.

 

- boa tarde... com certeza... diga-me a sua idade por favor.

 

- 19 anos.

 

- casamento... hetero ou homossexual ?

 

- (meio surpresa) hummm... hetero !...

 

- com certeza... a senhora estuda ?

 

- sim, sim... estou a tirar licenciatura em química lacto-ovóide-caprina, 2º ano...

 

- ah, excelente escolha... com boas saídas futuras - então... temos o seguinte:

 

nº 1 - a senhora tem de acabar primeiro o seu curso :  como compreenderá, ser-lhe-á mais fácil fazê-lo enquanto solteira, pelas mais diversas razões, mas também (e muito importante) está a investir em algo que lhe permitirá a sua auto-suficiência profissional no futuro, seja em que condições forem.

acredite que é um "compasso de espera" que valerá a pena sob qualquer perspectiva.

ora isto... (cantarolando)... 5 anos de curso... portanto aponta para os seus 22 anos... certo ?

 

- ... (ela fazendo que "sim" com a cabeça...)

 

- ora, passamos ao nº 2 - nesse entretanto...

 

- o senhor acha que 3 anos são um... "entretanto" ?!?

 

- oh sim, minha cara senhora !!!... digo-lhe mesmo... 3 anos não são coisa nenhuma !...

continuando...

neste entretanto, dizia-lhe, a senhora deve, além do tempo dedicado ao estudo, conhecer o maior número de pessoas possíveis, viajar o mais que...

 

- eu não quero conhecer o maior número de pessoas possíveis... eu só quero o meu namorado, quero saber se ele é o meu "Mr. Right Guy"...

 

- minha querida senhora... não digo o contrário, nem me atreveria.

mas em boa verdade... só saberá se ele é "candidato a Mr. Right Guy" se conhecer bastante gente para saber exactamente os "right" que lhe interessam a si, no "guy".

ele deverá fazer o mesmo, compreende ?  ele também andará à procura da "Miss Right Girl", não será assim ?

e não me refiro a apenas conhecer outros homens, nem sequer a relações românticas nem sexuais.

simplesmente... conhecer o maior número de pessoas possíveis, de ambos os sexos, com vidas diferentes... seja conhecendo os problemas dessas pessoas, seja divertindo-se com elas... passando bons momentos, etc...

 

- mas eu gosto é de estar com ele !!?... eu amo-o !...

 

- mas perfeitamente !!!... não invalida... vão conhecendo as pessoas juntos... mas, com os eventuais momentos a sós que vos apeteçam, por exemplo... olhe que é algo excelente de ensaiar desde cedo.

mas dizia... viajar, ter experiências diferentes, etc.

 

- “experiências diferentes” ?!?!?  que quer você dizer com isso ?!?  (desconfiada)

 

- lol lol lol… minha querida senhora… descontraia… quero dizer simplesmente isso, sob qualquer aspecto que a senhora queira imaginar.

alguma vez fez Rapel  ou Slide ??? não !? pois experimente… tem tempo livre, excelente forma física… vá em frente… sozinha ou com o seu namorado... sinta a adrenalina a correr nas veias...

sempre quis fazer aquele cursinho de Ikebana ??? pois faça-o… sempre pensou em passar uma noite num deserto africano ??? pois vá !... contemple alternativas, faça daquelas coisas que são “uma vez na vida”, está a ver ?...

ou mesmo… conforme me pareceu que foi o que julgou que eu estava a sugerir, se gostasse de experimentar algo lésbico ??? pois experimente-o !... porque não ?!?...

 

- … (um pouco constrangida)

 

- são apenas exemplos, apenas exemplos… não fique assim, lol lol…

continuemos…  nº 3... terá de nos preencher o formulário nº 8B para podermos aferir da preparação que recebeu dos seus pais com vista a um futuro casamento.

 

- os meus pais ?!?... mas que têm eles a haver com isto ?!?

 

- ah minha querida senhora... muito mesmo !  têm muito "a haver" acredite !

estão comprovadas as mais diversas relações entre os casamentos dos pais com os casamentos dos filhos... e nós precisamos de perceber em que "pé" estão os conhecimentos que lhe foram transmitidos, entende ?

 

- então... e se os meus pais não me passaram os "conhecimentos" que os senhores achem os melhores ???  vão presos, não ?!?

 

- lol lol lol... de maneira nenhuma !... não interferimos nisso, não dessa forma... mas poderemos dar algumas dicas aos seus pais, para que a ajudem nesta sua decisão… se eles assim o pretenderem.

com certeza que eles quererão que você vá bem preparada para um casamento, pois será o seu ideal de felicidade que estará em jogo, correcto ?

sabe... é que por vezes há pais que muito pressionam os filhos para que casem... tanto às raparigas quantos aos rapazes... quando no entanto, pouco ou nada lhes transmitiram.

nós simplesmente, precavemos isso !

aquilo que os seus pais não conseguiram transmitir-lhe, tentaremos nós fazê-lo.

é um género de cursilho... nada de muito complicado... tem até mais a haver com gestão económica, gestão de recursos, cuidados a ter com ingerências externas, etc... nada de muito complicado, não se preocupe.

há até quem, mesmo bem preparados pelos pais, requerem o cursilho na mesma.

sempre são mais uns pontos de vista, compreende ?

 

- estou é a ver que isto de casar afinal é mais complicado do que eu esperava.

 

- lol lol lol… não tanto quanto a vida… nem tanto quanto o amor, minha querida senhora…

ora vamos ao nº 4

nº 4… o estágio.

 

- o quem ?!?!? o quê ?!

 

- o estágio minha querida senhora.

para poder casar, terá de viver com o seu namorado (ou namorados, como entender) durante, no mínimo, um ano… doze meses, 365 dias, lol…

no mínimo, conforme disse.

 

- ora essa !!?...

 

- sim, sim… tenho de lhe dizer que é condição prioritária… e bastante no vosso interesse, acredite.

ficou comprovado que, antigamente, a grande maioria dos conflitos e incompatibilidades surgiam ao fim de apenas 6 meses de casamento… que as pessoas fingiam não se aperceberem deles ou de se importarem com eles porque… já estavam casados, “já não havia nada a fazer”, talvez fosse assim que “deveria” ser, patati-patatá… está a ver ?

por vezes… as coisas mais irrisórias, mas que… originavam autênticas “bolas de neve” silenciosas e corrosivas.

nós simplesmente concluímos inequivocamente que, essas situações se desenvolviam porque as pessoas se sentiam obrigadas a um “contrato”, que se sujeitavam a elas por complexo social… perante pais, amigos, a sociedade em geral incluindo o estado.

a condição de viver “maritalmente”, num grau à vossa escolha (são perfeitamente livres nisso) não veio erradicar tal, mas… garanto-lhe, minorou imenso esse tipo de situações.

 

- não sei se concordo com isso !... (contrafeita)

 

- lol lol lol… minha querida senhora… conforme lhe disse… viver “maritalmente”, num grau à vossa escolha.

significa isso que… poderá declará-lo ao estado e cumpri-lo no mínimo grau a seu gosto ou imaginável – nós temos noção disso.

contudo, também conforme lhe disse, estamos convictos que esta condição é do vosso completo interesse.

bom… adiante…

ora, com todas estas andanças a senhora já deverá então estar pelos 25 anos, eventualmente com emprego, já terá a sua ideia (sua… vossa portanto) de como quererá experimentar o casamento.

estará na altura de marcar as “entrevistas”.

 

- mau !!!!... entrevistas ?!?... para quê ?!

 

- bom… é o nº5… e último, devo dizer.

o casamento, para nós, para o estado portanto, serve para além de oficializar o vosso envolvimento e relação… que bastante nos apraz, pois desejamos cidadãos felizes naquilo que decidirem fazer obviamente… serve também para estabelecer uma carta de direitos e deveres de e para com o estado.

certo ?... sempre assim o foi portanto… não tão declaradamente mas, foi !

logo… desejamos entrevistar-vos… perceber das vossas expectativas… noção do estado do país, perspectivas de futuro, noções de fidelidade mútua ou não, desejos de prole tanto de maternidade quanto de paternidade, etc… coisas muito gerais.

 

- pois a mim parece-me assim a modos que cusquice… a meterem-se na vida das pessoas.

 

- lol lol lol… de maneira nenhuma… são até entrevistas bastante informais e… que não serão obrigados a fazerem… podem optar por um inquérito por escrito que se resumirá às declarações necessárias por lei.

mas acredite… os nossos assistentes sociais são de uma experiência incrível, muito amigáveis e pacíficos, que vos podem dar sugestões insuspeitas e de extrema utilidade.

na verdade… estas entrevistas foram criadas precisamente porque no passado se concluiu que o estado se demitia por completo das pessoas num momento de grande tensão social como é um casamento ou era extremamente “frio” e distante no momento dessa decisão… mas cobrando na mesma, depois, os deveres aos cidadãos.

ora… se na verdade os cidadãos não estavam capacitados para essa tarefa… acabava toda a gente a perder, aumentavam as injustiças, os incumprimentos de parte a parte, enfim… a barafunda que se via.

e tanto assim é que… raramente os noivos se escusam a essas entrevistas.

 

- hummm… estou para ver !...

 

- sim… “estará para ver” até aos seus 25 anos… o que não é muito tempo, mas… também lhe permitirá formar uma ideia até… a nosso respeito.

 

- então e depois ?!?

 

- depois… depois o quê exactamente ?

 

- depois !… o que os senhores “depois” pretendem ?

 

- depois pretendemos que façam a vossa vida !... já não nos dirá respeito a forma como a projectam ou conduzem, não acha ?  nós só pretendemos que as pessoas façam este, para nós, contrato de vida com o máximo de consciência… nada mais !

 

- hummm… vou ter de pensar.

 

- com certeza… esteja à sua vontade.

 

- e se… (pensativa)… e se eu resolvesse casar depois dos 25 anos… como era ? já seria uma pessoa "capaz" para casar ?! sem precisar de passar por estas coisas ?!...

 

- bom… critique-se este estado, ou não, por aquilo que ele entende… sim, já pode !

compreendo até o seu desagrado por esta medida.

nós sabemos que há pessoas que aos 20 anos têm tanta maturidade quanto outras de 30 mas… pretendemos garantir uma melhor qualidade de vida a quem não tem esse perfil e que necessita de alguns anos para tomar peso à vida, independente de certa influência familiar por exemplo, ou de pressões ditas sócio-culturais, etc… garantir por exemplo que as pessoas tenham o seu desejo de tirarem um curso também garantido e livre de pressões de qualquer género, etc.

olhe que há pessoas com 30 anos e mais que seguem este programa por sua própria iniciativa até…

 

- hummmm… acho isto tudo “muito bonito” !!!...

 

- lol lol… compreendo-a perfeitamente.

 

- … (?)… bem, okay, como disse, vou pensar… boa tarde e obrigado.

 

- disponha sempre… boa tarde.


 


o que há de mais utópico nisto...

... é que eu detesto ditaduras !


 


 



publicado por sextrip às 12:37
link do post | comenta a Trip | adicionar aos escolhidos
|
54 comentários:
De MissMe a 20 de Janeiro de 2008 às 14:00
Tens jeito, sim senhor!
Se toda a gente seguisse a lógica a esse ponto, acho que ninguém chegava a casar!
(Nem aos 65, quanto mais aos 25!)
Eu acho é que o "estágio" deveria ser mais prolongado... 8 anos, digamos.
Assim ultrapassavam-se as famosas crises dos "3" e dos "7".
Em apenas 1 ano há quem ainda vá conseguindo fazer umas "cerimónias". Lol.

E, além de bons conselhos, sempre há outra solução para quem quer casar aos 19, sem ter visto o resto do mundo:... um par de estalos!
Lol..........Just Kidding.........



De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 12:06
« Se toda a gente seguisse a lógica a esse ponto, acho que ninguém chegava a casar! »

não é "forçoso"... existem diferentes perspectivas do casamento e há pessoas para quem ele é algo indispensável - coisa que, apesar de eu não o valorizar, tenho de respeitar.
creio é que o casamento deve ser devidamente ponderado, analisado, quase escalpelizado, antes de se dar o passo... principalmente com muita auto-análise !

mas há casamentos bem sucedidos e que fazem as pessoas felizes... portanto...


« Eu acho é que o "estágio" deveria ser mais prolongado... 8 anos, digamos. »

não há muito tempo li num artigo que... as primeiras duvidas (ou questões) num casamento surgem ao fim de um período de 6 a 8 meses.
serão coisas simples, sem duvida, mas deveriam ter sido despistadas ainda antes do casamento.
não o são porque a maioria das pessoas vai para um casamento com "visões idílicas" ou sentimentos de "obrigação social", completamente ceguinhos e incapazes de colocar essas questões.

o estágio, lol, seria "no mínimo" de um ano.
quem entendesse estender esse período, melhor seria.
um colega meu, que casou há uns 3 anos, viveu "junto" durante 6.


« [...] para quem quer casar aos 19, sem ter visto o resto do mundo:... um par de estalos! »

lol... "just kidding"... okay !
efectivamente, os estalos nunca resolveram nada de forma muito satisfatória.
não excluindo as hipóteses de ideias imaturas que possam existir (obviamente) acontece também que certas áreas de juventude são grandemente pressionadas a "casarem"... numa perspectiva de "arrumarem a vida", de assentarem e tal.
essa pressão existe !
pode ser subtil, insinuando-se gradualmente... como pode ser bem ríspida e declarada.

não esquecendo que... o casamento como uma "segurança social", um "futuro", continua a ser uma demagogia muito bem montada e muito premente junto do género feminino.
muito bem mascarado de "derradeira prova de amor", diga-se !


De MissMe a 21 de Janeiro de 2008 às 14:01
Eu acho que, cada vez menos, existe pressão social ou familiar para que as mulheres casem.
A "segurança" perdeu grande parte do seu sentido quando as mulheres deixaram de ser "procriadoras caseiras" e ganharam o lugar de trabalhadoras e independentes, não esquecendo o facto de que aumenta cada vez mais a taxa de divórcios....

A maior parte das mulheres já percebeu que o casamento lhes dá mais responsabilidades e desvantagens que a fase anterior... e, cada vez mais, vemos as mulheres a não quererem "nem ouvir falar nisso!"

Penso que há jovens que continuam a querer casar cedo apenas para fugirem ao "controle" dos pais e poderem passar fins de semana com o parceiro sem recriminação social ou familiar, o que é, por motivos obvios, um péssimo principio.

Na minha opinião, os pais "ideais" deveriam incentivar os filhos a conhecerem o mundo, a conhecerem pessoas, a crescerem, no fundo, para que as suas escolhas de algo, supostamente definitivo, tenha hipoteses de, realmente, o poder vir a ser.

Para mim a maior vantagem de "juntar os trapinhos" numa idade mais tardia tem a ver com a liberdade.
Não só a do sentimento (sempre falso) de "gozei a vida antes", mas, principalmente, porque uma das "chaves" para que uma relação seja bem sucedida é ter maturidade suficiente para saber respeitar aquele ponto frágil onde termina a liberdade de um e começa a do outro.
Por isso mesmo, também considero que um casamento além do "querer mais que tudo no mundo" ou "amar mais que tudo no mundo" tem que ter a componente racional do "respeitar o espaço do outro mais que tudo no mundo" e estar de plena consciência, conhecimento e acordo com as espectativas que o outro terá do pós-namoro e vice-versa.

Também não acho grande mal em casar, juntar, ou o que for, 50 vezes ao longo da vida. Acho mal, sim, é se houverem crianças envolvidas e o prejuizo que, para elas, disso possa advir.

Sei que esta "ditadura é tua...lol...mas eu faria assim:
Deixem-os casar à vontade aos 19... não os deixem é ter filhos antes dos 30!
Lol.
Seria a ditadura do "controle de natalidade", não do "casamento".

Beijos.


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 09:07
olá, bom dia...

poderão acusar-me de culpar muita vez a "sociedade", que estou a sacudir culpas ou a desgravar o "indivíduo", etc...

poderá parecer assim, mas... não estou !
na minha opinião, a derradeira responsabilidade cabe sempre ao indivíduo pois é ele que decide e (ele, sim) será sempre "suspeito" em atirar culpas para além de si próprio.

eu, estou de fora, sou "3ª pessoa" por assim dizer, tenho noção de que "a sociedade" somos todos nós, as instituições, a moral vigente, etc... e considero que também não podemos, simplesmente, omitir culpas que também "temos".
portanto... por "sociedade", entendo todos nós que, por vezes (muitas vezes ?) apontamos culpas ao indivíduo e esquecemos a nossa parte.
em última análise... critico-me a mim próprio.

os "filhos" são a 2ª vaga de exigências ao casal.
exige-se que se casem para provarem que se amam.
exigem-se filhos para provarem que casaram bem e que se amam mais do que nunca.

como "ideal" até temos de considerar isto bonito, mas... nunca foi "linear" e o problema continuará sempre a ser esse.
só que, como bem frisas, casamento é um contrato moral e social... pater/maternidade é o mais profundo que há no ser humano !
(devia ser...)

aí... nem brincando me arrisco a imaginar uma ditadura.
simplesmente... acredito que a "ditadura sextripiana" (lol), também nisso, iria ajudar bastante na decisão mais humana das pessoas.


De MissMe a 22 de Janeiro de 2008 às 11:19
Bom dia!

"Quem aos 20 não (faz a) barba,
aos 30 não casa
e aos 40 não tem:... (bens materiais)
Tarde ou nunca será alguém!

É um provérbio antigo, mas, possivelmente, ainda influenciará, mesmo que inconscientemente, a sociedade actual.
Ter barba para "fazer", bens e casamento são os 3 "sinais exteriores" e mais importantes de sucesso pessoal.

Ao contrário do passado, actualmente só casa quem quer, com quem quer e quando bem entender...
teóricamente.
A sociedade não obriga o individuo, mas influencia-o grandemente ao longo da sua 1ª fase da vida.

No ensino básico:
-Então, quantas namoradas já tens?
No secundário:
-Então, já namoras?
Ao fim de 2 anos de namoro assumido:
-Então, quando é que vamos comer bolo?
(Casam finalmente), 15 dias depois:
-Então e bebés?
(Nasce o 1º filho), 6 meses depois:
-Então, e o manino é pra quando?
. ... Acho que só depois disso acaba a pressão...
Apesar de tudo, atribuo a "culpa" de casamentos precipitados ou imaturos SEMPRE ao próprio individuo, porque se não se está de acordo com essa influência, há que contraria-la.
É essa contrariedade, que , ao tornar-se colectiva, faz a evolução social.
Foi esse "contrariar" do pré-estabelecido que fez com que, actualmente, já cada um de nós possa escolher com quem quer casar, ao contrário do que acontecia no passado.

Vou rectificar a versão da minha ditadura...
É que, como aliás a pseudo democracia em que elegremente vivemos, também tem falhas a corrigir:...
O "controle de natalidade" deixa de ser até aos 30...
passa a ser até completarem 5 anos de casamento.
("Acidentes" punidos com agravamento nos impostos, que os cofres agradecem).

Beijos.




De MissMe a 23 de Janeiro de 2008 às 11:51
Se me permites (e mesmo que não o faças...), gostaria de comentar outra frase tua:

"não deverá, por exemplo, o respeito entre companheiros ser equacionado antes de se casarem ?"

Ora aqui está!
O RESPEITO é um dos valores que mais exige maturidade; é dos mais importantes e é o mais negligenciado, ignorado e DESRESPEITADO de todos eles!
Muitas pessoas acham que respeitar o(a) companheiro(a) é apenas não o trair sexualmente.
Pode ser também, (pelo menos enquanto não nos apercebermos que, como na maior parte dos animais, a fidelidade humana é contra-natura, fácilmente incumprida e esses valores reavaliados...).

Respeitar é tanta coisa! É por exemplo:
Respeitar as ideias do outro, ainda que opostas.
Não só permitir que o outro faça o curso que bem entende, mas incentiva-lo a isso mesmo.
(No caso da outra moça com quem falaste, mais dia menos dia ela iria sentir que tinha desistido do sonho dela por causa dele e iria ser o fim da felicidade, para ambos.)
É saber "viver para" alguém respeitando o espaço desse alguém.
É saber respeitar o momento em que o outro precisa de ficar sozinho e sair; saber quando precisa de falar e ficar a ouvir.
É valorizar o outro, para o poder também ser, e vice-versa.
...

Beijos.


De Afrika a 20 de Janeiro de 2008 às 14:54
Hummm... pois eu ia dizer algo muito parecido com o que foi escrito anteriormente...LOL Neste caso vou-me ficar pela introspectiva! Sera por aquilo que foi escrito na primeira parte do teu texto que ainda não foi preenchido o lugar do "Mr Right"?!... (pensativa)


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 12:12
não sou crítico de quem procure o "homem certo", ou vice-versa.
apenas gostaria que as pessoas fossem realistas nessa demanda e não esquecessem, nunca, que por sua vez terão de corresponder a expectativas de "mulher certa", ou vice-versa.
talvez percebessem melhor certos aspectos utópicos da coisa, talvez se tornassem um pouco mais humildes, talvez tivessem mais sucesso...
é um coisa simples, mas tanta vez esquecida !


De Someone Else a 20 de Janeiro de 2008 às 16:36


nem sei o que dizer... lol.

acho que se calhar vou mudar de curso, esse de química lacto-ovóide-caprina parece mais aliciante e mais promissório a nível profissional lolol

mais uma vez, obrigada pela perspectiva "ditactorial sextripiana"
irei tê-la em conta,sem dúvida! :)

beijo grande


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 12:18
« mais uma vez, obrigada pela perspectiva "ditactorial sextripiana"
irei tê-la em conta,sem dúvida! :) »

eu gostaria que sim.
para todos os efeitos foste tu quem despoletou a escrita do artigo, ainda que já tenha dado esta minha opinião a outras pessoas.
talvez um dia fale aqui de uns "desaguisados" que os pais de uma moça com 20 anos tiveram comigo por causa disso, lol lol...

muitos beijos


De Someone Else a 21 de Janeiro de 2008 às 20:05
fico à espera... agora fiquei curiosa... que é que fizeste à pobre moça? lol

beijo


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 08:35
olá... bom dia...

o que fiz à moça ?!?!?... lol lol...
nada de mais...
calhou que tivemos uma conversa algo semelhante a isto que aqui estamos a debater... e como a moça (talvez por isso e por outras razões) acabou por adiar determinados planos para casar... e também (pareceu-me) porque não houvesse outro 'bode espiatório' mais à mão... os paizinhos acharam por bem (tentar) chatearem-me a cabeça.

como... passados uns meses... o namorado acabou com ela, "caiu o Carmo e a Trindade" e fiquei irremediavelmente rotulado como "o gajo que virou a cabeça à miúda", lol lol lol...
claro que... o "noivo" ser um autêntico camelo, que acabou o namoro com ela por ter ciúmes até da turma da universidade (que era quase tudo gajos) não contou para nada - o "bode" tinha de ser eu.

não há "crise"... estou habituado a ser "bode" !...


De Someone Else a 22 de Janeiro de 2008 às 08:57


bom dia lindo

pois, a rapariga acabou por não casar por tua causa... o facto do namorado ter acabado com ela foi só um à parte... lolol.

beijinhos bodezinho


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 09:21
eheheh...

pois, exactamente !!! ando a desviar rapariguinhas... sou um sátiro do caraças.

pelos vistos... o facto do rapazinho estar a acabar o curso de medicina e ser filho de "famílias ricas" era preponderante.
o que, obviamente, justificava plenamente a velha "teoria" de "mulher minha não trabalha" numa cabeça de 23 anos e as exigências cada vez mais prementes para que a namorada abandonasse o curso que estava a tirar.
(o tal curso... que tinha muitos gajos na turma, eheheh)
aspecto em que... ele tinha a "compreensão" dos pais da mocinha, diga-se...

como tenho horror a ideias poeirentas e com teias de aranha, assim como compreendo o ensejo profundo que pode ser alguém querer tirar um curso, apenas dei a minha opinião sincera à mocinha... nada mais !

os paizinhos cortaram relações comigo até hoje, já vão uns quatro anos.
sou o diabo em forma de gente !...

beijos


De Someone Else a 22 de Janeiro de 2008 às 09:35
diz antes que és o anjo!
coitada da rapariga se tivesse mesmo casado e tivesse de se submeter a essas "teorias".

acho que fizeste bem em alertá-la para certos factos.

Viva o sextrip desmancha-casamentos!!!!

beijo


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 10:06
parece-me que... para alguns... sou mais morcego do que anjo !!! mas pronto... é a primeira vez que me chamam anjo e gostei...



De Someone Else a 22 de Janeiro de 2008 às 12:00
para mim és um bodezinho angelical



De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 10:28
não a aconselhei a "não casar" atenção !!!...
na altura, nem a aconselhei a que acabasse primeiro o curso !...
aliás, não a "aconselhei" propriamente a coisa nenhuma.
simplesmente disse-lhe (entre outras coisas, é verdade) a não desistir do curso.
porque ela adorava o que estava a estudar, era boa estudante e era feliz por isso, mas... com tanta pressão, de tantos lados, já começava a questionar isso, sugeria-se até que estaria na disposição de o interromper.

e fui, muito clara e explicitamente, contra isso !

nunca disse à mocinha que achava o namorado um merdas... lol lol lol.


De Someone Else a 22 de Janeiro de 2008 às 12:05
lolol.

foste o salvador da rapariga, 'tá visto...

beijo


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 19:02
você chamam-me todas essas coisas boas e depois os anónimos ficam com dores de barriga, diarreia e sei lá o quê mais...



(chama mais, chama...)


De Someone Else a 22 de Janeiro de 2008 às 21:05
ora bem...

és...

um anjo
um bodezinho
um desmancha casamentos
querido
fofo
tarado (pelas mamas da senhora do café, lololol... e não só)
etc
etc


para os anónimos:

IMODIUM RAPID - 2 cápsulas depois da primeira evacuaçao, mas não mais de 4 cápsulas em 24 horas!



De Miss Bradshaw a 20 de Janeiro de 2008 às 20:10
olha que realmente....

ia-se poupar tanto dinheirinho em divorcios!

***


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 12:26
« ia-se poupar tanto dinheirinho em divorcios! »

eu acho que muita gente deveria questionar ( o estado também), não apenas o dinheiro que se gasta neles (que é muito mesmo), como principalmente o que ele faz a uma sociedade em termos de desgaste e de atrofio.
infelizmente a única "solução" que a grande maioria só sabe defender é que : "casou, AGUENTA-SE ; não se divorcia".
o que é um cretinice completa !


De Maaf a 21 de Janeiro de 2008 às 14:35
"casou, AGUENTA-SE ; não se divorcia".
Acreditas mesmo que ainda há muita gente que pensa assim???


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 15:14
não se trata de "acreditar", mas sim de saber, de conhecer... quem o defenda e mesmo quem o faça.
infelizmente !


De Maaf a 21 de Janeiro de 2008 às 15:21
Na minha opinião ninguém anda para aturar ninguém, e quando as coisas vão para o torto, toca a divorciar...


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 17:10
é outro aspecto bem real... ainda que tenha mais a haver com divórcios, sem duvida que terá muita vez origem em más preparações para uma vida a dois.
a meu ver, há demasiada desconfiança entre os géneros hoje em dia... por exemplo, as pessoas alinham em casamentos já prevendo que "muito eventualmente se irão divorciar um dia".
há quem chame a isso "realismo", eu chamo-lhe outras coisas e todas elas, na minha óptica (já que existem) não deviam levar ninguém a querer casar, primeiro do que tudo.

não sou futurologista mas, acredito que o "casamento" continuará em decrescendo e "em crise" até que um dia sejam "repensadas" muitas das noções morais que teimam em ser impostas.


De Maaf a 21 de Janeiro de 2008 às 17:52
Concordo plenamente!


De Miss Bradshaw a 22 de Janeiro de 2008 às 16:18
mas o melhor melhor,

é uma pessoa nao kerer estar casada com outra mas como o juiz nao procalama o divorcio,ele nao sai! =D

"se uma das partes nao quer,a outra nao pode força-la a perder regalias"

bonito n axas?;)


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 19:07
é uma lei com milhentas formas de ser abordada e interpretada... é verdade !
não imagino o que possa haver de "bonito" na lei do divórcio...


De bombocaa a 20 de Janeiro de 2008 às 20:27
Ena...e eu n sabia que era essa quimica toda xpto que tinha saida...xiça...e ainda bem que n quero casar...eheheheh


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 12:40
ENA PÁ... UMA MULHER QUE NÃO QUER CASAR !!! dá-me o teu número de telemóvel ???...

lol, estou a brincar (em parte).

na minha opinião... uma das verdadeiras evoluções na chamada "condição feminina", o número crescente de mulheres que não fazem do casamento o seu objectivo primordial na vida.
não que tenha deixado de ser um objectivo, mas deixou de ser primordial.

as mulheres continuam a ser extremamente pressionadas para "desejarem casar", muito mais do que os homens... e uma mulher "solteirona" continua a ser mais vista como um "bicho esquisito" do que um homem nas mesmas condições.
depois, quando essa "pressão", que é externa na maioria das vezes, passa a integrar as "convicções" pessoais da pessoa torna-se, no mínimo, uma chatice !
mulheres que pelo facto de um homem lhes dar atenção em 2 ou 3 encontros já o consideram candidato a um qualquer casamento continuam a abundar.


De Miss Bradshaw a 22 de Janeiro de 2008 às 16:19
eu tambem nao kero!!

Jesus tenho um exemplo tao perto do que é um divorcio...


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 19:08
« eu tambem nao kero!! »

número de telemóvel, s.f.f. ...


De bombocaa a 22 de Janeiro de 2008 às 19:17
Ora aponta aí...96.....88 lololol...ai a pressão familiar....aiaiai...e a famosa cantilena...quem aos 20 n tem, aos 30 ....uiiii, os meus jantares de familia sao smp smp smp centrados em mim...eheheheh


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 19:39
« uiiii, os meus jantares de familia sao smp smp smp centrados em mim... »

welcome to the club...


De bombocaa a 22 de Janeiro de 2008 às 20:40
Ah pois é...eu tb me revi no que escreveste há uns bons dias atrás....ui se me revi...e o sicrano tal...ai tão bom rapaz....doutor...e o fulano...ai tao bonito...simples, oh bombocaa....simples que achas? burro....kerem vcs dizer...é o que costumo responder....ahahahah


De Crestfallen a 21 de Janeiro de 2008 às 02:20
Eu acho que impediria muita cabeça oca, quer quer casar "porque sim" de fazer merda :)


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 12:52
creio (infelizmente) que sim.

mas reitero que o casamento entre pessoas muito jovens é contraproducente, o que em grande parte é uma "exigência social" estúpida.

a "sociedade" defende que o casamento "traz" amadurecimento ao casal - eu acho que o casamento (a dar-se) deve ser resultado, opção, do amadurecimento do casal !

e NÃO... o chamado "namoro" não é suficiente para esse amadurecimento - não nos moldes em que se pretende que ele se processe !

a "sociedade" fica-se pela contagem de casamentos, como se isso fosse uma imagem de sucesso de si própria.
está-se a borrifar na verdadeira e real cumplicidade das pessoas nesse aspecto, apenas as pressiona ao acto... e depois queixa-se da outra contagem ?! da dos divórcios ?!
lol... que sociedade tão imatura, que se devora a si própria !


De Maaf a 21 de Janeiro de 2008 às 09:28
Devias afixar este post à porta de todos os notários e igrejas...
Agora, com licença, vou chorar!


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 12:57
« Devias afixar este post à porta de todos os notários e igrejas... »

só se o conseguisse fazer de uma forma que ninguém pudesse apagar ou remover !
e teria de o fazer debaixo de anonimato... ou ainda alguém se lembrava de reactivar o velho costume do linchamento.

º

não te dou licença nenhuma para isso.
mando-te um beijo e... e...


De Maaf a 21 de Janeiro de 2008 às 14:33
Era importantissimo que todos os jovens casais fizessem algo dentro desse genero...
O/a Mr/s. Right Guy/Girl, deveriam ser mesmo "o ultimo recurso" para que não restem duvidas ou surjam arrependimentos...

Beijos...


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 10:01
"mister right guy", cara metade, alma gémea, metade da laranjinha e etc... são, para mim, meras figuras de "ideal".
se há aspecto da vida em que mais se aplica aquilo de que já por aqui se falou, da auto-ilusão, é este de certeza absoluta !
continuamos a "idealizar alguém", aplicamos essa nossa "idealização" a alguém porque ela tem 15 pontos comuns ao que "idealizámos" e partimos do pressuposto que os restantes 85 também irão bater certo.
será "natural" isto ???
é concerteza !... é perfeitamente natural.
mas será certo, infalível ?
não é !!!... e estamos "fartinhos" de saber que não o é.
o pior, no entanto, é que aparentemente não aprendemos, pelo menos, a perceber a nossa responsabilidade nisto.
a não esperarmos por mais "pontos em comum", a não aceitarmos os "pontos não comuns", muita vez a não percebermos a vantagem até de haverem esses "pontos não comuns".

porque aquilo que as pessoas deveriam desejar, na minha opinião, seria outro alguém não só cúmplice, que partilhe, que coadjuve... mas também que desafie, que complete numas coisas e seja completado noutras...
"ideais" quase sempre são imaginadas como coisas já feitas, acabadas, limadas, prontas a usar ou a servir e não há maior "ingenuidade" que essa.

educar alguém, por exemplo, é visto hoje em dia como uma "anedota" ou como algo de que "não se tem a obrigação".
é muito triste isso !
as "brincadeirinhas" que se dizem e que se fazem acerca disso, entristecem-me, porque as pessoas fazem isso sem perceberem que estão a amesquinhar um "crescimento" que lhes é indispensável, que é natural na vida... que partilhar uma vida (não interessa se se é casado ou não) é isso mesmo... crescer junto !
as pessoas querem maridos/esposas já feitos e perfeitos, como um qualquer objecto com mais ou menos "funções".
isso não existe !!!
e o pior... convencidos de que são "completos", que por tal têm o direito de exigir isso ao outro e não aceitando, por sua vez, que o outro tente ensinar algo (caso o tente).

deveríamos retirar prazer em aprender e ensinar... e não, achar isso "descabido", estúpido ou de qualquer outra forma "defeituoso".

mas okay...
parece-me que isto é "poesia" hoje em dia e... com a superficialidade e a irrelevância a que é votada a poesia nos tempos que correm, não é de admirar !



De Maaf a 22 de Janeiro de 2008 às 10:13
Perfeito! É isso mesmo! Tens toda a razão!!!
Tu percebes mesmo a raça humana!


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 10:34
não sei se é "isso tudo".
mas é o que penso e o que sinto.
ou simplesmente, uma opinião... se preferires.

bom dia, beijo, até logo...


De in_certezas a 21 de Janeiro de 2008 às 15:08
(« [...] para quem quer casar aos 19, sem ter visto o resto do mundo:... um par de estalos! »)

(infelizmente a única "solução" que a grande maioria só sabe defender é que : "casou, AGUENTA-SE ; não se divorcia".
o que é um cretinice completa !)

Estes dois pedaços retirados dos comentario diz tudo..


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 08:37
não diria "tudo", mas... que são duas grandes componentes do problema, creio que sim.

bom dia...


De antiego a 21 de Janeiro de 2008 às 17:07
Fosca-se, grande tirano, já não há direito a cometer uma loucura.


De sextrip a 21 de Janeiro de 2008 às 17:15
escusas de refilar !!!... já te disse que só te deixo casar quando fizeres 30 anos e acabou-se a conversa...

(toma lá mais uns atoalhados para o teu enxoval...)



loucuras... só das sãs !...


De antiego a 21 de Janeiro de 2008 às 17:41
O Problema não está em as pessoas se casarem, o problema está em as pessoas não saberem se divorciar.


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 08:46
é apenas uma diferente perspectiva da questão AntiEgo.
eu começaria logo por pôr de parte uma grande fatia (estou convencido disso) daqueles que... se não souberam "casar", como podemos esperar que se saibam "divorciar" ?!...

acredito sinceramente que pessoas que casaram bem, mas que a vida levou outro rumo, impossível de prever por exemplo (que acontece) divorciam-se, no mínimo, civilizadamente.
não existem divórcios "fáceis" (só em casamentos de "treta" à hollywood) mas... tendo havido respeito e carinho durante um casamento (ou pelo menos, na sua maior parte), haverá um divórcio pacífico.


De antiego a 22 de Janeiro de 2008 às 11:22
Tu casas apaixonado, vives bons momentos, vives outros maus, acabaste por divorciar. O Divórcio é pacifico, civilizado e até amigável. Qual é o problema? Problema era se fosses forçado a continuar casado.

O grande problema não está no facto de as pessoas estarem casadas. Está no que acontece. Casados ou não, ninguém gosta de ser rejeitado(a), traído(a) ou desrespeitado(a). Não é preciso estar casado para essas coisas acontecerem e as pessoas odiarem-se. O que acontece é que o casamnto (e proventura filhos) pode servir como mais uma arma para a guerra.


De sextrip a 22 de Janeiro de 2008 às 19:35
« Tu casas apaixonado, vives bons momentos, vives outros maus, acabaste por divorciar. O Divórcio é pacifico, civilizado e até amigável. Qual é o problema? »

nenhum !...
quem disse que havia "problema" nisso ?!

« O grande problema não está no facto de as pessoas estarem casadas. Está no que acontece. »

o que acontece não reside, tanta vez, no "grande problema" que levantei ?... estarem as pessoas mal preparadas para casarem ?
não deverá, por exemplo, o respeito entre companheiros ser equacionado antes de se casarem ?

« Casados ou não, ninguém gosta de ser rejeitado(a), traído(a) ou desrespeitado(a). Não é preciso estar casado para essas coisas acontecerem e as pessoas odiarem-se. »

claro que sim !... também não foi dito o contrário.
o artigo é sobre "casar muito novo", logo, o "casamento" surge como condicionante ou contexto.
obviamente que ninguém gosta de ser rejeitado, traído, desrespeitado seja em que situação for... contudo, também é verdade que, para muita gente, o facto de estarem "casados" contribui para extrapolar esses desgostos.
não é verdade que a maioria das pessoas ainda acha essas questões mais inadmissíveis num contexto de casamento, porque há um "contrato firmado" ???

« que acontece é que o casamento (e porventura filhos) pode servir como mais uma arma para a guerra. »

ora aí tens então !... nem mais...


De Infiel a 25 de Janeiro de 2008 às 20:48

o ditador falou, os amigos comentaram, a calma reina!
não venho deitar lenha na fogueira, porque já fez um lindo fogo, quente e agradavel

venho saber porque eu regresso se tu não estás....

p.s 96....... só mais uma para a estatistica anti-casamento, contracto firmado!



Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.a vingança dos ursinhos...

.piaçaba

badge

.tags

. todas as tags

.ESCOLHIDOS

. Alguma vez amaste uma mul...

. Trintonas e boas!

. Destinatário Ausente (Ree...

. O perfil masculino ideal ...

. Deixem as crianças em paz...

. raríssimas

.links

.já tiveram uma trip

contador de visitas
contador de visitas

.em trip neste momento

online

.olha as horas !!!

relojes web gratis

.petição contra encerramento do Hospital Dona Estefânia

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds