Segunda-feira, 24 de Março de 2008

após a páscoa... estou de volta



páscoa 1

 

mais uma páscoa, mais uma reunião de família.

a Infiel não comprou o vestido a tempo… paciência… fica para a próxima.

desta vez, depois de escalpelizados os recentes acontecimentos com a minha mãe, deu-lhes para a má-língua política e socratista, ou seja… felizmente que os caixotes revestidos a azulejo assinados pelo nosso primeiro desviaram as atenções do meu celibato.

(fico a “dever-lhe” esta…)

a priminha de 27 aninhos, quase 28, está… um tesão.

ainda bem que pouco me liga, senão… credo… ainda lhe fazia a folha.

adiante…

foi uma reunião boa… houveram algumas vidas que melhoraram um pouco no entretanto, de dezembro para cá, o que me deixou bastante feliz.

a velha matriarca é que continua irascível e intragável… aquilo é incurável.

 

 

páscoa 2

 

parto-me a rir com os anúncios da tmn… da trata de triplicar o saldo, dos coelhinhos, etc.

aquele rei mago é impagável !

notei que, para além dos catraios, só eu e mais cinco é que achámos um piadão àquela tralha toda.

está portanto definida a “facção” dentro do “clã”… que o tipo de humor também é uma forma de se perceberem cumplicidades.

 

e lá está… “por onde saem os ovos ?!”, pois !...

okay… sou um tonto, pronto.

 

 

páscoa 3

 

ainda não percebi grande coisa daquela polémica com a aluna, a professora e o telemóvel… ou, calhando, pouco terá para “perceber”.

(era outro dos assuntos em “debate”…)

 

o meu mais velho diz-me : - oh Tito, na minha turma há miúdas sempre  ao telemóvel durante a aula…a mandar smésses…

- e achas isso correcto ? – pergunto-lhe.

- eu não… mas elas são “agarradas”…

- e as professoras ? que fazem ?...

- às vezes tiram-lhes os telemóveis e só lhos dão no fim das aulas ou no fim do dia.

- e tu ?... nunca mandas uns… smésses ?

- achas ?!?!?... nas aulas ponho em silêncio ou desligo quando tenho pouca carga.

- mas nunca houve nenhuma cena assim na tua escola ?

- nã… na minha turma não… mas falam lá na escola que vai sair uma lei que proíbe levarmos telemóveis, mp3, pens e outros equipamentos electrónicos.

- mas isso já é proibido, não é ?...

- sim, nas aulas… mas agora dizem que é na escola toda.

não lhe comento mais nada.


bom… vou ter de perguntar ao DT, o que se passa exactamente.

podem dizer o que quiserem acerca de “pais super-protectores” e afins que, a mim, isso não me interessa para nada !

há milhares e milhares de miúdos para quem o telemóvel é, em grande parte, uma forma de contacto com a família, que para além da vertente lúdica faz parte de uma segurança que a tecnologia tornou possível.

já chateia esta alarvidade de quando não se consegue resolver o problema de base, vai de proibir… esquecendo que se continuam a castigar milhares de justos pelo pecador.

se assim for… vai haver merda !

mas "sacudi" a coisa da mente... estávamos em família...

 

 

páscoa 4

 

vou a entrar numa pastelaria de Santarém com os meus sobrinhos e um amigo do do meio, quando… dou de caras com uma ex-colega minha de um antigo emprego.

surpresa… há quantos anos… o mundo é pequeno… etc e tal…

julgou que eu ainda era casado e que os quatro eram meus filhos.

expliquei-lhe que não e… ficou visivelmente radiante !

(as mulheres, muita vez, não são assim tão indecifráveis quanto se diz…)

- hummm, pois… também estou divorciada… divorciada e boa rapariga… (risos)

pois pois…”rapariga”, obviamente… “boa”, absolutamente !!!

(eh pá, putos… tomem lá 40 euros e bazem…) foi só um pensamento...


a conversa foi curta… eu estava de entrada com o infantário, ela de saída com um grupo geriátrico… mas, trocámos números de telemóvel e promessas de um encontro em Lisboa.

foi bom saber que ela é mais uma das que acham que os homens são como o vinho do Porto… é sempre uma informação relevante !

afinal sempre existem “ovos da Páscoa” !

( mnhammm… que coelhinha tão apetitosa que ela está !!!)

 

 

páscoa 5

 

- Ah… mas então o que a sua mãezinha teve foi uma broncopenomia’ !

 

ainda estive para dizer que há uma coisa chamada broncopneumonia (ou pneumonia lobular se preferirem), mas… tenho esta mania lixada de não dar à dica com pessoas que ostensivamente se acham mais cultas que as demais.

e não… não foi só uma “simples” broncopneumonia.

 

 

páscoa 6

 

e acerca da minha dedicação/preocupação pela minha mãe nestes dias… dizia a “mulher-moderna-espertalhona-sofisticada” :

- ai os homens, os homens… tenham a idade que tiverem estão sempre dependentes da mãezinhas…

(…?...)

eu ia perguntar-lhe se ela já tinha experimentado a ser sodomizada… pois é um autêntico bálsamo para aquele estado opinativo idiota, mas… a minha ovelhinha negra pôs-me a mão no braço, o que tem sempre um efeito calmante em mim.


estas coisinhas, muito engraçadinhas, muito “femininas”, são porreirinhas em reuniões de amiguinhas no salão de chá ou até no bloguezinho…

mas frente a um maduro, mais vivido que ela (de certeza), que teve a mãe em risco de vida num hospital dias antes… é algo completamente desaconselhável !

não sei se se pretende que seja sinal de uma qualquer “coragem”… mas de estupidez, é-o de certeza !

 

 

páscoa 7

 

no "cantinho dos petiscos", estava abrigado…

a luz difusa do sol, que se começava pôr por detrás das nuvens, vinha até mim por entre as árvores de fruto… o ar estava parado e tépido.

estava sozinho, recostado na cadeira junto à mesa de ripas de madeira, meio preguiçoso, meio apreciando aquele fim de tarde vagamente primaveril, bebendo o meu conhaque…

um pardal pousou nas costas da cadeira em frente.

entreolhamo-nos…

ele muito irrequieto, eu muito quieto…

olá”, disse-lhe.

meneou a cabecita, saltou para cima da mesa.

entre nós… três minúsculas migalhas de folar… percebi-lhe o irresistível da coisa.

dois ou três pulinhos para a frente, sempre comigo sob mira… bicou uma migalha… dois ou três pulinhos para trás… comeu-a.

repetido o processo mais duas vezes e tornou a recuar para as costas da cadeira.

parecia estar a mirar-me com atenção.

sorri.

- está bom o folar… não está ?

tornou a menear a cabecita daquela forma que torna os pardais tão “reguilas” para mim.

depois voou para uma nespereira mesmo defronte.

também gosto… de umas nêsperas sumarentas depois de umas fatias de folar.

 

 

páscoa 8

 

não sei aonde perdi a minha religiosidade… nem exactamente porquê…

sei que teve algo a haver com a morte do meu pai mas, muito sinceramente, não tenho consciência de “o quê” exactamente, nem recordo nenhum episódio específico para o “corte de relações”.

sei que fui umas 5 ou 6 vezes à missa, mas… disse à minha mãe que não mais queria ir e ela nunca me obrigou a tal.

isto para ???...

para dizer que, mais uma vez, a data é mero pretexto para estar com a família, deliciar-me com o borrego da minha tia e para mamar amêndoas… nada mais.

(e deverei acrescentar: para reencontrar ex-colegas de antigos empregos, se possível ?)

 

ainda assim…

íamos na rua (eu, os meus irmãos e cunhadas) e surge-nos uma daquelas velhotas que nos “conhecem desde miúdos” mas de quem não nos lembramos em absoluto e pergunta-nos se o compasso ia lá a casa (a casa da nossa tia portanto)…

os meus irmãos ficaram tipo, “o quem ?!?”… e antes que respondessem que não haviam arquitectos lá em casa ou coisa do género, lá respondi à velhota que “achava que não, que a minha tia não havia preparado nada”.

a velhota, depois de uma expressão que aparentava tristeza, lá mandou beijinhos e aquelas coisas todas… e foi à vida dela.

depois… eu, que nada ligo à igreja, lá tive que lhes explicar o que é o compasso… tradição de que não me lembro sequer que fosse seguida por aqueles lados.

limpar bem a casa, pintá-la ou caiá-la se possível, esperar pela vinda do padre para a benzer… beija-se a cruz e dá-se comida e bebida, claro.

(há muito tempo que não ouvia falar nisto…)

 

 

páscoa 9

 

e já chega de conversas em família, de cusquices de aldeia, de filmes bíblicos na tv e de comes-e-bebes a toda hora.

amanhã, domingo de páscoa… desculpem lá qualquer coisinha mas… depois de uma coisa que quero fazer de manhã com a minha mãe, volto para Lisboa, vou almoçar com o TT e depois… há-de ser “má vida” e da “muito pouco católica” até às tantas.

há que fazer render o tempo para tudo…






sinto-me: em paz...
música: Il Trovatore - (Giuseppe Verdi) trechos

publicado por sextrip às 11:12
link do post | comenta a Trip | adicionar aos escolhidos
|
36 comentários:
De Genny a 24 de Março de 2008 às 14:11
Bem...não podes dizer que o convivio familiar não foi proveitoso, hein?! Pelo menos à vista e ao estômago...
As melhoras para a tua mãe e uma boa semana para ti.


De sextrip a 24 de Março de 2008 às 20:27
foi...
no fundo... gosto destas reuniões GRANDES de família (sou algo "conservador" nisso).
mas também... é daquelas coisas que, a partir de determinada altura fica em "equilíbrio instável"... não sei se me entendes...

para a vista foi... uma delícia !!! ahahah
para o estômago... eh pá, tive de "cortar"... aquela gente está seeeempre a comer... e depois é com cada iguaria caseira que... é uma tentação terrível !

garto Genny... beijos


De MissMe a 24 de Março de 2008 às 14:53
1
Não acredito!
Como é que foi possível falarem mais do Sócrates que de ti?!
Que assunto tão... nhoc!
2
Como eu estive em Marte, por estes dias, nem conheço as publicidades do momento.
3
Mais um assunto em que os pais são grandes responsáveis pela educação (ou, normalmente, falta dela). Estes temas dariam para uma loooonga conversa.
4
Esta parte pareceu-me que, em termos de importância, não deveria estar a meio da tabela...;)
5
Uma tia minha dizia que quando um casal não se entendia, o melhor era mesmo o 'dibóde'... hehe.
Há palavras dificeis!
6
Resultou, ainda que pela estupidez, mas conseguiu o objectivo: chamou a tua atenção!
(As mulheres são terriveis!)
7
Peço desculpa, mas esta foi mesmo a minha parte preferida... nem tanto pelos acontecimentos, mas pelo calor do momento. Uma sensação de calor num final de dia frio... fez-me sorrir.
8
Eu acho que nunca cheguei a perder a minha religiosidade, porque o trabalho que a minha mãe teve, desde sempre para ma incutir, afinal revelou-se um esforço vão... e não se pode perder algo que nunca se chegou a ter. Mas gosto de ver essas tradições. Dão-me uma sensação agradável de ligação ao nosso passado cultural, às nossas raízes, às nossas tradições em tantas zonas já perdidas, à nossa identidade.
9
Bem voltado à 'má vida'!

Beijos.


De sextrip a 24 de Março de 2008 às 20:20
1
acredita !!!...
até descobri que há quem lhe apare as políticas porque... "é um pedaço de homem".
gostos...
adiante...

2
tens que a ver !...
acho que te vais "partir a rir" (e entrar para a facção, portanto).

3
verdade !...
mas também me parece mais uma daquelas polémicas de "faca e alguidar" para agitar as massas.
será que é uma situação nova ou extraordinária ???
(se o "puto malcriadão" não tivesse filmado a cena, continuava tudo na paz do senhor...)
mas isso não me interessa para nada.
já sei de violências na escola, muito piores que aquela, de há vários anos a esta parte.
para já... quero saber é em que grau se vai exagerar e proibir coisas radicalmente.

4
ahahah... a tabela é cronológica... não por ordem de importâncias.


5
sim... há palavras difíceis e vontade de as usar.
nada contra !
mas... da mesma forma que "desconto" ao velhote que inocentemente diz ter uma "ursula no estômago", fico desatinado com quem procura dizer "palavras de 100 escudos" para se fazer culto.

6
ah sim !!!... chamou perfeitamente a atenção pela negativa.
longe, longe...

7
como me disse "o outro"... foi o meu momento zen.
é verdade... naquele cantinho não estava frio e o ar parecia parado, era como se ali se tivesse formado uma bolha micro-climática - foi bom.
(quando era miúdo passava horas naquele pomar...)

8
« não se pode perder algo que nunca se chegou a ter »
muito provavelmente tens razão.
há tradições cristãs que têm o seu "pitoresco", mas... para mim, só por isso.
a maioria delas aborrece-me.
mas pronto... ao aproveitar o natal estou a contradizer-me grandemente, é a verdade.

9
grato...


De MissMe a 24 de Março de 2008 às 21:51
Para mim um "pedaço de homem" nunca poderia ser um Sócrates pelo simples facto que o "pedaço" que me tira do sério em relação a um homem é mais o intelectual, personalidade e correcção que propriamente o resto... portanto, tadito dele. E confiar o destino de um país a um pseudo "pedaço" não me parece nada inteligente.

Eu acho que já pertenço à mesma facção humoristica que tu, há muuuiiito tempo! Adoro pessoas com sentido de humor, adoro quem se sabe rir de si próprio. Adoro quem me faz rir, adoro rir!

Já vi o filme sobre a agressão. Nem vou comentar, ficaria aqui a noite toda.

Cronológica e que aposto te deixou com aquela sensação de leveza de "passarinho novo". Lol.

Palavras ou acções sem naturalidade nunca passam da mediocridade.
Para mim, as coisas mais simplesmente ditas ou feitas são as mais sentidas, mais verdadeiras e com maior lógica. Mas só impressionam a quem lhes dá o valor que, realmente, têm.

Aquele momento foi o teu momento de magia, foi a tua paz interior, foi a tua partilha de confiança e comunhão. Foi o momento em que te sentiste de bem com o mundo. (Não ligues, sou eu a divagar).

Apesar de achar algumas tradições sem sentido, incoerentes ou até ridiculas ou cruéis, tenho sempre a sensação de perda quando as vejo diminuirem de importância... e nem sei bem explicar porquê.
Acho que tem a ver com a minha imensa paixão pelo nosso património e por as tradições fazerem parte dele.

Beijo grande.



De sextrip a 24 de Março de 2008 às 22:24
« Aquele momento foi o teu momento de magia, foi a tua paz interior, foi a tua partilha de confiança e comunhão. Foi o momento em que te sentiste de bem com o mundo. (Não ligues, sou eu a divagar). »

ligo, ligo... podes divagar mais.


beijos... até amanhã.


De MissMe a 24 de Março de 2008 às 23:15
Bons sonhos...


De sextrip a 25 de Março de 2008 às 15:10
« Já vi o filme sobre a agressão. Nem vou comentar, ficaria aqui a noite toda. »


comentário colocado no "Manas SS".

.....................................................

« O que é que se passa com esta juventude?? Já não há respeito nenhum pelos professores, nem pelos mais velhos! » (Someone Else)

não cometas o mesmo erro da vox-populi nem da geração anterior à tua.
aquela menina histérica não personifica a "juventude".

personifica muita coisa... a falência da autoridade escolar, a inexistência de formas de controle, a negligência e submissão de muitos pais e (sem dúvida) uma péssima formação de carácter, onde lhe faltam muitos dos valores que não se deviam ter menosprezado, ou mesmo denegrido.

nestes tempos conturbados de guerra "poder vs professores", este vídeo no youtube veio a calhar que nem ginjas !
distrai... levanta celeuma, a indignação popular... exigem-se "soluções" sem que ninguém aponte nenhuma... radicalizam-se as coisas.

nas escolas existem vários tipos de violência.
de alunos para alunos, de alunos para professores e outro pessoal, de professores e de outro pessoal para alunos... isto, não contando com a violência exterior que orbita muita escola.
da violência física à psicológica.

isto foi um mero caso, nem sequer muito violento comparativamente a alguns que já conheci.
importa condenar, claro... importa tentar solucionar, claro... mas não se lhe dê mais importância do que aquela que tem.

a professora, em meu entender, não "foi boa" em não apresentar queixa - devia tê-lo feito !
e é aqui que a bola de neve começa.

devia tê-lo feito, mas... darão a essa professora as condições ideais para se queixar ?
haverá alguma forma prevista, exemplar, para castigar uma aluna desta estirpe... que sirva de exemplo para os demais... que caia bem fundo nas consciência dos pais dela... e que garanta integridade à professora queixosa ?!?

pois...
parece-me que o verdadeiro problema começa por aqui.

já reparaste que se o puto idiota não calha a filmar a cena e a colocá-la no youtube... ninguém sabia disto ?!?
que dado que a professora não ia fazer queixa... tudo ficaria como estava ?!?

uma das primeiras perguntas a fazer é:
como são possíveis cenas como esta, piores até do que esta e nada ser feito ?
foi preciso um vídeo no youtube para levantar a questão ?!?
sendo assim... que se estará a discutir ?
a violência que há muitos anos grassa nas escolas ou... simplesmente a "bronca" desta ter transpirado ?!

não façamos apenas as perguntas que se espera que sejam feitas...
não se conclua simplesmente aquilo que se espera que concluamos.

também vejo no vídeo outros alunos que agarram a menina histérica e que, aparentemente, a tentam demover de toda aquela palhaçada.
não se queime o palheiro por uma palha.

.....................................................

não adiantaria muito mais a isto... pelo menos, para já.


De MissMe a 25 de Março de 2008 às 18:29
Olá.
Eu vi varias coisas ali que me chocaram:

- Vi uma senhora sem nenhuma autoridade a disputar fisicamente um objecto.
- Vi uma miúda de 15 anos para quem a palavra 'hierarquia' ou 'respeito' não devem ter nenhum significado.
- Vi risotas de satisfação pelo belo filme que estava a ser realizado.
- Vi desrespeito em frases tipo "a velha vai cair".
- Vi a pouca vergonha e a palhaçada em que se pode tornar uma sala de aulas.

Claro que não é geral.
Claro que não se pode dizer "os jovens...".
Mas claro, também, que tem de se ter mão nisto. Tem de haver um pulso forte que castigue semelhante vandalismo ou qualquer dia ninguém vai querer leccionar nestas condições.
Que tipo de adulto será quem agride ou desrespeita quer sejam colegas, quer sejam professores, quer sejam pais ou mesmo um desconhecido na rua?
Há que travar sim, exemplarmente, se queremos uma futura sociedade melhor!

Não sei de quem é a culpa, mas sei quem são os responsáveis pela solução. Trabalhem e resolvam, que é para isso que os lá colocamos!

Passamos do 8 para o 80. Há que encontrar o 36.


De sextrip a 26 de Março de 2008 às 12:52
« Mas claro, também, que tem de se ter mão nisto. »

não está isso em duvida.
nunca esteve.

« Tem de haver um pulso forte que castigue semelhante vandalismo ou qualquer dia ninguém vai querer leccionar nestas condições. »

ninguém quereria leccionar nestas condições se fossem estas as condições habituais, constantes...
e ainda que hajam muitos problemas de violência nas escolas... pois que não se pretenda precisamente sugerir que este episódio é diário e repetido em todas as turmas e escolas.
(que parece que é o que se pretende...)

e neste caso, volto a chamar a atenção para o facto de que, só pelo vídeo no youtube é que se levantou a polémica - quando ela não se deveria ter levantado e o problema devia ter sido logo tratado exemplarmente no seio escolar, mesmo que não houvesse vídeo.
(o que, tudo indica, não ia suceder)

torna-se "cansativo" e desmotivante que neste país só se abordem os problemas quando "rebenta" um qualquer escândalo.
nessas alturas... é artigos... é inquéritos... é a opinião pública a ser manipulada... é toda a gente muito indignada aos gritos e os "oitentas" a surgirem como "remédio santo".

ainda ontem me perguntavam... "será legal uma professora retirar o telemóvel da mão da aluna ?".
mas que raio de legalidades pretendem as pessoas ?!?

pois então... se não é "legal", façam com que o seja debaixo daquelas condições.
é difícil criar uma "lei interna" assim ?!
puxem pela cabeça... é (também) para pagar o ordenado a gente capacitada para isso que pagamos impostos !
não é... ir pelo caminho facílimo e costumeiro da mediocridade de proibir todos os alunos em todas as escolas de levarem os seus telemóveis.
isso não é "remédio santo"... é asneira e aproveitamento abusivo de um episódio.

há dois anos, na escola do meu mais velho, numa turma do 9º (ele andava no 7º) uma aluna ameaçou uma professora de que... se não lhe desse melhor nota, "fodia-lhe o carro" - assim mesmo, com as palavras todas e frente a toda a turma.
a professora ralhou com ela e... "não ligou" ao assunto.
na semana seguinte tinha o carro todo riscado, faróis e piscas partidos.
fez-se inquérito aos alunos, chamou-se a mãe da aluna, blá blá para aqui, blá blá para ali... não havia provas... seria violento sujeitar a "jovem aluna" a um prestar de declarações na polícia... havia testemunhas do que ela dissera mas, não havia de que o tivesse feito... até poderia outra pessoa ter ouvido e aproveitado para a incriminar... etc, etc... e tudo ficou em águas de bacalhau.
mas... como não houve feridos, nem sangue, nem vídeo no youtube... ninguém soube disto nem surgiu nenhuma lei a criar estacionamentos fechados para os carros dos professores, nem nada !...

num outro caso, noutra escola... um aluno espetou uma vareta de guarda chuva na cara de outro (arrancou-a do guarda chuva e usou-a como arma).
o caso foi literalmente "abafado" para que a escola não ficasse com "fama de ser violenta", mas... naquela "opinião pública" restrita... ouviam-se as reacções mais indignadas contra o (quase) assassino em potência que ali estava.
depois veio-se a perceber que o acto tresloucado do aluno se deveu a que... diariamente, desde o início do ano, era assaltado, agredido e ameaçado de represálias pelo aluno (vítima da vareta) e do seu "mini-gang".
o que se resolveu ???
nada !...
os pais do "aluno agressor" tiveram que o mudar para outra escola.
o "mini gang" (que eu saiba) nunca foi controlado e continuou a fazer das suas.
(preparação para "a vida" lá no bairro donde vinham, com certeza...)

há milhares de casos como estes... todos a precisarem de soluções (mais que) urgentes e este país mobiliza-se por causa de uma disputa histérica e sem autoridade por um telemóvel.
não parece uma manobra de diversão ?
é isso que temos de questionar seriamente também...


De MissMe a 26 de Março de 2008 às 15:35
Here we go again...
:)
Como te tinha dito, estive em Marte. No Marte onde estive estas coisas passam tão ao lado que só agora percebi que tinha havido mesmo uma polémica, com aberturas de telejornais, 1ªs páginas, etc.

Claro que pode ser (e acredito que seja) uma manobra de diversão.
É como quando sai um daqueles escândalos de corrupção e parece que toda a gente abre a boca num "A sério!?!? Não acredito!!!", quando todos estamos fartinhos de saber exactamente como, onde, porquê, quando e com que fins eles acontecem, sistematicamente, como sendo a coisa mais natural deste planeta!

Ora cá está um problema que na minha (e tua) época escolar não existia.
Agora existe e, portanto, há que definir novas regras.
Nós levávamos os berlindes e os piões para dentro da sala de aulas, simplesmente não brincávamos com eles! Ficavam guardadinhos na mala, longe da vista!

Os alunos TÊM de levar os telemóveis, se os pais assim o entenderem.
O telemóvel é um objecto que dá descanso e (relativa) segurança aos pais e aos filhos.
É normal, mas a segurança não está em questão dentro da sala de aulas onde é suposto concentração para se aprender (os que querem, claro).
Os pais têm de ser os primeiros a saber definir as regras de utilização, claramente. Como querem (ou não) que os filhos os usem, em conformidade com o decidido pelas escolas.

As regras terão de ser, portanto, bem definidas também pelas escolas, a nível geral.
O aluno teria obrigatoriamente (no meu ideal) de desligar e guardar na mochila o telemovel, mp3 ou outros, assim que entrasse na aula.
Há intervalos para contactos e recados, sms ou músicas podem, perfeitamente, esperar pelos intervalos.

É uma enorme falta de respeito utilizar um telemóvel enquanto a professora está a (tentar) ensinar. Pela professora e pelos colegas.
É uma regra básica do viver em sociedade.

Também não acho correcto disputar fisicamente a posse do objecto, como foi feito.
No "meu tempo" (detesto esta expressão) havia uma coisa chamada "exclusão com falta a vermelho", chamadas ao concelho directivo e suspensões em dias por episódios de desobediência ou comportamento incorrecto, já não existem?!

Nada tenho que ver com o ensino e, por muito nobre que seja a profissão, nem gostaria de ter.

Uma amiga, professora, contou-me um episódio que, acho, ilustra bem a decadência do ensino e profissão de professor em Portugal:
Reunião de EE com a directora de turma (ela). Explica à mãe que a aluna não é assídua nem se esforça... ao que a mãe responde educadamente: «Pois é, senhora professora, eu estou farta de dizer à minha filha que se não estudar nem se esforçar, nem para professora ela poderá ir!»
Haverá melhor exemplo?

Claro que não deveria ser pela mostragem deste vídeo que se vai pensar agora, escandalizadamente, naquilo que já todos sabiam, mas também espero que, ao menos tenha servido para isso mesmo: para pensar e para que se faça, realmente, algo!

Para o bem de alunos, pais e professores deste país, há que tomar medidas, sim!

Acho que isto foi uma pontinha do icebergue, o restante ainda estará para aparecer.
Cá estaremos para ver.

Beijos.



De marta a 24 de Março de 2008 às 20:46
Voltei
segue o meu nome, mudei de poiso!

bejufa


De sextrip a 24 de Março de 2008 às 21:28
voltaste e... fiquei bem por isso.

já lá fui "botar maluqueira", eheheh...
beijos


De Purple a 24 de Março de 2008 às 21:50
Bem, grande páscoa!

Assim é que se quer. Eu estive fechada o fim-de-semana todo em casa. Isolada do mundo. A minha mãe, sempre a trabalhar. Não me dou bem com o meu padrasto, então não há saida para ninguem... O almoço de páscoa também foi em casa da familia dele. Então fico sempre em casa :(

Oh... Tambem quero um folar ;)
O pardalito é que teve sorte.

"De olhos vermelhos, de pelo branquinho..
eu triplico o saldo, eu sou um coelhinho!!!"
Dos melhores anuncios feitos pela tmn.

Tenho 17 anos, perdi a minha fé pelo caminho. Agora estou a tentar ver se recupero. Nem que seja só a curiosidade de ouvir a missa. Tudo por causa do meu namorado e da familia. De resto também me lembro de algumas tradições, não porque tenha ido a catequese, mas porque era (e sou) uma menina muito curiosa.

Beijos

P.S- Será que me podes recomendar um bom livro. Perdi os meus hábitos de leitura, coisa que muito me aborrece. Obrigada :)


De sextrip a 24 de Março de 2008 às 22:34
olá Purple...
desconheço por completo os teus gostos literários (podemos falar disso...) mas... arrisco sem problemas a aconselhar-te este:

http://www.prof2000.pt/users/comEfeito/comefeito20/Imagens/11E.jpg

"História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar", de Luís Sepúlveda...

é um dos meus escritores preferidos.
é um conto "simples" (com mais fundo do que aparenta), que se lê de uma enfiada e que... pode ser um bom ponto de partida para "reganhar" esse hábito tão importante.

beijos


De Purple a 25 de Março de 2008 às 10:33




Grande pontaria

Já li esse livro, aliás, apresentei-o na aula de português no mês passado. Sim, é um óptimo livro. Acho que todos gostam dele. Bem, pelo menos a minha turma gostou. O professor então, quando perguntei se podia apresentar esse livro disse logo que sim, que era um livro lindo.

Concordo


De sextrip a 25 de Março de 2008 às 14:32
apresentar Luís Sepúlveda nas aulas... gostei !
é um escritor que muito prezo.

se gostaste da maneira de escrever... podes passar ao "O Velho que Lia Romances de Amor"... talvez o segundo livro mais conhecido dele.
ligeiramente mais denso e uma história tão invulgar quanto surpreendente.

outra literatura que creio que gostarias (daquelas que conheço e tendo em atenção os teus 17 anos) é uma trilogia da Isabel Allende.

"A Cidade dos Deuses Selvagens"
"O Reino do Dragão de Ouro"
"O Bosque dos Pigmeus"

beijos


De sunshine a 24 de Março de 2008 às 22:31
Bem vindo de volta!
Comentário rápido, tenho pouco tempo, mas dizer-te que vieste a Santarém e não me disseste! Será que nos cruzamos? Era giro!


De sextrip a 24 de Março de 2008 às 22:38
olááá...

pois !... se calhar... passámos um pelo outro...

beijos... estou mesmo de saída... (copos...) mas amanhã volto.


De Infiel a 24 de Março de 2008 às 23:18
ora vamos lá conversar Zezinho!!!

então o senhor escolheu o vestido, viu-me com ele e...zarpou!!
se eu fosse uma menina sem auto-estima, estaria a chorar desde o dia em que partiste, ainda poderia pensar que, afinal as primas tinham costas mais bonitas que as minhas!!!
mas como tenho um super ego, limitei-me a pensar que a mãe não iria aguentar a minha "vivacidade e charme" e agora vem para aqui dizer que afinal não comprei o vestido a tempo!!!!

Temos muito a conversar!!!






De sextrip a 25 de Março de 2008 às 14:37
ihihih...


De Infiel a 24 de Março de 2008 às 23:25
Ja estou mais calma (o prozac já fez efeito!!!)

- não me obrigues a ver tv á procura do coelho, porque não entendi nada!!! mas até eu sei da aluna e da prof!!

- o encontro com pardais é sempre magico (mais iluminado do que o encontro com ex-colegas!!) e deixa lá a prima tranquila, não te armes em titio que isso fica-te mal

- agora a sério (heheeh) a má vida espera-te e as tuas fans (mas eu não ehm!!) já estavam desesperadas sem noticias tuas

Beijinhos e um sorriso old man

Feliz Renascimento






De MissMe a 24 de Março de 2008 às 23:34
Vê os links que o Sextrip me deixou, que encontras o coelho sem teres de ver tv!
(Eu também não conhecia aquilo...)
:)


De sextrip a 25 de Março de 2008 às 14:48
« Ja estou mais calma (o prozac já fez efeito!!!) »

tenho de começar a andar com uma carteira disso no bolso... para enfiar pela goela abaixo de algumas pessoas que conheço.


« - não me obrigues a ver tv á procura do coelho, porque não entendi nada!!! »

pois... mas vai ver.
é mil vezes melhor que o prozac !

« mas até eu sei da aluna e da prof!! »

parece-me que só as criancinhas dos 3 anos para baixo é que ainda não viram (ou perceberam).
o vídeo até bateu a Britney e a Hilton na corrida às visualizações... é obra !!!

« - o encontro com pardais é sempre magico (mais iluminado do que o encontro com ex-colegas!!) »

adoro pardais e pardalinhas... é um facto !


« e deixa lá a prima tranquila, não te armes em titio que isso fica-te mal »

eu "deixo"...
fui claro... desde que não seja provocado, sou um "paz d'alma".
[sapo a assobiar]

« - agora a sério (heheeh) a má vida espera-te e as tuas fans (mas eu não ehm!!) já estavam desesperadas sem noticias tuas »

tenho dois dias (inteirinhos) para partir a loiça toda...
(já ando a tratar do assunto...)

« Beijinhos e um sorriso old man »

beijo muito grande para ti.


De Infiel a 27 de Março de 2008 às 01:51

"tenho de começar a andar com uma carteira disso no bolso"
- dizem que faz efeito porque pessoalmente nunca tomei nenhum e, já to havia dito ... mas, tens razão ha por aí muita gente que só com comprimidos conseguem tentar viver para não falar daqueles que até deviam toma-los por não saber como se controlarem

- os teus gostos... eu não discuto hehe

"tenho dois dias (inteirinhos) para partir a loiça toda"
deixaste os copitos pelo menos??? não é por nada mas agora até ia qualquer coisa

vou xonar que estou cansada Jocas









De Maaf a 25 de Março de 2008 às 11:13
Parece que o Socrates serve para alguma coisa... Safou-te de boa...

Essa história do vinho do Porto, não dá para todos, alguns ficam realmente muito mais saborosos, mas outros ficam avinagrados...

A ´tua passagem com o pardal está gira!!!
O meu pai chamava-me pardal... agora chama ao meu miudo!!

Boa Semana Santa!!!



De sextrip a 25 de Março de 2008 às 14:56
« Essa história do vinho do Porto, não dá para todos, alguns ficam realmente muito mais saborosos, mas outros ficam avinagrados... »

acho que... de envinagrado não tenho nada, mas... não me fica bem puxar a brasa a essa sardinha.

« A ´tua passagem com o pardal está gira!!! »

tinha os meus 12... armei um sarrabulho do caraças com três outros putos que iam aos pardais com uma pressão de ar... andei à pancada com os gajos e gamei-lhes a espingarda.
depois lá foram as mães deles "mandar vir" com a minha e foi um sarilho até me convencerem a dizer onde tinha escondido a pressão de ar.
eheheheh...
um dia ainda escrevo um livro com histórias sobre pardais.

beijos


De Maaf a 25 de Março de 2008 às 17:50
Se teu tempo de puto se dá um livro de histórias de pardais, nem me atrevo a perguntar historias de pardais na idade juvenil / adulta.....

hihihihihihi


De sextrip a 25 de Março de 2008 às 18:06
na juventude nem fui muito de passaradas !!!...

(acredite-se ou não...)

e na idade adulta... só a partir de determinada altura é que me dediquei aos estudos ornitólogos.
eheheh



De MissMe a 25 de Março de 2008 às 14:52
Buenas tardes!
;)


De sextrip a 25 de Março de 2008 às 14:57
olááá...
boa tarde...


De MissMe a 25 de Março de 2008 às 15:07
Se um dia escreveres histórias sobre pardais deixas ler?...


De sextrip a 25 de Março de 2008 às 18:08
se alguma vez o fizer... sim... porque não ?!
mas nunca pensei em escrever um livro... ou pelo menos, não é daquelas coisas "prementes" nos meus planos mais próximos.
já me vejo "à rasca" para escrever o blogue... quanto mais !!? eheheh


De MissMe a 25 de Março de 2008 às 18:33
Eu ofereço-me para ajudar...
nem que seja exemplificando o pardalito! Lol.
(Mas tens razão, assim é que nunca mais te apanhavamos cá!)

Escreves muiiiiito bem... acho que deverias mesmo!


De ._. a 27 de Março de 2008 às 12:37
1-Arranjas-te mais uma amiguinha, assim vale a pena os feriados.Cada tiro é um tordo. 2-Eu mandava a outra á merda.As mulheeres faziam bem em ser mais criticas delas mesmas em vez de tanto acerca dos homens.Elas tambem gostam de ser mamãs dum gajo no casamento.


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.a vingança dos ursinhos...

.piaçaba

badge

.tags

. todas as tags

.ESCOLHIDOS

. Alguma vez amaste uma mul...

. Trintonas e boas!

. Destinatário Ausente (Ree...

. O perfil masculino ideal ...

. Deixem as crianças em paz...

. raríssimas

.links

.já tiveram uma trip

contador de visitas
contador de visitas

.em trip neste momento

online

.olha as horas !!!

relojes web gratis

.petição contra encerramento do Hospital Dona Estefânia

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds