Sábado, 14 de Julho de 2007

nocturno - miradouro



era o nosso segundo encontro.
iríamos beber algo, falar um pouco e...
seguiríamos para o primeiro menage deles.
Éme e Éle são estreantes no HM+H
mas arranjaram um local para o fazerem.
já havíamos combinado tudo por tlm.

atrasei-me um pouco no trânsito.
(apenas 10 minutos, mas aborrece-me sempre)
quando cheguei, senti que algo não estava "bem".
" - há problema? vocês parecem-me tristes."

o local para o encontro ficara indisponível à última hora.
só o haviam sabido depois do telefonema, já eu vinha a caminho.
desdramatizei a situação.
se era pelo facto de eu ter vindo, não tinham que estar assim.
podíamos conversar um pouco mais, conviver...
o resto, ficaria para outra altura.

no entanto - ofereci-lhes uma ida a um motel, a meu cargo.
Éle não se sentia à vontade com isso.
além de que havia uma segunda questão:
quem inviabilizara a ida para o tal local estava à espera deles,
não iam poder estar muito tempo comigo.
pelo menos - não tanto tempo quanto haviam desejado.
"- aproveitemos então o tempo que temos" - disse-lhes.

estivemos de conversa (muito picante) durante uma hora.
depois passeámos até um miradouro.
estava bastante vento, mas não estava frio.
sentámos num banco a ver a cidade iluminada a nossos pés.
Éle no meio de mim e de Éme.

ninguém à vista - miradouro vazio.
Éme começou a acariciar uma perna de Éle.
segundos depois tinha a mão bem lá dentro do vestido suave e solto.
não esperaram muito para que eu fizesse o mesmo.

Éle tinha as coxas a ferver e não havia cuequinha alguma.
fiquei logo quente - mulheres de vestido e sem cuecas é uma tara.
além de alguns "choques" com a mão de Éme, encontrei o que desejava.
uma coninha macia, quase toda depilada, com um grelo saliente.

contudo, Éle estava nervosa - foi notório.
continuámos, docemente, apenas a acariciá-la,
o mais que o vestido nos permitia.

Éme olhou novamente em redor - eu idém - ninguém!
então ele abriu o pequeno zipper que partia do meio do decote dela.
aberto de par em par, expôs um belo par de mamas.
juntos e sem tirar as mãos de dentro do vestido,
fomos chupando e lambendo.
quase dava para ver os mamilos a embicar e a enrijecer - que tusa!!!

Éle foi descontraindo.
quando os nossos dedos lhe exploraram novamente a ratinha,
já estava húmida.
abriu-se às nossas carícias,
pondo cada uma das pernas para cima das nossas,
ajeitando-se melhor no banco, reclinou a cabeça para trás,
fechando os olhos e gemendo...

sempre controlando em redor,
eu e Éme tudo fizemos para a levar ao orgasmo.
os nossos dedos faziam malabarismos dentro dela,
fantasias desenhadas com sensações.
chegou a lá ter quatro, dois de cada um - irrequietos e malandros...
mas foi difícil, pois ela não se deixava ir o suficiente para o atingir.
demorámos um pouco, mas, por fim, lá chegou!

depois - gozava eu ainda a coninha finalmente encharcada
e os bicos rijos e bons de chupar - Éme pôs-se de pé.
sacou do pau escuro e rijo e enfiou-lho na boca.
ela chupou-o com gula enquanto procurava o meu com a mão.
tirei-o para fora e ela agarrou-o com força - ficou agradada.





contudo, na posição em que estávamos,
a minha mão na rata dela, a mão dela no meu pau,
estorvavam-se os braços - não resultava.
tirei a minha mão - os meus dedos quase pingavam!

ela flectiu-se para vir mamar no meu pau que reluzia de inchado.
tinha imensa água na boca e mamava gostosamente.
Éme tentou virar-lhe as ancas - percebeu-se logo qual era a sua ideia.
mas Éle disse logo que "não", que se aparecia alguém topava tudo.
era verdade!
"- esperem..." - disse eu.

coloquei-me noutro ângulo.
sentei-me nas costas do banco, pernas abertas, pés no assento.
ficava quase de costas para a única entrada do miradouro.
rapidamente fiz com que percebessem que...
se alguém surgisse, ainda que nos visse, não entenderia os vultos.
teríamos tempo para nos compormos - mas Éme teria de controlar.

ela ficou de pé, dobrada de frente para mim,
com as mãos nas costas do banco, mamava-me com deleite.
Éme, por detrás dela, levantou-lhe um pouco o vestido
e espetou-lhe o pau.

em poucos instantes - aquilo foi demais para eles!...
Éle gemia que se vinha de novo.
Éme veio-se ao fim de uma dezenas de estocadas.
eu estava longe disso.
" - quero que te venhas..." - disse-me ela.
sorri um pouco :  " - sou demorado e está difícil " - resumi.
"- deita-te no banco, eu fico a ver se vem alguém." - disse Éme.

Éle mamou-me, lambeu-me, mordiscou-me, engoliu-me...
estava debruçada sobre mim, perto da minha cabeça - torci-me um pouco.
conseguia chupar-lhe as mamas pendentes e enfiar-lhe dois dedos.
a leitada de Éme ainda de lá escorria...

de repente - foi o flash.
"- venho-me, venho-me..." - avisei.
ela bateu-me o pau com vigor.
a minha leitada esguichou direita ao seu peito,
soltou uma exclamação de surpresa e agrado.


depois......
Éle parecia principalmente surpreendida com a naturalidade com que tudo acontecera e com o facto deles os dois terem tido tanta e a mesma vontade para o sucedido no miradouro  -  Éme parecia ainda estar a interiorizar tudo aquilo ou então... estava com uma grande ressaca da adrenalina.


já estavam atrasados - tinham de ir.
despedimo-nos com o desejo de voltarmos a estar juntos.
no tal local - para outros vôos...

fico a aguardar.



sinto-me: nocturno
música: Mas Que Nada - (Black Eyed Peas)

uma das minhas louras preferidas



não entendo o que a maioria dos gajos "vê"
naquela bimba da Paris Hilton.
a gaja é uma seca!!!


prefiro, de longe, esta loura!



















ideias espectaculares, numa toada de sensualidade, desejo e humor.

I LIKE IT !
bom fim de semana

sinto-me: TIO PELA 4ª VEZ
música: Carmina Burana - (Carl Orff)

Quinta-feira, 12 de Julho de 2007

testes e testes


mandaram-me link para este teste.

depois - comento e "arranjo" o artigo.
agora tenho de ir "beber um cafézinho" e ir buscar daquilo com que se compram os melões.




já se sabe qual o valor destes "testes" que encontramos aqui pela net.

muito polidos quando abordam muito superficialmente um qualquer defeito.
autênticos mãos largas no tocante a elogiarem-nos as virtudes e qualidades.
conforme cada um de nós - poderão ser perfeitos banhos de espuma para o Ego.

o valor deles, contudo e na maioria das vezes, é meramente lúdico.
(como se diz na minha terra :  é estúpido mas alivia!

alguns deles ainda terão um qualquer algoritmo que estabelece uma relação entre as diversas respostas / opções de forma a apresentarem um resultado.
este não - é apenas uma resposta directa à escolha que se faz, o resultado apenas o somatório dessas respostas.
os nossos olhos é que, muita vez, nos fazem crer que "bate tudo certo".

resolvi analisar a "análise" que assim me foi feita.



Teste de personalidade - Resultados
Como vê a vida...
O campo de milho indica que você é brilhante, sociável, amável, brincalhão. Faz amigos com facilidade e raramente se sente sozinho. Aonde quer que vá, é sempre o centro das atenções e, por isso, sente-se feliz e diverte-se com uma certa facilidade.

uau... sou brilhante (não é todos os dias que o nosso ego é tão engraxado, temos de admitir).
com facilidade...... faço conhecimentos / fazer amigos, é algo bem mais complexo!
por vezes, ser o centro das atenções tem as suas desvantagens.
de resto - certo!

A pessoa dos seus Sonhos
A escolha do espelho mostra que não acredita que "polos opostos se atraem", isto em relação ao amor, e que, só vai sossegar quando encontrar a sua alma gémea, ou seja, uma pessoa que tenha os mesmos ideais que você.
Nada mais justo. Só que é bom olhar um pouco mais à volta, porque de repente a pessoa perfeita para si pode ser alguém para quem normalmente não olharia duas vezes.

aqui, não tenho nada a contrapor.
1 - não acredito, nada mesmo!
2 - é verdade! terá de ter os mesmos ideais que eu.
3 - achei interessante esta última observação - pois já tenho pensado nela bastantes vezes e poder "escapar-me" a oportunidade preocupa-me.
este : tudo certo!

Será que quer um compromisso sério?...
Você não vê a hora de encontrar a pessoa certa, ou estando com alguém não tem problemas em se envolver.

tchiiiii... que espalhanço total!!!!
este: errado!

Os limites da Paixão...
O que um riacho é capaz de fazer?... Você vive apaixonado, e sempre por alguém diferente. Você é movido por paixões e emoções intensas, é muito passional. Está sempre com uma pessoa diferente e sempre a fazer a acreditar que encontrou o amor da sua vida.

vivo apaixonado com coisas e com pessoas... de família.
este: errado e contraditório com o ponto anterior.

Acerca do Futuro...
Ver a chave de um cadeado significa que acredita na sua intuição para ajudá-lo a encontrar um caminho, fora do comum, que lhe abrirá as portas do sucesso.

creio que já aconteceu, em diversos aspectos!  dependerá de que "sucesso" estamos a falar.
este: certo (com reservas pela ambiguidade).

Quem é que não tem ambição?
A cabana é a visão de uma pessoa realista sobre o seu próprio futuro e que tem os pés firmemente assentes no chão. E provavelmente vencerá em qualquer actividade usando o esforço próprio.

no comments: certíssimo (acho).
Quando é que o sucesso chega?
Entrar na casa é ter confiança em tudo o que faz, sabendo que existe sempre a possibilidade de errar ou acertar. Sendo assim, nada consegue atrapalhar o seu caminho.

com efeito, não sou indeciso - prefiro tentar e errar, a ficar à espera que o maná caia do céu.
este: certo!

Medo de...
O gnomo é o retrato de uma pessoa preocupada com que os outros vão pensar dela, como os outros vão reagir se disser ou fizer coisas que elas não gostam ou não aprovam. Afinal para quê tanto medo de não ser aceite?

toda a gente se preocupa com o que os outros pensam de si - negá-lo é na maioria das vezes uma mentira (senão mesmo uma hipocrisia).
no entanto, uma coisa é sentirmos isso de uma forma normal, outra é "ter medo" - se se tem "medo", não seremos nós próprios, andaremos ao sabor de agradar aos outros ou apavorados com "rejeições".
este: tenho de o considerar erradíssimo!

O EU mais profundo...
A praia é a escolha de quem é apaixonado pela vida, nada convencional, com opiniões próprias, e sem o menor medo de as defender e mudá-las, se for preciso.

(não chocará isto completamente com o ponto anterior???)
este está certo!


http://testes.cultodavida.com/personalidade/1/
sinto-me: risonho
música: Abracadabra - (The Steve Miller Band)

Segunda-feira, 9 de Julho de 2007

não leias - não é sexo







é curioso!

este blog tem alguns leitores (poucos, mas bons).
poucos comentários - mas uma média apreciável de visitas/dia.
e o mais curioso é que, em proporção ao comentário (mais fácil e imediato) canaliza-me bastantes mais mails.

mails esses que vão do mero "parabéns pelo blog" às mais diversas questões e mesmo conversas motivadas pelos meus artigos.
creio que isso seja bom, ainda que preferisse que tal comunicação fosse feita mesmo no blog - apesar dos possíveis "desvios" às temáticas.
(mas okay - cada pessoa terá as suas opções)

outra coisa curiosa (bastante comum nestes mails) é pretenderem falar comigo acerca de amor - comigo, que apenas vos tenho mostrado a parte sexual.
dá que pensar!

estas perguntas vieram no meio de um excelente mail do João Salgado (abraços) e - ainda que não seja uma temática nova - foi a primeira vez que me foi colocada por um homem.



« (...) acho que tens uma vida sexual invejável para muitos homens, eu incluído, mas quero perguntar-te o seguinte:
Pelo que entendi só foste casado uma vez e já de divorciaste há mais de dez anos.
Não sentes falta de seres amado ?
Achas que trocaste essa falta pela diversidade sexual ?
Terás perdido a disposição para te apaixonares ? »


acho que não há ninguém que não sinta necessidade de ser amado.
(e de amar, já agora)
acho que quem afirme o contrário - ou mente a si próprio ou é um enorme frustrado.
(que, no fundo, é um mentiroso)

há três tipos principais de amor - eu vivo dois deles com grande intensidade, o que tem um efeito estabilizador muito importante em mim.

sinto falta do terceiro tipo, mas, não me angustia sobremaneira.
tenho os meus dias ou ocasiões menos tranquilas, como inúmeras outras pessoas terão também.
mas não é um "ponto" diário que me assombre - quando entro na casa vazia, por exemplo.

a diversidade sexual não é uma "troca"!
nunca me iludi com isso ou pretendi tal  -  foi algo que foi sucedendo naturalmente.
que, sem dúvida, a disponibilidade quase total me foi permitindo.
de uma forma que, se tivesse um compromisso afectivo, seria substancialmente diferente.
no entanto, a curiosidade por modelos e posturas diferentes no sexo sempre me aliciaram.
(desde cedo na vida, aliás)

haverá uma certa "compensação" - sim.
mas diria que é de amizade, de carinho, de cumplicidade das pessoas que fui conhecendo e dos momentos de que usufruímos - versus - essa ausência de amor de que falamos.
mas não é "troca" - nem é de Sexo Versus...

mentiria se dissesse que essa partilha (também) afectiva não me é importante.

a última pergunta é um pouco mais "manhosa", lol lol lol.

acho a paixão muito parecida, por exemplo, com a velocidade.
toda a gente tem a mania que a consegue "controlar" ....... até ao momento do despiste.

não é coisa que se preveja, não há controle possível.
a única coisa que poderá suceder é que, com o tempo passando, nos sintamos menos predispostos a aceitar o "risco" de nos expormos a ela.
grosso modo: não gostas de velocidade, não vás para a auto-estrada.
mas pouco mais podes fazer (acho).

um dia... pode surgir como um tornado, sem se saber de onde - e levar-me como uma simples folha.

e é tudo!
sinto-me: leve (como uma folha)
música: You Give Me Something - (Jamiroquai)

clube sexo



há pouco tempo, o MT e a Rosa (num momento mesmo casual) convidaram-me para ir a um "clube sexual" com eles.

(se alguém desconhece: é um género de clube que, na essência, é uma discoteca com zonas dadas à brincadeira e com outras à parte - neste caso, no 1º andar - onde se pratica o swing ou o sexo grupal)

eu disse logo que não estava trajado para a situação.
havíamos estado na praia, eu estava de polo, calções compridos e sandálias - não dava para ir a casa trocar de roupa (é longe) - a roupa do MT serve-me "nas orelhas", como se usa dizer.

"ah, não faz mal, não estás descomposto, não há problema"

sim - descomposto não estava, a farpela até era daquelas de marca e tal.
segunda questão : aquilo é um clube mais vocacionado para o swing, para casais, etc.

"não há problema, já somos clientes de alguns anos, há outros casais que levam amigas, etc"

(não saiba eu que, nestas coisas, uma "amiga single" é vista de forma muito diferente de um "amigo single"...... mas ok, lá fomos)


pronto... BARRAGEM

logo a começar - um desagrado (muito mal disfarçado, diga-se) por ser um single masculino.
(meu caro : se é "permitido", não há cá lugares a "não é muito usual" - okay?)

depois de conversas "lá dentro" com a personagem mistério, lá veio o veredicto:

"até poderíamos permitir a entrada, claro, mas... de calções e sandálias é que não pode ser - vocês conhecem as normas do clube quanto à indumentária (etc, etc)."

Rosa estava a começar a "ferver" - pedi-lhe que não o fizesse, não valia a pena.
mais alguns argumentos mas...... nada a fazer - era irredutível.

nem de propósito - chega um casal com uma amiga:
elas duas, em dois "vestidos" que mais pareciam biquinis presos por cordões - ele, de fato leve e com um top que deixava apreciar o bronze e os abdominais tonificados até aos pêlos púbicos.
conhecendo a Rosa já o suficiente, calculei o que ía sair dali.

"desculpe lá, mas... os homens podem mostrar os abdominais mas não as pernas do joelho para baixo? pode explicar-me isso, por favor?"

não podia, não tinha explicação - calções não eram indumentária apropriada e ponto final.
ainda pediram para falar com alguém que...... parecia não estar presente, ou disponível, não percebi.

insisti com a Rosa e com o MT - que por favor "esquecessem" a situação.
os meus calções do Coronel Tapioca eram mal quistos e nada havia a fazer.
que ficava para outro dia.
(eles são clientes habituais e sei que nestes sítios atribuem-se "nódoas" à reputação dos casais com relativa facilidade)

contrafeitos, lá abriram mão daquilo - fomos embora.
depois a noite descontraiu-se de novo e passámos um bom bocado numa discoteca normal antes de ... coisa e tal, etc...


não comentei mais o assunto desde lá.
este texto é a primeira vez que volto ao assunto.

compreendo as normas de certos clubes, discotecas, até bares ou lounges (como lhes chamam agora).
mas, somos humanos, não deixamos de nos ressentirmos na coisa e - na verdade - eu não estava nada descomposto, nem os calções pelo joelho ou as sandálias eram, digamos, des-dignificantes.
estavam asseados, não estavam amarrotados, têm até uma certa dose de sensualidade.
as sandálias chego a usá-las no trabalho, pois são calçado bastante formal, não são "sandálias de praia".

não deixa de ser algo contraditório que se demonstre tão elevado grau de zelo indumentário num local onde, alguns minutos depois, haverá quem esteja meio despido ou com "pendurezas" a sairem da braguilha do Armani.

também creio que - ao atirar-se em cara que "se são clientes habituais, deviam saber as normas" (reparo que não está em causa) talvez se devesse ter um pouco mais de recato ao dizê-lo ou mesmo... ter a noção de que há os habitués e os há os habitués desde a primeira hora (o que também devia ser um ponto na política da casa).

por último:  certa ocasião, em Nova Yorque, aconteceu-me algo casual deste género.
mas não para um Clube Sexual - para um restaurante daqueles finíssimos que os americanos bajulam.
e a verdadeira classe da casa (apesar dos bajulamentos) revelou-se :  emprestaram-me um fato completo e gravata, de excelente qualidade, depois de me garantirem a sua total esterilidade.
quando se pretende ter CLASSE - tem de se saber tê-la!


MT e Rosa dizem-me que não tencionam voltar àquele clube.
peço-vos que não o façam (vocês vêm ler, eu sei) porque... um Clube não é apenas um local.
são as pessoas que lá vão, que vocês também conhecem e a restante memória que vos traz.
foi um episódio algo "triste", mas - fico bastante constrangido com a vossa decisão.
pensem nisso.

sinto-me: bãh, que se lixe...
música: I Got Style - (Lou Bega)

Domingo, 8 de Julho de 2007

elas-homem

 

 




as Shemales (trans-sexuais) fazem-te cócegas na libido?

muito?  assim-assim?  pouco?  nada mesmo?

só numa situação muito extraordinária?   como, qual?



1 - se respondeste não a tudo - tchau, obrigadinho......

2 - se respondeste sim ou mesmo "assim-assim"
segue para a casa 2
sem passares pela "partida".



como gostarias que ela fosse?

que gostarias de fazer a uma Shemale?

que gostarias que ela te fizesse a ti?

qual o quadro mais excitante que possas imaginar com uma Shemale?


algo mais acerca do assunto?  feel free to talk about it......


( troque "as", "uma", "ela" por "os", "um", "ele"  -  conforme o gosto)


sinto-me: mIrAbOlaNtE
música: Under Pressure - (Queen & David Bowie)

oito rounds



1º round

olhaste-me quando cheguei.
depois miraste-me - tiraste-me as medidas.
esses bonitos olhos verdes fixados em mim.
( sim, eu vi  -  e gostei )
perguntei aos meus - quem eras, não sabiam.
tu fizeste o mesmo - vim a saber.
foste embora com os teus.
eu fiquei com os meus.
"se à saída, olhar para trás, está interessada"
(tenho obrigação de saber - certo?)
e olhaste
e cruzaram-se os olhares, matreiros


2º round

dessa vez - foste tu quem chegou.
já eu te mirava, quando me viste.
deixei a noite avançar um pouco.
contei-te o tempo, as bebidas, os risos e as gargalhadas.
rodeei-te, cerquei-te - encostei no balcão a teu lado.
momento certo - olás e sorrisos soltos.
imediatamente agradada - eu diria.
igualmente, recíproco - tu percebeste.
foi boa a noite - morna a prometer outros lumes.
foi boa a noite - não sou apressado.
o amiguinho armado em "paizinho" foi engraçado.
(tem o quê? menos 10 anos o mocinho?)
iam de saída, tu e os teus - não convidavas, entendi.
o beijo quase a roçar os meus lábios - revelou mestria
gostei


3º round

quem diria?! - por aqui?!
é verdade, como vês...
andas a perseguir-me.
(não perguntaste - afirmaste)
pode ser... cada um tem o que merece!
soltaste uma gargalhada bonita
os meus, já me conhecem - sabem como sou.
os teus, pareceram-me incomodados.
quando me puxaste para longe.
quiseste outra noite morna - falando um pouco de nós.
percebeste o que eu queria.
mas não me viste forçar conversa.
dançámos - acariciei-te.
sentámos a beber - acariciei-te.
gostaste - parei quando pediste.
foi boa a noite - não sou apressado.


4º round

estavas acompanhada.
só depois de me sorrires subtilmente.
te pisquei o olho e te devolvi o sorriso.
dei contigo a olhar na minha direcção - várias vezes.
tu sabes que fingi não ver.
tens 41, tenho 46
sabemos o suficiente sobre respeitar espaços.
sobre tempos diferentes e como aguardá-los.


5º round

foi delicioso.
adorei a dança - adorei os corpos.
pedindo - exigindo - suplicando.
um pelo outro.
adorei a surpresa dos teus lábios colados aos meus.
(foi!  a sério!  não esperava, como julgaste! )
não naquele momento.
tu sabias o que eu queria.
eu sabia o que tu querias.
por isso foi estranho - aquele teu voltar para o seio dos teus.
perguntei a mim próprio:
se saberia mesmo o que tu querias.
foi estranho.


6º round
.............................................................


7º round
.............................................................


8º round (hoje)

sei que estranhaste.
talvez tenhas perguntado a ti própria:
se saberias mesmo o que eu queria.
º
sabes...
eu gosto de conversar (tu sabes).
e também gosto de flirtar um pouco (tu sabes).
acho que não sou exímio em jogos de sedução (tu sabes...)
mas jogo, driblo, sou driblado, riu-me, faço rir, riu-me de mim mesmo.
deixo andar, faço parar, dou um jeito para que dês a volta.
não escondo a surpresa, não me finjo, não digo que já sabia.
não armo o engatatão, porque não temo ser ridículo.
não me finjo fortaleza, se gostar do teu poema.
não me sensibilizo, se acho que é melodrama.
sou eu - sem mais, nem menos.
(até tu já sabes tudo isso)
também sabes o que quero.
também sabes o que eu não procuro.
º
mas não soubeste...
que era hora de falarmos outra língua.
que era hora de sermos aquilo que somos.
que era hora de dizer...
sim quando é sim - não quando é não,
que o nim já esgotara o seu tempo.
º
foram oito rounds.
poderás dizer que "não tive estaleca" - não me importo.
poderás dizer que temo, que me intimido, que fujo.
ou poderás dizer que apenas queria sexo.
como se fosse surpresa, como se não tivesse sido claro.
por mim - tudo bem - procede como desejares.

apenas (desculpa) não posso ser "menino"!
nunca me passou o tempo - apenas nunca fui.






és uma mulher muito bela.
adorava ter ido para a cama contigo.

sinto-me: 1 pouco frustrado (passa-me)
música: Five Miles Out - (Mike Oldfield)

Sexta-feira, 6 de Julho de 2007

produção de Cromos



o mesmo gajo

afirma que um homem só pode ser corno para aceitar menage-a-trois com a mulher e outro homem

já se ofereceu a um amigo dele caso o outro queira fazer uma menage-a-trois com a mulher

diz que a namorada é uma ciumenta que não entende que sexo com ela e uma amiga seria apenas isso mesmo - apenas sexo

defende que o homem (género masculino) não deve estar limitado à monogamia

diz que só faria swing caso a namorada do outro fosse mais boazona que a dele

defende que gays e lésbicas não devem ser autorizados a entrar em locais de diversão hetero - que criem os seus próprios sítios

recusa-se a usar preservativo porque a sida é uma doença de paneleiros e de drogados - que o poder político é que não admite a verdade

segundo ele ainda : as mulheres dividem-se em dois grandes grupos.
as que desejam uma relação e as que optam por "se oferecerem"


tem a alminha, 26 aninhos
(body-builder, segurança de discoteca, adepto do tunning)
há estereótipos fodidos mesmo!


disse ele a alguém que gostaria de me conhecer melhor
que lhe pareço um "gajo interessante"


( - é que é JÁ a seguir !!!! bem te podes ir sentando )





para que não hajam dúvidas
a produção de........ CROMOS
c  o  n  t  i  n  u  a     e  m     A  l  t  a !


sinto-me: rebolando
música: Paroles, paroles - (Dalida)

você tem email - (Someone Else But Me)



já leram que aceito que me coloquem questões por mail

já fiz dois artigos baseados nisso.

algumas pessoas que conheço (lá da “rua”)

também sabem que o podem fazer (pois disse-lhes)


 


uma pessoa amiga, mulher, colocou-me várias questões.

algumas seguiram apenas no mail de resposta (lol)

outras serão colocadas aqui

depois de responder a umas outras dos Um Casal

esta contudo – vou colocá-la já

passando à frente das demais na papeleira virtual

(é a chamada “cunha”)

 

 


L – Tenho lido as tuas trocas de palavras com a Someone_else e tenho notado alguma relutância tua desde que soubeste que ela é muito mais nova do que tu.

Tem dezanove anos julgo.

Porquê essa relutância ?

E segundo: sem me referir à Someone_else em especial mas :

excluis por completo a hipótese de sexo com uma rapariga de 19 ou 20 anos ?  Porquê ?

 



. 1 .

não sei se lhe chamaria “relutância”

talvez haja uma cautela minha (quase inconsciente, admito-o) em ser claro e inequívoco nas coisas de que falamos desde que soube a sua idade

talvez isso se tenha reflectido – terás talvez razão nisso

no entanto, não me sinto condescendente ou paternalista para com ela

nem tenho o direito de o ser

 

é uma mulher a quem tenho prazer de ler

principalmente no “O meu outro lado

de tantos blogs de raparigas jovens que já espreitei por aí… é aquele que me faz parar e tentar entender a pessoa por detrás

acho-o são, fresco, sem floreados artificiais, com a beleza inerente às próprias palavras e pensamentos que saltaram para as teclas – simplesmente isso


ainda agora traduziu para lá apenas a letra de uma canção

só que... de uma canção que bastante interferiu na minha vida

sinais de algo?  - não sei, não faço ideia - apenas que, cativam-me


uma escrita muito diferente daquela que tem no “Manas”, que é mais propício ao descambar, a certo exagero divertido – mas ainda assim honesto e levantando questões que devem levar à reflexão

 

o “Gosto – de moças inteligentes” que escrevi no “cinco coisas – I escrevi-o a pensar nela, ainda que seja a sequência algo lógica das outras coisas escritas

(que compreenderá quem puxar um pouco pela cabecinha)

é um género de arquétipo de algumas raparigas que conheço, que sabem crescer com a cabeça bem assente nos ombros, filtrando bem aquilo que as rodeia, aprofundando bem as suas próprias ideias, sem vícios de raciocínio que na verdade não são delas, sorvendo a vida sem se engasgarem, sem inferiorizações nem opostas manias de grandeza

em suma – que pensam pela própria cabeça

(não é muito fácil de encontrar isto)

 

se posso garantir que a Someone seja ISTO TUDO?  lol lol lol

não – não posso

apenas sinto que sim – e isso basta-me

 


. 2 .

sexo com uma rapariga de 19 anos……

até acredito que não te estejas a referir “em especial” à Someone, mas foram as trocas de palavras entre mim e ela que te levaram a esta questão

 

assim há-de ter ocorrido a outros

muito provavelmente não de forma tão aberta, franca e sem segundas intenções

a quem não ocorre que tal não está na esfera de interesse dela

– é apenas uma moça divertida e liberal -

a quem só tenha em mente a estereotipada imagem do quarentão babão

com patuá de engate meloso e peganhento


enfim, passemos à frente

 

L, tenho 46 anos

conforme já disse noutro comentário :

independentemente de moralismos sociais

não creio que me sentisse muito confortável a fazer sexo com uma mulher

27 anos mais jovem do que eu


não se trata de “inferiorizar” quem quer que seja

(por ser mais nova ou por ser mais velho)

mas que existem diferenças profundas, a vários níveis, que 27 anos de vida “cavam”

existem!

e isso, ao nível sexual, estabelece uma faixa muito estreita de manobra

 

uma mulher tão jovem pode procurar alguém mais maduro

(se assim o desejar)

mas com pouca diferença de idade

não me sinto errado nisto :

uma mulher de 19 anos merece amadurecer sexualmente de uma forma gradual ou crescer em paralelo com alguém nesse aspecto

não encontrar um “guru” ou um “professor catedrático do sexo”, por muito que lhe sejam sexys os cabelos grisalhos ou a conversa madura

 

um homem de 46 anos pode procurar alguém mais jovem da mesma forma

talvez mereça um pequeno regresso a uma idade mais jovial

talvez uma mulher 10 ou 15 anos mais jovem

o faça reviver aquilo que já foi com o melhor que agora é

mas que não se iluda com elixires da juventude

 

a vida tem um equilíbrio muito próprio

podemos esticar um pouco os limites dos pratos da balança

mas que saibamos não cair no exagero

 

tenho prazer em trocar ideias sobre sexo ou falar simplesmente dele

com pessoas muito jovens

os jovens emprestam-me uma frescura e uma irreverência

de que, por vezes, já não me recordo

é verdade!

eu empresto-lhes, por vezes, outros pontos de vista

que eles ainda não experimentaram

quem pode “ensinar” quem? – ambos (ninguém duvide)

acho que é uma simbiose bonita

que pode ser bem explorada

 

tinha de te responder – bastava-me responder  “sim excluo”

mas também tinha de expor o porquê

 


Someone Else But Me

 

no fundo, acaba este artigo por ser a ti dedicado

espero que não o vejas como um “abuso” da tua pessoa

não foi essa a intenção

como em oposição, peço-te que não o vejas como um “elogio”

são apenas coisas que sinto



Don't want to close my eyes
I don't want to fall asleep
I don't want to miss a thing
sinto-me: bem
música: I Don't Want To Miss A Thing - (Aerosmith)
tags:

Terça-feira, 3 de Julho de 2007

que grandes MAMAS



desta vez é a sério
não ia gozar o pessoal, duas vezes, com a mesma cena
não tinha piada, certo?




esta mulher sabe escolher decotes
são sempre espectaculares




esta coisa das mamas é complicada.
um gajo sofre um bocado,
a imaginar tocar-lhes, a tomar-lhes o peso, a aquilatar-lhes a macieza,
a acariciá-las, a apalpá-las, a espremê-las,
a chupá-las, lambê-las, beijá-las e N outras coisas inconfessáveis.
devia haver uns comprimidos para não sofrermos tanto só de imaginar estas coisas.
(ainda que eu não os tomasse por nada deste mundo)
no que toca a MAMAS - sou absolutamente masoquista.

depois, põem-se elas :  - tás a olhar?!? até parece que nunca viste!!!
ora, mais um gajo sofre
porque na maioria das vezes que elas dizem isto - é verdade
UM GAJO NÃO VIU
(viu outras - mas que interessa isso? - queremos ver AQUELAS)

aliás - as mulheres têm uma relação engraçada com as mamas.
dizem sempre que os homens só pensam em mamas, que somos "apanhados" por mamas, que não entendem o que nós vemos nas mamas e outras coisas assim, desde que seja algo  "contra" o facto dos homens adorarem mamas.

é incompreensível!!!

pois se elas tem imenso orgulho nas suas mamas.
pois se são elas que (quase) as mostram à gente.
pois se são elas que comparam tamanhos, formas e lingeries entre si.
pois se são elas que escolhem criteriosamente o decote que melhor faça o trabalho de "queres ver, não querias?".
pois se são elas que gastam fortunas naquelas coisinhas rendadas para as arrumarem e repousarem.

torna-se evidente que as mulheres são mentirosas neste aspecto.
elas adoram que a gente lá caia com os olhos desorbitados.
e o resto é teatro.
(eu já não ligo a isso - é só aviso para os confusos)

as mamas são uma coisa maravilhosa.
principalmente porque vêm aos pares.
há quem defenda aquela coisa ridícula de que as mamas são sagradas, porque foram feitas (vá-se lá saber por quem? mas que tinha bom gosto tinha, não haja dúvida) apenas para a amamentação e blá blá blá - que é nojenta a imagem que os homens fazem delas e etc e tal...

TRETAS
claro que a amamentação é uma qualidade feminina maravilhosa também,
mas ...... se fosse só para isso, as mulheres eram mono-mama.
só temos uma boca - bastava uma mama.
(acabou a conversa criacionista - contra factos não há argumentos)

são DUAS mamas, porque temos DUAS mãos.
para as podermos apalpar às duas, simultaneamente, sem discriminação "mamal".
(Darwin é que topava a coisa, deixem-se de lérias)

mesmo quando usamos a boca - chupamos uma, apalpamos a outra.
depois mudamos e assim não há cá queixas com preferências.
(nem perdas de ritmo)

há quem goste delas pequenas - há muitos mais que as querem enormes.
entre umas e outras - estou eu que gosto de todos os tamanhos.
(sou bom de boca, literalmente)

já o DECOTE é diferente
o decote, independente das mamas que lá estão dentro, é sempre inebriante.
mesmo umas mamas pequenas têm um decote que lhes garante um olhar masculino de desejo (ou feminino, conforme as preferências).
ou com um pouco mais de sorte - a visão de um gajo a bater repetidamente com a cabeça no tampo da mesa.
o decote é a linha ténue entre a proibição e a promessa
é a fronteira

alguns são mesmo muito zelosos nessa sua tarefa
mesmo que nos levantemos para "ir fazer qualquer coisa" e passemos por detrás a deitar o olho fazendo alguns malabarismos com o pescoço - nada feito, os gajos não deixam.
no entanto...... é muita vez a fronteira que, se for transposta,
deixa um gajo chegar ao resto do país, seja lá qual for a geografia.

e uma coisa gira nas mamas
sejam elas montes Everests, sejam pequenos amontoados
um gajo vai sempre lamber o valezinho
(às vezes até faz lá um rio, mas isso é outra conversa)
(ou passa lá com o "barco", que também é outra conversa)

as mamas são ainda - um 3in1
é verdade!
temos a mama em si (aquilo tudo, não é?)
a auréola - que também mexe muito com a salivação
e o mamilo (biquinho, bico, chupeta, etc)
dois "sub-campos" de diversão que convém saber explorar

há lá coisa mais tesuda que passar um dedo no biquinho
e ouvir (mentalmente) ele a fazer TÓOIIIIINNGG  (?)
não há!
é panca total.

e muito mais coisas poderia continuar a discorrer acerca das lindas manas
(perdão - mamas)
mas tenho de ir almoçar que estou esfomeado de todas as maneiras


creio que se torna óbvio aonde é que fui beber um Martini

(que mulher malvada, irra)


sinto-me: a precisar de amamentação

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.tags

. todas as tags

.ESCOLHIDOS

. Alguma vez amaste uma mul...

. Trintonas e boas!

. Destinatário Ausente (Ree...

. O perfil masculino ideal ...

. Deixem as crianças em paz...

. raríssimas

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds