Segunda-feira, 15 de Outubro de 2007

intervalo - uma história



já me disseram várias vezes (quase sempre em ambiente de risota)
algo como o seguinte:
" - é pá... tu desatinas mesmo com essa coisa do endeusamento das gajas. "

quase nunca respondo, apenas sorriu.
no fundo, não é desatino pelo endeusamento em si.
não acredito em deuses...
e sinto-me muito bem com a minha condição de mortal



conto-vos apenas uma história


hoje em dia, trabalho porque quero - não preciso.
mas há uns meros dezasseis anos não era assim.
trabalhava num grande empresa, bastante impessoal, num cargo que nada me dizia nem realizava,
onde "engolia sapos" - mas era bem pago e precisava disso.

nessa grande empresa, com muitos departamentos, chefias, sub-chefias, muitos chefes e poucos índios... haviam dois ou três departamentos que eram mais cobiçados, que permitiam outros vôos, onde se ganhava melhor ainda, tinham mordomias, etc...

um desses departamentos era dirigido por um gajo execrável (mesmo para os outros gajos) que, por várias razões tinha um ego descomunal.
como profissional, não passava da mediania, mas... era bem falante, bem relacionado, maquiavélico, bom lambe-botas e... bonito (lá isso, era...) entre outras coisas.
um gajo cheio de qualidades, em suma.

era sabido (e mesmo ele disso se vanglorizava) que "menina" que entrasse para aquele departamento... ou tinha "pago" para entrar, ou "ia ao castigo" mais tarde ou mais cedo.

e era verdade !
a primeira merda nisto tudo... é que era verdade.
fosse porque as meninas queriam estar naquele departamento,
fosse porque se deixavam seduzir pelo garboso rapaz.
isto... apesar da fama do departamento e do seu director
ser por demais conhecida.
desde na permissividade da direcção central
até à simples fófoca de café.
tudo indicava que as excepções eram a senhora L (já entradota) e a MJ (que era "gorducha") e não espicaçavam a libido do moço - de resto, era conhecido pelo "departamento das boazonas".

certo dia, uma colega de outro departamento (bastante minha conhecida) para lá foi nomeada, por ter terminado um curso que a habilitava e por via de uma promoção (vinda de não sei quem).
várias vezes, eu e mais dois colegas, a alertámos para as "contingências" que o cargo poderia apresentar - meio na brincadeira, meio realmente preocupados.
ela, contudo, sempre desvalorizou isso - que eram mais basófias de cervejaria entre machos que outra coisa.

e para lá foi.
passaram-se uns três meses e ela (que continuava a almoçar com o "antigo grupo") lá ia gozando com a nossa cara, em como tudo afinal não passava realmente de conversas de machos da treta, ou mesmo de invenções da mulherada roída de inveja,  etc...

até que... chegou o dia.

chegou o dia em que, após vários avanços e outras tantas negas (período de que não nos apercebemos, que ela escondeu ao invés de desabafar) ela lhe deu um rotundo "não".

e não só disse "não" (aparentemente, mais do que uma vez) como fez queixa do "senhor director" por assédio sexual.
aquilo caiu que nem uma bomba !

seguiu-se um período de quase um mês em que se assistiram às maiores e mais diversas hipocrisias e "filhas-da-putice" - como se não fosse do conhecimento (quase) geral tudo aquilo de que aqui falo.
e finalmente a direcção central, muito "surpreendida" e "escandalizada", resolveu instaurar um inquérito... pelo "bom nome" da casa e pelo "bom ambiente" da empresa, blá blá blá.

desde a primeira hora que não concordei com a ideia - o assunto deveria ficar na esfera da direcção e dos dois envolvidos, mas, pretendia-se dar a ideia de "empresa progressiva" ou uma merda qualquer do género.
comissão de ética para cá, comissão executiva para lá...
ergueram-se estandartes, formaram-se grupos, definiram-se estratégias e afins...

as mulheres (salvo três ou quatro "traidoras") estavam num bloco pró-minha-conhecida.
os gajos... dividiam-se em três blocos, a saber e por ordem de grandeza : os que defendiam o "senhor director", os não alinhados e os pró-minha-conhecida (o mais pequeno: eu e mais dois).
venha o inquérito...





veio !
depois... "veio-se".

o "senhor director" ficou suspenso por três semanas.
(com vencimento pago na íntegra, sem perda de regalias)
um castigo "exemplar"
a minha conhecida foi transferida para outra dependência,
 para "seu bem".
(dependência a quase 60 quilómetros dali, onde "resistiu" três meses)
por mera coincidência... eu e os meus dois colegas começámos a ter a nossa vida cada vez mais complicada, cada vez com requisitos mais estúpidos, etc.
foi uma mera coincidência... que acabou em dois despedimentos por "justa causa"
e numa carta de demissão (minha).


contudo... isto não foi o mais triste (para mim) em tudo aquilo.
o mais triste foi vir a saber que...

... o principal crítico da minha posição foi um indivíduo no qual eu confiava plenamente, colega chegado ainda que um superior, que pensava eu que teria ficado no grupo dos "não alinhados" - que mais tarde se acercou com pedidos de desculpas, com desagravantes que metiam deveres de chefe de família e apelando para uma tal de "irmandade de homens" e etc...
creio que foi a primeira vez que, num local de trabalho, mandei alguém "levar no cu".

... no tal "bloco feminino pró-minha-conhecida" houve uma desmobilização total, de última hora.
parte para os lados dos "não alinhados" (género: não sei de nada, não tenho nada a ver com isso, nunca dei por nada) que entre outras incluía a totalidade das funcionárias do departamento em questão.
parte para um 4º grupo, bastante confuso, que preconizou várias coisas, como:
-
- que ele (o "senhor director") é que era assediado,
que elas é que se "ofereciam" para conseguir o lugar.
-
- que se o departamento tinha aquela fama,
porque é que ela (a-minha-conhecida) se tinha lá ido meter ?!
"quem anda à chuva, molha-se" e tal...
-
- que ela não devia era ter conseguido aquilo que queria
e então fizera queixa.
-
- que os que a defendiam (os 3 estarólas portanto)
deviam era "querer batatinhas".

e muitas outras "pérolas" que nem lembra ao diabo e que (curiosamente)
eram muito semelhantes às do "bloco masculino pró senhor director".

ainda há poucos anos, um ex-colega dessa empresa (por azar encontrado à beira mar numa férias) me dizia com "imensa sabedoria e bom-senso" que eu e os outros dois tinhamos feitos uma grande asneira em comprometer os nossos cargos por algo tão... frívolo.
não comentei - nunca tive paciência para gente estúpida e cobarde !
além do mais... estava com os meus sobrinhos
e não me convinha mandar outro levar no cu


é por esta e por outras (histórias) pelas quais já passei
ou conheci de perto que...
me é risível esse suposto "endeusamento feminino" !
da mesma forma que sempre achei idiota, agressiva e falsa
a tal "brotherhood of men"...



tudo muito bonito,
tudo muito sublime e idílico, enaltecedor e congregante
até a realidade nos cair, crua e pesada sobre a cabeça


sinto-me: bãh, que se lixe...
música: Não Dá - (Pedro Abrunhosa e os Bandemónio)

Quarta-feira, 10 de Outubro de 2007

manifestoANIMAL ( not sex )



porque considero importante !

que quem também o sinta, se assim o entender, passe palavra.





para ler o manifesto


para visitar o site
sinto-me: sereno
música: Brothers In Arms - (Dire Straits)

Domingo, 7 de Outubro de 2007

vaipe nº 732 e 1/2







descobri uma nova limitação minha

não sei como se fala de sexo à séria

com uma mulher que tenha o blog repleto de

ursinhos de peluche   e   corações cor de rosa

com pixéis cintilantes por todo o lado







ou são os ursinhos que me tiram o tesão
ou é a tão falada insensibilidade masculina

(tenho de me decidir)



sinto-me: distraído com outras coisas
música: Teddy Bear - (Elvis Presley)

Sábado, 6 de Outubro de 2007

férias - convite para jantar - I



nestas férias senti-me algo "pendular"
----> vai a sul encontrar-te com A
<---- volta para norte para estares com B
----> de novo para sul porque...

mas, como se costuma dizer...
quem corre por gosto, não se cansa



uma amiga estava quase em final de férias

uma visita que "me livrasse eu" de não fazer
( não era preciso ameaçar...)

já conhecia a sua "casita" de férias - não foi preciso gps

no dia em que pude aparecer e que ela podia receber
recebia também duas amigas suas - a quem eu não conhecia
não comecem já imaginar "cenas maradas"
(se querem disso.... comprem o SexyClub ou outro pasquim do género)
era apenas um jantar a quatro
(pelo menos... esta parte)


10º dia de viagem
ou... da arte de satisfazer três mulheres



(ao telefone)


ela - mas vens jantar connosco não vens ?
eu - sim, vou, prometo...
ela - mas fazes tu o jantar... (gargalhadas)
eu - tudo bem, qual é o problema ?!
(blá blá blá + blá blá blá - até que ficou combinado assim mesmo)
ela - que queres que compre ?
eu - nada... eu levo.
ela - ah, mas que bem.... tenho de te convidar mais vezes (risos).


chegado o dia

fiz as minhas compras de frescos e de vinho a preceito.
descoberta interessante : certos legumes estão a ficar mais caros que um ramo de rosas - este mundo está a ficar louco
isto de fazer jantar para três mulheres tem que se lhe diga


chegado ao sítio

ela estava deslumbrante !
deixou-me logo aparvalhado à entrada
( hummmmm meaammm)

apresentou-me uma das amigas que já havia chegado
( o que me deixou esperançado que aquilo afinal sempre fosse um desses contos do tal pasquim )
mui guapa...




( pintura de Christine Dumbsky )



hora de preparar o jantar

ela - de que precisas ?
eu - até ver... (c/ olhar malandro)... não preciso de nada.
ficou-se a sorrir
eu - preciso que saias da cozinha, se fazes o favor...
foi juntar-se à amiga na sala, que é separada da espaçosa cozinha apenas pelo grande balcão
(adoro aquela casa !!!)
enquanto fui fazendo os meus preparos, fomos conversando.
--> --> -->

a 1ª amiga - ahhh... é tão bom ver um homem na cozinha....
(risos e gargalhadas)
olhei-a, apenas sorrindo.
até que lhe dizia o que lhe faria na cozinha, dizia !!!...
mas a outra (a ela) é um "bocadito" para o possessivo
--> --> -->

a certa altura pretendi abrir uma das garrafas de vinho para regar a comida.
(e não só.... mas okay)
eu - onde está o saca-rolhas ?
perguntei depois de procurar em diversas gavetas que poderiam ser as respectivas.
ela - para quê ?!?
eu - acho que é para sacar uma rolha.... em princípio.
ela - que piadinha.... tens um restinho de vinho no frigorífico.
eu - mas eu quero deste vinho e não um restinho qualquer.
ela - ai a porra !!! (levantando-se)
eu - não preciso que mo venhas dar... só que me digas onde está.
fez "aquele olhar" esquisito...
(não sei quem lhe impingiu que aquilo é "ameaçador"...)
ela  - tá pendurado na parede... na despensa.
lá fui à estupidamente grande despensa.
felizmente estava logo à entrada.
senão lá teria de perguntar "aonde?", coisa que elas detestam...
eu - mas quem é que se lembra de pendurar um saca-rolhas na parede da despensa ?!? tens alguma coisa contra a gaveta dos talheres ???
ela... nada..... só se riu.
--> --> -->

estava quase pronto.
fomos conversando, o tempo passando.
a segunda amiga chegou.
(aparência um pouco "sofisticadérrima" para o meu gosto, mas simpática)

depois das apresentações voltou a vigorar a proibição de mulheres na cozinha.
apesar do exaustor, espalhou-se um suave aroma pela sala.
"perfeito", pensei...
a 1ª amiga - hummm, já me cheira... e bem.
a 2ª amiga - estou pra ver !!! (gargalhadas)
ela - pois... nunca fiando... homens na cozinha, é aquilo que se sabe.
tive uma vontade súbita de juntar o ramo de rosas no tacho...
eu - gostas de TelePizza ?
ela - eu ?!... não... porquê ?
eu - é o que vais comer se não paras com as boquinhas foleiras !!!
(risos e gargalhadas)
--> --> -->

a 2ª amiga - ele também lava a loiça ??? (risos, risos, risos...)
provocadora, a mocinha...
ela - lava !... levanta a mesa e tudo... é muito completo.
(bué de risos)
a 2ª amiga - onde o arranjaste ?... havia lá mais ?
(risos. gargalhadas, tosses...)
eu - não gosto da tua amiga.... tens cá 605-forte ?
(gritinhos e gargalhadas)
a 2ª amiga - calmaaa... tou a brincar... (risos + olhar malandro)
eu - eu sei !!!... (olhar ainda mais malandro)
...
eu - mas é verdade... sou muito completo... também dou massagens relaxantes antes do jantar e tudo.
(gargalhadas)
ela - é lááá, alto e pára o baile...
(eu disse !!!.... uma possessiva do caraças)

º

outro dos meus prazeres.

ver uma mulher comer uma garfada e ficar com ar ausente
de surpresa... ou quase de êxtase...
é como se o mundo parasse...
calando-se todos os sons...
enquanto ela saboreia
um "mmmm" deliciado é pura música



( pintura de Christine Dumbsky )



mais dois momentos:

a 1ª amiga - ai a minha dieta !!!...
a 2ª amiga - não está mau... não está mau...
tirei-lhe o prato e levei-o para a cozinha
(... "não está mau" ?!?...)
pôs-se a comer da terrina e foi uma gargalhada pegada

ela (com ar sacaninha para as amigas) - acho que vou pagar isto bem caro...
(risos disfarçados e abafados + olhares entre elas)
deixei passar... deixei assentar...
eu - ai vais, vais !!! podes crer...
(rebentou a gargalhada geral)
eu - e é em várias vezes... que isto é "cozinha de autor".



do resto... falamos numa próxima oportunidade


- site de Christine Dumbsky : apreciem -


sinto-me: (senti-me) muito bem
música: What's Love Got To Do With It -(Tina Turner)

Sexta-feira, 5 de Outubro de 2007

vaipe nº 0000001









sabes que....

olhei para a tua foto

e

veio-me o teu perfume
?


apetecia-me cobrir-te de pétalas de camélia



dorme bem


sinto-me: extasiado
música: Everything - (Mary J. Blige)

vaipe nº 4723



que porra é esta ?!

então e estas damas que se roçam no Ambrósio

olham para trás com um sorriso sacaninha e dizem

ah... desculpe... foi sem querer





sem querer... sem querer......
"sem querer" o caraças !!!


deviam era ir logo ao castigo


(se fosse ao contrário, levava logo uma galheta nos olhos)


ah... desculpe... sem querer deixei cair a mão nesse seu farto decote


PAAFFF (merda...)



mulher que fizesse isso devia ser condenada
a prestar-me um serviço social qualquer

tipo... aspirar-me a casa de biquini e saltos de agulha
ou coisa que o valesse
(uma semana - pelo menos)

menos que isso devia constituir uma falha grave
no sistema judicial português


estava o Ambrósio a dormir tão sossegado

e toma lá fresquinho...


que porra !!! agora tá com a espertina...








bãh.... não liguem... eu até gosto

sinto-me: assediado (felizmente)
música: Taste of Chocolate - (Rachel Portman)

Terça-feira, 2 de Outubro de 2007

intervalo (01)



história do dia
ou
"como a minha alma ainda fica parva por vezes"



venho de uma reunião no sul pela estrada nacional

perto de Grândola - toca o telemóvel

assunto sério  -  é preciso parar, para tomar algumas notas

há uma pequena reentrância no pinhal à beira da estrada

paro - falo - escrevo


"já agora...... aproveito e escorro a água ao bacalhau"

saio  -  faço o serviço por detrás do pinheiro

já na sacudidela, reparo numa pequena tabuleta

laranja choque - pendurada num outro pinheiro


acerco-me...... (curioso, sempre)

e vejo





tabuleta em plástico, letras bem pintadas (a seta nem por isso), com furo para pendurar no prego que (aparentemente) já lá estava

olho em volta - o pinhal é enorme - ninguém


CUMCARAÇAS
(pensei)

voltei para o carro

já a arrancar, vejo então um vulto feminino que se mostra

lá "para dentro" do verde



(ainda há coisas que me surpreendem)

sinto-me: pensativo
música: Burning Bridges - (Pink Floyd)

Segunda-feira, 1 de Outubro de 2007

férias - verdades incontornáveis



acredito que existem "verdades incontornáveis"


por exemplo...
se eu não quiser atrair atenções na rua, visto algo que não faça por isso
não preciso de estar "mal vestido"
nem que me sinta mal naquilo que trajo
basta-me entender o que poderá ocasionar "atracção" e evitá-lo

usar um fato cinzento pode ser boa ideia mas....
se for penteado à moicano também não resulta





8º dia de viagem
ora estando eu numa esplanada alentejana
vejo chegar uma mulheraça


quase no metro e oitenta, super bonzeada, com dois pernões magnificamente torneados que iam dos sapatos altos de agulha até à micro-saia
que quase (quase,quase) deixava ver tudo aquilo que (supostamente) pretendia tapar
um ventre bem tonificado, com um piercing brilhante no umbigo bonito
um top mesmo no "top" que mal tapava um par de mamas bastante volumosas (e rijinhas)
um pescoço alto e bonito encimado por um rosto comprido, atraente, emoldurado por farta cabeleira platinada e penteada à "desgrenhada"
(há um nome franciú todo giro para isso, mas não me lembro)
lábios carnudos, nariz fino, olhos...... não sei, estavam escondidos atrás dos óculos de sol (daqueles enormes, tipo olhos de vespa)

ou seja...
dentro das imagens publicitárias andava bem perto da "mulher perfeita", de sonho, super-modelo, blá blá blá... toda sedosa, firme, com tudo no sítio e nas proporções "certas" para fazer salivar os machos e ferver de inveja as fêmeas

por ela saber disso, vinha "vestida" a rigor para o realçar

fico sempre parvo com as exorbitâncias que custam aquele género de "trapinhos"
tão pouco pano, pouquíssima linha, quase nenhum trabalho a fazer......
mas okay, isso é outra conversa


mas como dizia...
mais do que uma mulher, era um reclamo luminoso
uma declaração erótica viva, móvel....
noutras gírias, "um autêntico avião"


ora...... até aqui, tudo bem !
ela queria mostrar
todos os gajos na esplanada (e na rua) queriam ver
(e elas invejosas - o que também deve dar o seu gôzo)

mas depois veio o que deu origem a este texto

ou seja...... veio o "cão do osso"
um género de cópia barata do David Beckam com cara de rotweiller, que rapidamente se atracou à mulheraça enquanto fuzilava toda a gente com olhar de mau

a mensagem "é MINHA, desolhem" era clara
a grande maioria obedeceu... desolhou
eu, como é meu costume, estava num ponto
de onde podia observar sem ser notado
(é o hábito)

contudo, um rapaz dos seus 18/19 anos estava literalmente "enfeitiçado"
para ele (pobre inocente) o rotweiller não estava ali
o seu olhar (visão periférica incluída) era totalmente absorvido por aquela escultura feminina
a sua expressão era de puro êxtase, de espanto maravilhado
a sério !

se eu fosse mulher e visse um homem olhar assim para mim.... derretia-me de alto a baixo

se aquela mulher estivesse comigo e eu visse aquele rapaz a olhá-la daquela forma, ficaria lisonjeado
era um olhar de "ma que bella" e não de "câboazona" o que, ainda que o desejo final seja mais ou menos o mesmo, não tem o mesmo cariz

bom...... mas o rotweiller não pensava da mesma forma que eu
topou o rapaz e não tardou a fazer a tradicional cena do "ainda não viste?!" e demais perguntas cretinas

ainda assim o rapaz continuava "ferrado" na visão
o que agudizou a coisa
que, por instantes, pareceu ir partir para a desinteligência

depois, a chegada de dois amigos do rapaz
a quem levaram dali para fora
evitou qualquer incidente passional de maior monta

uma certa atmosfera tensa ficou ali a pairar por alguns instantes

o rotweiller parecia aquele radar foleiro do Kit
de quando em quando....tziing, tziiing... lá fazia o seu varrimento "anti galanços" à sua propriedade

acabou reparando em mim (claro)
fiquei curioso
seria o rotweiller capaz de tentar vexar-me, como fizera com o rapaz ?
então, propositadamente, deixei-me ficar a olhá-la fixamente

não sou "cóboi"
mas sinceramente, estou cada vez mais saturado que seja a gente estúpida a estabelecer "regras"

mas não... o clone farsola do David Beckam acabou por des-colar

º  º  º


há gajos perfeitamente incoerentes e inseguros

se temos de aceitar um comportamento matcho daqueles... então que o cavalheiro seja matcho com a senhora e exija-lhe que não saia assim à rua
seja matcho mesmo, carago !!!  ali... mandão... e tal

mas não...
este género de matchos querem mostrar que andam com "uma granda febra", "muito melhor" que as dos outros, boas pra cacete das unhinhas dos pés à pontinha dos cabelos e etc
mas, por outro lado... ficam fodidos que outros olhem para a febra
e isto é incompreensível, "desculpem lá"......

seria bom que crescessem e formassem um carácter, ao invés de cultivarem imagens


atenção
não se julgue que preconize que, uma mulher assim, com um corpo daqueles, pelo facto de se vestir daquela forma tenha de se sujeitar a que a incomodem, assediem ou pior
nada disso !
mas pretender que não seja mirada e apreciada por olhares alheios, é pura parvoíce !

( talvez devesse escolher um melhor companheiro... acho...)


sinto-me: (senti-me) detesto rotweillers
música: My Way - (versão Nina Hagen)

férias - homens, carros, mulheres









7º dia de viagem
ali prós lados do alentejo


um casal amigo (que neste caso não identifico) estava de férias numa bela terra alentejana (que neste caso não identifico) e ali alugaram um “cantinho” estupendo (que neste caso não identifico, lol lol lol)


já não nos víamos há três meses (é verdade, o tempo voa…)

estava convidado a passar uns dias com eles

 

na segunda noite fizeram-se uns “comes e bebes fabulásticos” (lol) e encontraram-se com outras pessoas que eles também conhecem.

 

nesse grupo (hummm rnhaauuu) havia uma trintinha toda jeitosa, mesmo com arzinho de “oi, estou cá para me divertir – que propões?

os meus dentes caninos começaram logo a crescer…

 

ora…… eu era “convidado” e não apenas para a estadia, mas…… não me importava nada de arranjar um “buraquinho na agenda” para afiambrar naquele belo espécimen feminino


contudo refreei-me - nem sabia quem ela era


antes de eventualmente ferir a susceptibilidade dos meus amigos ou de cometer uma argolada enorme… fiz conversa, apalpei terreno, saquei informações, lol lol

 

lá acabei percebendo que pela parte dos meus amigos não se percebia o entrave, que a dama estava completamente livre e que (viva, viva, viva) a minha primeira impressão estava certíssima…

ela gostava MUITO de se divertir

 

okay…… coloquei o meu charme em acção.

 


º º º


mas… nada !


as minhas piadas não surtiam efeito

os meus olhares perdiam-se

os sorrisos falhavam o alvo

as minhas tentativas de aproximação foram todas rechaçadas…

uma hecatombe total… um pavor…


o mais que consegui foram uns “ai, sim?”

meia dúzia de “pois!!!” e diversos “hã hã”

(porca-miséria)

 

rapidamente percebi

que estava a segundos de ganhar “Chato” como apelido

lá parei com aquilo

fiz delete mental à trintinha e desviei o “charme” para outras bandas


º º º


mais ou menos uma hora depois houve quem precisasse de uma boleia para uma localidade próxima e dispus-me ao pequeno favor


já de volta, estacionei a carripana junto ao local do encontro

por acaso…… notei que a tal dama me viu a sair do carro

 

estando eu à conversa com esse casal amigo, veio ela juntar-se a nós


a mulher renascera !!!

emergida dos “ai sim pois hã hã” era agora pródiga em conversa, oscilando entre o coquete e o matrona......

e muito curiosa acerca da minha pessoa

 

- e que faz aqui o vosso amigo ?

fingiu perguntar ao casal, displicente, enquanto sorria para mim

 

- trafico substâncias ilícitas da Colômbia para o Alentejo.

respondi com o meu sorriso sarcástico nº 1

 

- ai sim ?!?  que interessante…

(a gargalhada cínica foi muito mal conseguida…)


 

“foda-se querida… podias ser um bocadinho mais subtil”, pensei

adoro ser “comido”, mas não assim !

 

o “que interessante”, aparentemente, foi-se esmorecendo e alguns minutos depois mudou de poiso


 

 

homens – carros – mulheres

 

 

« Os automóveis, para os homens, são símbolos fálicos, extensões do seu pénis »

 

é um pressuposto freudiano, com bastante de verdade, que muitas meninas gostam de usar em detrimento da masculinidade (sem que o entendam bem, na maioria das vezes) !

 

no entanto, muitas dessas meninas preferem o Bettencourt que tem aquele lindo mercedes ao TóZé que tem aquele fiat a cair de podre

parece que a ilusão peniana funciona nos dois sentidos portanto….

 

nada disto desmente o facto de que, para a esmagadora maioria dos homens o seu carro define (ou tenta definir) um status


o meu não é excepção e também define um status…. ao nível profissional

(no entanto adquiri-o por paixão – juntando o útil ao agradável)

se há um aspecto em que não faço estatuto com ele, é no sexual

 

gosto de sexo por puro prazer, gosto da conquista casual

mas gosto disso por aquilo que sou, que faço ou digo…

não pelas chaves do carro sobre a mesa

(que só por distracção lá ficam)

 

compreendo que quando apenas se pretende foder aquele corpo espectacular, o carrão parado lá fora possa ser uma afirmação pessoal e um argumento a usar

a sério que compreendo


eu também quero foder o tal corpo espectacular !

apenas que…. também quero que tal corpo queira foder o meu

ou que baste o meu sorriso ou tom de voz

 

é que, neste caso, tudo funciona ao contrário comigo

desmotiva-me severamente uma mulher mudar radicalmente de comportamento comigo se calha a perceber que carro possuo


é triste !

é uma razão tão pobre

para de repente se oferecer tão facilmente aquilo que antes se apresentava como algo a conquistar com galhardia

 


nessas ocasiões (e não são poucas) volto para casa com o meu objecto de paixão !


 


sinto-me: (senti-me) indiferente
música: Madame Butterfly - (Malcolm McLaren)

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.tags

. todas as tags

.ESCOLHIDOS

. Alguma vez amaste uma mul...

. Trintonas e boas!

. Destinatário Ausente (Ree...

. O perfil masculino ideal ...

. Deixem as crianças em paz...

. raríssimas

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds