Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

educação sexual na escola



quinta feira lá vou eu a mais uma reunião da Comissão de Pais da escola do meu segundo sobrinho.

“ordem de trabalhos” : ponto único – discutir a implementação de futuro programa para a educação sexual na escola.

 

vaipe (já para começar) :

a minha vontade é não ir !

 


a esperança numa (r)evolução é ínfima comparativamente à sensação de desperdício de tempo.

para mais, acredito veemente que os meus sobrinhos não precisam “daquilo”.

não é a primeira, não será a última – a todas que já nem conto e a que fui, o panorama acaba sendo sempre o mesmo.

mas vou, claro !...

 

é interessante que… nas reuniões da escola, em que os EE's (encarregados de educação) se reúnem com os DT (directores de turma)… se lá comparecer 1/3 dos primeiros, é uma sorte !

na anterior reunião da Comissão de Pais – que foi acerca de violência na escola, por alguns casos preocupantes que ali se deram – compareceram 21 EE’s (salvoerro), o que nem uma “turma” perfaz !

mas… sempre que há esta reunião, com este ponto em discussão, há uma afluência espectacular… até com crianças a serem representadas por ambos os progenitores.

 

todas as tentativas de aceitar um qualquer programa têm chumbado nas votações em que (arrisco a dizê-lo) uma maioria de pessoas que nunca vi presentes em nenhuma das outras reuniões vota… contra.

 

para mim, é minha opinião portanto… já de si, diz isto bem da verdadeira moralidade de muitos destes EE’s – que só se mobilizam para esta reunião em específico… para todas as outras, o acompanhamento dos educandos ao longo do ano, “não têm tempo, têm a vida muito ocupada”.


 

 


depois… há o ambiente que se gera nestas reuniões… que parece queijo seco, difícil até de cortar à faca… com todos estes soldados dos bons costumes a serem literal e quase provocadoramente agressivos para quem quer que seja que “se atreva” a ser a favor de um programa.

 

começam logo por partir do princípio de que o ensino de tal matéria irá excluir uma abordagem dos afectos.

é logo a sua pedra basilar.

inquirem se estará isso contemplado mas… com trejeitos de quem tem, de antemão, a certeza de que não estará.

 

muita vez, ainda ninguém sequer “abriu a boca” a esse respeito no âmbito do programa e já eles pretendem colocar em causa a moralidade do mesmo, o que diz da sua vontade em “discuti-lo”.

 

não têm nenhum plano, não fazem nenhuma ideia, não apresentam nenhuma alternativa ou solução.

como habitualmente, nem imaginação têm para construir uma “oposição”.

percebe-se isso ao ver-se que vão construindo contra-argumentos conforme se vão apresentando os argumentos – precisam de um para elaborarem o outro, que alguém lance um dado para colocarem um obstáculo.

por isso acho uma perda de tempo estar alguém a gastar neurónios a construir e a tentar validar qualquer argumento…

 

levantam questões estúpidas como “onde está a moral de ensinar o que é sexo oral a crianças de 9 e 10 anos ?” ou fazem gracinhas muito engraçadas como “depois, com tanta teoria, onde irão as crianças fazer aulas práticas ? atrás do ginásio, não ?!” de que se riem muito…

(pelos vistos… sabem o que se faz atrás do ginásio)

 

mascaram de “preocupação pelos filhos” as razões mais ridículas e os ataques mais agressivos e desrespeitosos que se imaginem.

com palavrinhas mais ou menos polidas lá tratam de mimar outros EE’s, professores ou qualquer outra pessoa que não concorde com eles com rótulos bem emporcalhados… mas claro, nunca apontando o dedo, com muito respeito e tolerância, “que são gente civilizada, ora essa !!!”.

assim, se alguém protestar... ou podem sempre alegar que se está a exagerar… ou podem usar a muito in expressãose a carapuça lhe serve…”.

 

são raras as pessoas que, nestas reuniões, sabem apresentar os seus argumentos “contra”, de forma honesta, humilde, pacífica, sem juízos !...

muito raras mesmo.

 

mesmo as alternativas, ocasionalmente levantadas, destes programas poderem vir a ser implantados como uma “opção”… à qual só iriam os alunos cujos EE’s autorizassem a ir (como outras disciplinas que existem)… foram sempre rejeitadas.

 

com pequenas variantes, a “razão” que sempre surge a contrariar é a de que… ir-se-iam originar grandes discrepâncias entre as crianças, entre as que iriam à disciplina e as que não…

mas… as expressões empregues e o tom do discurso fazem com que se “oiça” perfeitamente que:  não queremos as nossas impolutas criancinhas desviadas e contaminadas pelos vossos taradinhos sexuais.

 

normalmente, é em momentos destes que o “verniz mais estala”, que lá se vão as “palavrinhas polidas” e que se confirma, sem peias, que para esta gente… quem pretende dar a educação sexual são professores libertinos, quase suspeitos de apetites pedófilos, voyeurs, frustrados sexuais, etc…

os EE’s que o defendam… idem… é gente sem escrúpulos e negligente para com os seus filhos ou educandos.

 

também normalmente… é quando alguns dos “a favor” perdem as estribeiras e fazem um mau trabalho – infelizmente…

 

desculpem-me o “radicalismo” mas… quem achar que isto é “exagero” só se pode incluir numa de três hipóteses:

1 – ou nunca foi a uma reunião destas.

2 – ou está numa escola muito concordante e tolerante (que inveja…).

3 – ou faz parte do grupo que sempre alega que o é ! (exagero, portanto)

 

neste meu caso e no deste sobrinho em particular, posso acrescentar um pormenor curioso: a maioria dos EE’s que costumam ir a todas as reuniões, são… “a favor”.

 

a maior e mais inusitada afluência de EE’s que irei encontrar na reunião não será de pessoas com quem se possa debater abertamente o assunto !

irão ali, propositadamente, para vetar… para dizer “não”… para impor o seu moralismo aos demais, mesmo que ninguém lhes ameace semelhante coisa.

não vão “debater” coisa nenhuma !

vão ostentar a sua surdez e cegueira perante o mais válido dos válidos argumentos que possa ser apresentado e “garantir” que tudo ficará imutável.

 

depois… voltam a hibernar… até ao próximo degelo.

 

é por tudo isto que nunca nenhum programa avançou.

são estas pessoas as responsáveis por nunca se ter conseguido uma “educação sexual na escola”, digna desse nome, neste país !

não exacta ou somente os professores, as escolas ou o estado.


 

a maioria neste país continua a reprimir sexualmente a minoria !

 


( é hoje... fosga-se !!! )
sinto-me:
música: ... bãh

publicado por sextrip às 18:16
link do post | comenta a Trip | adicionar aos escolhidos
63 comentários:
De Purple a 21 de Fevereiro de 2008 às 19:21
Olá

Eu concordo com a educação sexual nas escolas. E acho que pais que fazem gracinhas dessas qualquer dia apanham com uma filha grávida ou como uma DST que podia muito bem ter sido evitada.
Se os paizinhos e as mãezinhas não tem tempo para falar com os filhos sobre isso, ou se tem vergonha, ou se pensam que os filhos vão ser virgens até a noite de núpcias (eu pensava que ia se virgem parao resto da minha vida LOL e de certa forma até vou ser (de signo)) estão redondamente enganados.
A minha mãe que é enfermeira não me ensinou nada verbalmente, mas deixou bem claro que se eu tivesse dúvidas poderia falar com ela. Deu-me livros. Foi ela que me deu a pilula (sem ser para fins de prevenção de gravidez, mas porque me ajuda a controlar o acne, e agora dá um jeitão porque tenho o dobro da protecção quando tenho relações com o meu namorado) e jáme estou a desviar do assunto.
A escola tem uma grande influencia na comunidade em que está inserida. Portanto deveria ter mais acções e campanhas de alerta para as DST e gravidez não desejada.
O ano passado uma rapariga da minha turma deu à luz. Ela tem 18 anos se não me engano. A familia dela deve apoia-la muito para ela conseguir manter a vida dela... Sinceramente não sei o que faria se isso me aconteçe-se.

O comentário está um pouco confuso não? eheh

beijinhos
os teus sobrinhos devem ser uns sortudos, com um tio destes


De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 11:19
« ... ou se pensam que os filhos vão ser virgens até a noite de núpcias »

ora... um pormenor muito interessante !!!
Purple... sem duvida alguma... para muitos pais, a ideia é NADA acontecer até que... filho ou filha deixe de ser sua responsabilidade, que case e saia de casa !
quando vão... respirar fundo !
é a forma destes pais acharem que fizeram um "bom trabalho" a criar e a educar os filhos.

eu... adoraria ser pai toda a vida e toda a vida ser responsável pelos meus filhos.
não entendo estas "metas" de pais exemplares.
é ambíguo isto que digo ?!... façam favor... deturpem à vontadinha...

« A minha mãe que é enfermeira não me ensinou nada verbalmente, mas deixou bem claro que se eu tivesse dúvidas poderia falar com ela. Deu-me livros. Foi ela que me deu a pilula... »

tu és jovem e... ainda que isto que vou escrever talvez não se aplique a ti... seria uma mensagem a passar aos jovens.
os jovens também têm já os seus tabus (adquiridos algures) e... de nada valerá ter pais liberais se não forem aproveitados.
acreditem que é muito complicado mesmo para uma mãe ou pai liberal querer falar de sexo com uma filha ou filho e conseguir fazê-lo.
e é de alguma forma "trágico" para um jovem não aproveitar essa vontade e esse esforço - porque se arrisca a regredir enquanto geração.

dar a pílula a uma filha é um pequeno gesto liberal.
que não se veja apenas ESSE... porque é fixe e tal...

que se leiam os tais livros que também foram dados, que também são um gesto liberal !
que se use essa predisposição para falar, para tirar duvidas, para colocar curiosidades ou receios.
aproveita bem a tua mãe.

vou-te contar um aspecto que ontem alguém falou.
disse essa pessoa que:
"os jovens de hoje, vão à net e têm toda a quantidade de pornografia que quiserem ver... que a net está fora de controle e etc..."
depois seguiu-se um chorrilho de ataques à net e outras coisas perfeitamente idiotas que me recuso a comentar.

ninguém me ouviu dizer que... na net, um jovem que realmente seja interessado e que também para isso o motivem... chega simplesmente ao google e pesquisa sobre toda e qualquer duvida que tenha.

que por exemplo, pesquisa "doenças sexualmente transmissíveis" e tem 317.000 iténs (mais ou menos bons, claro) sobre isso.
eu, aos 20 anos, morria de pavor dos "resquentamentos" (gonorreia) e não tinha para onde me virar... já não era coisa que falasse com a minha mãe (o tal nível de tabus) e a informação junto dos mais velhos sofria dos mesmos mitos e indefinições, não era credível.

há quem lute por vocês neste campo... para que tenham essa informação e essa formação (provavelmente, já só os vossos filhos é começarão a tê-las) mas... também parte de vocês, jovens, fazerem a vossa parte do esforço.

é coisa para se pensar... talvez para falar com amigos...

beijos


De Miss Bradshaw a 21 de Fevereiro de 2008 às 20:09
antes demais.....AMEIIII a imagem!!

kuanto a educaçao sexual,concordo que seja dada nas escolas visto os pais em casa continuarem a fazer disso tabu!
para eles é melhor a menina aparecer prenha em casa ou o menino a dizer que emprenhou alguem ,do que sentar-se com eles e explicar outras das funçoes dakilo que teem no meio das pernas!

xeguei a ter uma aulas dessas dada por um bacano da abraço....teve piada e ele soube do que falava,mas teve mais preocupado em dar um ar jocoso e light a situaçao,ddo que a explicar ralmente como as coisas se passam......axo k tmb é preciso ter mt "cuidado" com kem se escolhe para ensinar os meninos!!

bom post carissimo ;)*********


De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 10:44
« para eles é melhor a menina aparecer prenha em casa ou o menino a dizer que emprenhou alguem ,do que sentar-se com eles e explicar »

há vários tipos de pais e há vários graus de tabu nas famílias - não se pode simplesmente separá-los em "castradores vs liberais", ainda que acabe por parecer assim porque há uma luta entre os que querem liberalizar a situação e os ultra conservadores.
depois, no meio, há um miolo com relativa indecisão, que oscila entre uns e outros.

apesar de tudo, felizmente, há pais que não são muito defensores de uma educação sexual nas escolas mas que ficam também quase horrorizados com a verborreia dos ultras... são os que, lentamente, vão mudando de ideias... que talvez um dia façam a diferença.

mas sem duvida... nestas ocasiões estes "ultra conservadores" mobilizam-se (ou são mobilizados) e encravam tudo ! é a missão deles.
se depois lhes aparece uma filha grávida ou um filho que engravidou... deixa lá que, como sempre, encontrarão "alguém" a quem culpar disso !
ou o/a próprio/a filho/a... ou "as companhias"... ou os filmes com cenas de sexo... ou os jogos-vídeo... ou os professores... o estado... a Cicciolina... não interessa !
toda a gente menos... ELES.
eles é que não !... sempre foram exemplares...

« axo k tmb é preciso ter mt "cuidado" com kem se escolhe para ensinar os meninos!! »

evidentemente que sim... e desde há vários anos que estão criadas formações específicas para estas áreas e dirigidas para os professores.

curiosamente... em muitas escolas é dada a chamada "educação sexual" integrada na disciplina opcional de Moral e Religião.
mas, que eu saiba, nunca ninguém colocou em questão a "formação" que esses docentes terão para o fazer.
neste país... este simples e minúsculo pormenor, diz bem do que realmente se passa !

eu tive uma tímida abordagem à educação sexual nas aulas de moral e religião e devo dizê-lo... tímida mas bem apresentada e por uma professora excelente !
mas não é isso que está em causa !
o que está em causa são estas "pequenas contradições" que pouca gente aborda.

as acções de formação (como essa da Abraço) são diferente de um leccionar, como sabes.
quem vai dar essas acções está bastante condicionado naquilo que pode ou não pode expor assim como na forma de apresentação.
(e mesmo pelo tempo de que dispõe)
por isso se parte para situações mais "light", como dizes, mais informais e gerais, que (teoricamente) levantam pontas de véus, dão dicas, que poderão ser depois aprofundadas por quem lecciona.


De Miss Bradshaw a 22 de Fevereiro de 2008 às 13:58
sim rwealmente é um assunto mt mt tabu ainda.

compreendo k n seja facil falar com um filho sobre estas coisas,mas fogo é preferivel ter xatices mais tarde?
e alem disso....quando os nosso pais se abrem e falam cnnsc sobre estes assunto torna-se mt mas msm mt mais facil falarmos nos com eles!....infelizmente nao tive essa sorte.....




De sextrip a 25 de Fevereiro de 2008 às 17:17
« compreendo k n seja facil falar com um filho sobre estas coisas,mas fogo é preferivel ter xatices mais tarde? »

muita vez, a questão não é que "não se fale".
porventura "fala-se" mas... estás num país em que ainda se aposta mais na repressão do que na formação.
(ou pior... que se entende uma como sendo a outra... o que aliás se vê todos os dias e não é apanágio apenas do sexo e da sexualidade)



De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 12:45
« antes demais.....AMEIIII a imagem!! »

inbentei eu...
dá-me beijos, vá...



De Miss Bradshaw a 22 de Fevereiro de 2008 às 13:59


minha esperteza saloia!




De sextrip a 25 de Fevereiro de 2008 às 17:18
esperteza santarena, sff...

saloios é lá para a Malveira...



De sextrip a 21 de Fevereiro de 2008 às 22:48
a minha vontade era não ir...
a minha vontade era vir embora...
a minha vontade, neste momento, é não falar nisto...
vou dar uma volta... por outros blogues.
amanhã volto aqui...


De MissMe a 22 de Fevereiro de 2008 às 08:07
Bom dia,

Só por estas palavras se nota que correu como previsto, ou pior ainda, portanto, não deves estar surpreendido.

Eu acho que os pais que vão fazer número para o contra, porque a educação sexual vai trazer maleficios aos filhos, são precisamente os que jamais a farão em casa.
A possível vontade de uma futura prática (atrás do ginásio) não pode servir de argumento para pais que abordam o tema em casa.
O pensamento lógico de pais conscientes deveria ser algo no género: "Poderia até dispensar que o meu filho a tivesse, porque lha dou em casa, mas para quem não a tem, faz falta".

Acredito também que quem lecciona tenha a sensibilidade e formação suficientes para saber adaptar a linguagem e os temas às idades das crianças (obrigatoriamente, claro), como aliás qualquer adulto o fará com qualquer criança e em qualquer outro tema do dia-a-dia.

De qualquer modo, o facto de se debater essa opção nas escolas já é alguma evolução...
Veremos quem vence quem, ainda que pelo cansaço.
Até lá, eles descobrirão sozinhos o caminho das traseiras dos pavilhões... , mas sem preservativos no bolso.

Beijos.


De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 10:10
claro que correu "como previsto" !...

comecei logo por me chatear porque... numa reunião da comissão de pais está presente uma senhora, alegadamente do Movimento da Defesa da Vida.
mas a senhora é EE de algum aluno ?...
que não ! foi convidada a estar presente.
convidada ?!? mas convidada por quem ?
um "grupo de pais" convidou-a e a mesa aceitou...

ohhh pááá... vão fazer outro de anjinho, sff...

então "convidassem" as outras ONG envolvidas a também estarem presentes...
ou estariam todas, ou não estaria nenhuma.
a muito breve alocução da senhora foi... indescritível.
não imagino que formação terá a senhora para ir para ali falar em "convites inaceitáveis a comportamentos desviantes"...
um circo autêntico !

« Eu acho que os pais que vão fazer número para o contra [...] são precisamente os que jamais a farão em casa. »

por favor... não "aches".
conta com a certeza absoluta !

« Poderia até dispensar que o meu filho a tivesse, porque lha dou em casa, mas para quem não a tem, faz falta »

eu falo bastante com os meus sobrinhos sobre sexo e no entanto, nunca presumiria que não caiba à escola uma parte importante nesse papel de formação - são contextos diferentes, outras disposições e necessidades, outro género de prestar uma formação.

« Acredito também que quem lecciona tenha a sensibilidade e formação suficientes para saber adaptar a linguagem e os temas às idades das crianças »

é evidente que sim !... e isso sempre foi frisado pelos professores !...
mas com gente surda e cega, mesquinha ou manipulada, isso não tem qualquer valor ! são as tais "boas intenções de que está o inferno cheio" que gostam muito de atirar em cara.

« De qualquer modo, o facto de se debater essa opção nas escolas já é alguma evolução...»

só muito vagamente MissMe, muito vagamente !
pelo menos... nesta escola e naquilo que ontem se viu.
pois... dá a ideia que, o facto de se "debater" indica interesse, querer evoluir, etc, mas é tudo uma fantochada !

« Veremos quem vence quem, ainda que pelo cansaço. »

sim !... só mesmo "por cansaço" !...
anos atrás ainda tive esperanças numa qualquer "nova geração de EE's", mas já a perdi.

« Até lá, eles descobrirão sozinhos o caminho das traseiras dos pavilhões... »

como proverbialmente há sempre alguém que aluda e ontem, mais uma vez, não foi excepção : "no meu tempo não havia educação sexual e no entanto a vida fez-se".
há sempre um herói ou uma heroína do género nestas reuniões...


De MissMe a 22 de Fevereiro de 2008 às 11:21
Já li duas vezes e está a ser-me dificil compreender isto:
A representante do Movimento da Defesa da Vida É CONTRA a educação sexual nas escolas?!?!?! Que incoerência! Isso sim, acho ainda mais vergonhoso que os EE que levaram com 30 gerações de preconceitos e tabus e não sabem muito bem como reagir perante isto.

Essa do "no meu tempo" acaba-me sempre com os argumentos, porque se respondo a isto é sempre com algo pouco simpático ou que não conseguem assimilar, tipo "também não havia telemóvel e o seu, agora, ainda não parou de tocar", ou pior.



De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 12:24
« Já li duas vezes e está a ser-me dificil compreender isto:
A representante do Movimento da Defesa da Vida É CONTRA a educação sexual nas escolas?!?!?! »

raciocínio rápido à sextrip:

aos 10 primeiros nanosegundos : "esta não compreende ?!"
5 nanosegundos depois : "ahhhh... é a MissMe !!!"
(gargalhada estrondosa)
mais 5 nanosegundos: "sempre irónica a magana !!!..."

º

como se sabe... já na altura do referendo sobre o aborto foram confrontados com a questão e... "fecharam-se em copas".
não é novidade, nem coisa que já não se esperasse.

dizem que "não são contra !... exigem é a coisa feita como deve de ser".
claro que este "deve de ser" deles levará uns 50 anos a ser definido (com sorte....).

porém... devo dizer que... tanto aquela senhora podia ser do M.D.V. como eu da agência internacional da energia atómica...
não lhe vi credenciais algumas, nem tão pouco ficou muito claro quem, ou o quê, ela será no tal movimento.

pois se... se estavamos ali a discutir os intentos perniciosos de um "manual" que ninguém viu... (!) achas que se iam exigir credenciais à mulherzinha ?!?

(tu também, francamente... tchiiii... (no meu tempo não havia disto))


De MissMe a 22 de Fevereiro de 2008 às 13:01
Ganhei o dia!
10+5+5=20 nanosegundos! Há quem tenha mais dificuldade em entender o meu raciocinio (ou sentido de humor) ao fim de 20 anos! Lol.

"este "deve de ser" deles levará uns 50 anos a ser definido (com sorte....)."

Esta técnica é aplicada por tantos outros e em tantas coisas!
Vai-se empurrando o mais possivel, esquivando-se a tomar uma atitude e assumir uma responsabilidade para (finalmente, ufa!) se passar a batata quente ao próximo (que possivelmente fará igual).

Não resisto a contar isto:
Quando alguém me diz "no meu tempo não havia destas sem-vergonhices" (sexo pré-matrimonial), eu respondo:
-Ah,pois não! Deviam andar com pouca comichão por se andarem a rebolar nos campos do milho!
É remédio santo! Lol.


De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 09:40
não há solução !
a escola terá de continuar, como até aqui, a fazer "aquilo que pode", meio clandestinamente, muito insuficiente e aleatoriamente de forma "transversal" como se designa.
até Junho... não irão haver alterações e portanto... tudo ficará mais ou menos na mesma.

cheguei atrasado (quando vou contrafeito, tenho este problema) mas... não perdi nada !

desde que cheguei e até que fui embora, a discussão "martelava" no que já esperava...
o célebre manual para o programa de educação sexual na escola que... ensina meninos a bater punhetas, as meninas a coçar o grelinho e que convida todos a serem homossexuais.
foda-se... não há paciência !!!

onde está esse manual ?
ninguém sabe, mas existe...
quem o editou ?
ninguém sabe, mas alguém foi...
têm uma cópia ?
não, mas já houve quem o visse...
quem o viu ? onde se pode consultar ?
foram umas pessoas... a escola deve ter um, para consulta...
alguém pediu à escola para o consultar ?
... (...) ...
que importa isso ? o que é verdade é que existe... saiu este ano...

não "saiu" este ano merda nenhuma !
tudo leva a crer que esse dito "manual" não é mais que uma deturpação alarmista de conteúdos de um ou de vários manuais avaliados em 2005, feita por uma pretensa "organização de pais" e foi posta a correr em alguns meios de comunicação... e que continua a ter ecos sempre que se fala mo programa para educação sexual nas escolas.

não adianta discutir isto...
não discuto "merdas" sem uma base presente, palpável, visível para ser discutida !
não discuto um "manual" que não está ALI, não há sequer fotocópias dos conteúdos alegadamente menos éticos, não há... NADA.
não discuto um assunto destes na base do "ouvi dizer - fulano diz que viu - no jornal vinha que"...
vão pró caraças... aquilo é suposto ser uma reunião da Comissão de Pais... não uma discussão no café da esquina ou no tasco do bairro.

disse-o e fui embora... tenho mais o que fazer !

infelizmente... reitero este meu artigo, assim como o "moral e... moralistas"... não lhes altero nem uma vírgula.


De Maaf a 22 de Fevereiro de 2008 às 10:30
Conforme o mundo vai, com tantas doenças sexuais, pedofilia, etc etcs...tantos perigos para os miudos é MAIS QUE URGENTE a educação sexual!



De Maaf a 22 de Fevereiro de 2008 às 10:36
Estes pais tentam "proteger" os filhos de quê? Do inevitavel???
Não serão esses paizinhos tão santinhos são os maiores preversos da sociedade???
Se querem que os filhos estudem para que se preparem para um futuro profissional, não seria bom que estivessem preparados também para enfrentar o sexo de uma forma consciente???

Enfim. Viva Portugal e as mentes pequeninas!
O meu pai passa-se quando falamos sobre este assunto e passo-me com ele porque não evoluiu ainda para ver que é necessário preparar as crianças para tudo e não apenas para o trabalho!!!


De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 11:49
olá Maaf... bom dia

infeliz e tragicamente... não há "programa de educação sexual para encarregados de educação" !
pois que sem duvida alguma... muitos precisariam de uma... com urgência e com extensos efeitos retroactivos !

em muitos casos, bastam uma ou duas frases para se perceber o que (não) vai naquelas cabecinhas.

pelo menos para mim, quando um gajo afirma que "o estado ao querer ensinar sexo oral está a passar a ideia de que é coisa legal e que se pode fazer em todo o lado, mesmo na rua e que até já bem se vê nas praias"... diz-me TUDO acerca do tipo de gajo que é, do sexo que faz, da moral e do carácter que tem e principalmente... da formação sexual que dá aos filhos em casa !

depois começa-me a apetecer questionar estes gajos, ali mesmo, usando as suas próprias barbaridades e... acabo, feliz ou infelizmente, por achar que é melhor não.
são gajos que dizem ali o que dizem no tasco, julgam que não há diferença e comportam-se da mesma forma.

já me bastam certos desatinos que por vezes tenho nas reuniões com o DT, que esses sim, não "largo".


De Maaf a 22 de Fevereiro de 2008 às 15:23
bem... Quem disse isso deve ser cá um prato!!!!


De sextrip a 23 de Fevereiro de 2008 às 19:41
é !!!...

é prato de pézinhos de porco de coentrada...


De Infiel a 22 de Fevereiro de 2008 às 22:29
Tenho um sobrinho com 10 anitos que não tem educação sexual na escola

No caminho, dentro do carro, diz-me ele:
"Tia, já sei bater uma punheta!" - com a voz mais feliz deste mundo
olhei-o pelo retrovisor e vi o seu sorriso
- "Ah é!? e explica lá á tia como é que isso se faz?"- como se ele me estivesse a dizer que tinha feito uma gelatina
- "Tão... toca-se no pirilau para cima e para baixo"
- "E depois o que é que acontece?" - tento manter o mesmo nível de voz, como se fosse a coisa mais natural deste mundo ( eu só vejo o meu sobrinho em cada 6 meses, mais coisa menos coisa)
- "depois acontece nada, é só isso!" - com um tom de conclusão

Tal como que aprendeu a diferença entre pai e padrasto com uma colega que também tem 2 pais

A inocência era visivel, ele não tinha ideia do que estava a falar

A escola existe para formar pessoas, para as ajudar a pensar e a saber ou assim deveria ser...
Tudo o resto já foi dito

Jocas aos dois



De sextrip a 23 de Fevereiro de 2008 às 19:48
« com a voz mais feliz deste mundo »

ahahahah !!!

« - "Ah é!? e explica lá á tia como é que isso se faz?"- »

tchiiiii...que cuscaaa...

« A inocência era visivel, ele não tinha ideia do que estava a falar »

há crianças que pagam essa inocência com uma bofetada e a advertência para nunca mais dizer "essas coisas".
este é o "programa para a educação sexual na família" que ainda está em vigor em muitas casas portuguesas.


De perfumedevioletas a 22 de Fevereiro de 2008 às 11:31
Parece-me obvio que quem precisa de educação sexual são as próprias famílias. Os miúdos, ainda que muitos tenham a cabeça cheia de ideias retorcidas sobre o assunto (originadas no psudo-puritanismo da treta dos pais ou na promiscuidade em que muitos também vivem) são mais inteligentes do que os pais pensam. Quando os assuntos são tratados de uma forma natural a miudagem percebe e nem brinca com o assunto.

O problema é que as próprias escolas morrem de medo dos pais e mesmo que saibam que é absolutamente essencial avançar com um programa de educação sexual para os seus alunos, permitem-se andar com discussõezinhas de merda e votações da treta e reuniões que não servem para nada. Não há família alguma que discuta os programas de português, matemática ou história! Na volta é mais grave não conjugar correctamente o verbo "foder" (cuja utilização é generalizada até pelos mais púdicos! espante-se!) do que explicar a miúdas de 11 anos que o sexo anal não é uma forma de contracepção. Digo eu...


De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 12:42
ora... bem vinda

pelos vistos, nem "nos conhecemos" e abordámos exactamente a mesma questão.

obviamente que a educação sexual aos EE's iria ser um falhanço (já é tudo "doutores")... por isso mesmo é que se pretende dá-la aos filhos... na esperança que hajam EE's mais elucidados e mais bem formados no futuro.

« Quando os assuntos são tratados de uma forma natural a miudagem percebe e nem brinca com o assunto. »

verdade !...
ou mesmo que brinque (que não há mal nisso) já é outro tipo de brincadeira, apreendida com outro valor, feita com outra disposição.

« O problema é que as próprias escolas morrem de medo dos pais...»

esse argumento tem vindo a "morrer".
pois os pais que concordam com os programas já não permitem também que isso seja verdade.
e nem todos os professores também são a favor, atenção.

« permitem-se andar com discussõezinhas de merda e votações da treta e reuniões que não servem para nada. »
infelizmente... "servem" para alguma coisa.
mas atenção, esta foi um reunião da Comissão de Pais.
haverá ainda a do Conselho Pedagógico... (ainda não sei quando) e a essa... não faltarei, nem me atrasarei, exigirei provas daquilo que se está a discutir, credenciais de eventuais convidados e etc.
é, digamos, ligeiramente diferente.

« Não há família alguma que discuta os programas de português, matemática ou história! »

verdade !...
recuemos no tempo e vamos ver quem exigiu que a educação sexual tivesse de ser sujeita a estes sufrágios.
algo me diz que... não terão sido pais e EE's a favor de uma formação deste género...

« Digo eu... »

e disseste bem...
grato pela visita


De VTT a 22 de Fevereiro de 2008 às 14:45
Mais uma vez critica aquilo que não sabe. Esse manual existe e páginas dele foram mostradas no jornal Expresso. Assim como descrições dos exercícios que os professores devem fazer e que mexem com a privacidade das crianças.
Se o M.D.V. foi a essa reunião foi fazer o seu trabalho legal e autorizado pelo estado, que é de informar e preparar os pais. Se a Abraço e a A.P.F. na verdade se preocupassem com este assunto também lá teriam ido. Vê-se quem é que se preocupa na verdade.
Não compare o que é ter filhos e ter sobrinhos.


De velhotas@sapo.pt a 22 de Fevereiro de 2008 às 15:07
Para começar as minhas desculpas.

Tenho ouvido/lido muita asneira...(eu também digo varias) vá lá errar é humano !

Mas benzo deus meu caro senhor.....

Até o António feio e o Zé Pedro faziam melhor na conversa da treta!

Até me fez lembrar a minha mãe... (sabia claro) "Parir é dor criar é amor," ou não sabia?

Embora aqui não me pareça o caso .


De sextrip a 23 de Fevereiro de 2008 às 20:02
« Até o António feio e o Zé Pedro faziam melhor na conversa da treta! »





De sextrip a 22 de Fevereiro de 2008 às 15:48
« Esse manual existe e páginas dele foram mostradas no jornal Expresso. »

também vi essa edição.
páginas, não ! algumas ilustrações.
não vi uma única página inteira.

« Assim como descrições dos exercícios que os professores devem fazer e que mexem com a privacidade das crianças. »

não vi nenhuma ilustração dos textos que definissem esses exercícios - apenas constavam em letra de artigo.
percebe a diferença entre uma coisa e outra ?

talvez o vosso conceito de "privacidade das crianças" tenha a mesma intensidade de "imagens violentas" que aplicaram ao pingo de sangue que servia para ilustrar a menstruação no vídeo "então, é assim"...

também na altura em que passou na RTP 2 não disseram que era "pornografia infantil" ?...
o problema das vossas alegações sem comprovação é serem aceites de braços abertos por uma maioria que não questiona, não exige saber e perceber... alguém alarma e eles seguem, repetem, alarmam por sua vez.
mas isso... um dia é capaz de acabar.


« Se o M.D.V. foi a essa reunião foi fazer o seu trabalho legal e autorizado pelo estado, que é de informar e preparar os pais. »

vou-lhe explicar melhor...
os protocolos que em 2004 (salvoerro) foram firmados com as três ONG's para promoverem a educação sexual nas escolas davam realmente essa função (promover) à M.D.V. junto do pais e encarregados de educação.
(a designação por extenso, oficial e correcta... só para que saiba... é esta : "pais e encarregados de educação")

ou... houve ali uma qualquer contrapartida "mal parida" da parte do governo, ou... a M.D.V. assumiu outras coisas a "promover" (é só o que eu acho...).
porque realmente, não me parecem as coisas promovidas de maneira nenhuma !

aquilo que eu ontem presenciei... dificilmente se pode considerar "promover" o entendimento de um programa para a educação sexual.
só se for na sua óptica...
e não sei em que pé estão esses protocolos que darão tanta legalidade e autorização àquilo que vi e ouvi.
(é estranho, no mínimo)

de qualquer forma... poderia ter alegado que "foi um convite e a M.D.V. aceitou... quanto aos outros, a M.D.V. nada tem a haver com isso !"
teria sido mais inteligente da sua parte !
ainda que, lhe posso contrapor que... sugere uma certa imposição que só se tenha sabido desse convite naquele preciso instante...
deveria ter constado, logo à partida, na carta que se recebe, junto à ordem de trabalhos por exemplo.


« Se a Abraço e a A.P.F. na verdade se preocupassem com este assunto também lá teriam ido. Vê-se quem é que se preocupa na verdade. »

desculpe mas... a Abraço, tanto quanto sei, nunca fez nenhum protocolo com o estado.
(tanto quanto sei...)
apareceu aqui, no blogue, mas a propósito de um comentário de uma leitora.

as ONG's originais eram:
o Movimento de Defesa da Vida (MDV),
a Associação para o Planeamento da Família (que foi quem mais trabalhou nos programas)
e a FACCS, Fundação de Apoio à Comunidade Contra a Sida (salvoerro), que julgo só operava no mundo universitário.


« Vê-se quem é que se preocupa na verdade. »

sim... vê-se que são muito preocupados !...
resta saber, com "o quê" exactamente.


« Não compare o que é ter filhos e ter sobrinhos. »

não comparo não senhor...
mas não será nunca com pessoas como você que explicaria o quanto não comparo !

neste caso porém... em que essa observação é idiota e descabida... faço-lhe notar a designação por extenso, oficial e correcta a que aludi lá mais acima... que você e toda a gente tem de respeitar.

e apenas lhe digo que, a nível nacional, não chegam a 15% os pais e encarregados de educação que acompanham por inteiro a vivência escolar dos seus filhos ou tutorados.
o que me dá direito a dizer-lhe : não se comparem os meus sobrinhos a muitos negligenciados filhos que existem neste país.


« Mais uma vez critica aquilo que não sabe. »

você comete, exactamente, o mesmo erro de muitos "paizinhos" e mesmo de alguns professores !


De velhaseboas a 22 de Fevereiro de 2008 às 14:53
Cada um de nós tem pontos de vista diferentes sobre as coisas.

Já tinha feito referência a este mesmo assunto ao comentar um anterior post teu.

Como referi na altura é complicado e vai continuar a ser porque no meu ponto de vista é um pau de dois bicos... Se a introdução há sexualidade é dada na escola sem o consentimento dos pais é um drama com “manifestações contra etc... se por outro lado a escola optar por participar aos pais e pedir opinião a coisa complica mais.(vira uma feira)com opiniões surreais.

Sou mãe, o meu filho hoje tem 24 anos, mas também já foi criança e adolescente, não me considero uma super mãe (quando muito igual a milhar de outras) também lhe expliquei a tal história da “sementinha” são as tais primeiras curiosidades..(nunca a da cegonha) curiosidade das crianças começam em tenra idade e existem varias forma de se conversar a verdade é a mais fácil a franqueza ,quando fazem as perguntas têm sempre condições de ouvir a resposta .na minha opinião é tentar ser simples e conciso, muitas das vezes tentamos vencer o constrangimento (não sejamos hipócritas as crianças tem o dom de nos deixar assim algumas vezes) dando detalhes e voltas... eles sabem quando a resposta é verdadeira ,nada com utilizar o tom de sempre e linguagem (corrente).

Na escola (Dos Castanheiros em Caneças) também se levantou esse problema há uma boa mão cheia de anos atrás ( que eu tenha conhecimento) com fracos resultados , ou seja nada foi feito.

Lembro-me que o meu filho teve um professor no 5º ano ( de português) que pedia aos alunos para deixar as dúvidas escritas que não precisavam de assinar que ele na aula seguinte tirava as dúvidas para a turma inteira.

Que que eu tenha conhecimento é só, não sei se ainda hoje se passa assim ou existe algo mais... como disse o meu filho já tem 24 anos, na altura lembro-me que ouve um burburinho coisa ligeira... (nas reuniões de pais ninguém comparecia) que prontamente foi sanado pelo interesse dos miúdos pela matéria.

Consigo entender perfeitamente que para muitos pais seja complicado falar abertamente com os filhos..
É uma questão de mentalidade, educação, muitos não se sentem à vontade nem com a sua sexualidade quanto mais falar sobre isso com os filhos...

Por esse motivo a (sexualidade) deveria ser uma disciplina a fazer parte do currículo. (digo eu..)

A escola ensina mas a (educação) deve começar em casa hoje em dia é mais fácil para os educadores oferecer uma tv para o quarto dos pequenos porque assim os meninos não chateiem com perguntas .

As hora das refeições quando feitas em conjunto é a olhar para a caixinha... (quando se conversa..??)

E não me falem em falta de tempo... quem tem filhos tem que fazer opções... menos uma viagem ou menos um móvel mas um filho mais acompanhado faz a diferença.

Quanto ao facto de se ir para trás do pavilhão (normalmente de educação física) não me parece que venha dai grande mal ao mundo... não sei se será competência da escola ou dos pais que seguramente também já o fizeram (e muito) explicar aos meninos/as que se o fizerem como o devem fazer...

Antes uns beijos e ums amassos atrás do pavilhão que fumar uns charros...

Preparar um filho para a vida não é fácil...temos que nos por na (pele) deles muitas vezes para que nos tomem como iguais, ai sim é mais fácil a comunicação...

(possivelmente estarei errada quem sabe.)

Peço desculpa se me alonguei ou se fugi muito ao tema.




De sextrip a 23 de Fevereiro de 2008 às 12:08
( uaáááaaa... bom dia... (noite de copos...))


« Já tinha feito referência a este mesmo assunto ao comentar um anterior post teu. »

pois já... e conforme escrevi na altura, tinha o artigo para colocar e alguns pontos de vistas eram semelhantes.


« Se a introdução há sexualidade é dada na escola sem o consentimento dos pais é um drama com “manifestações contra etc... se por outro lado a escola optar por participar aos pais e pedir opinião a coisa complica mais. »

como a Perfume de Violetas referiu... não se discutem programas de matemática ou de português (não se discute nenhum outro aliás)... porquê discutir este ?!

bom... todos sabemos porquê... porque "o sexo é a disciplina com mais envolvência social, porque a família tem uma palavra a dizer", blá blá blá...
cá para mim (acho-o já há uns anos), alegou-se essa necessidade para se conseguir exactamente isto : oposição, entrave constante há dezenas de anos.

como se pretende que pessoas que fazem do sexo aquilo que na sociedade ele aparenta ser (pecado, degeneração, nojo, etc), que numas conveniências o acham "primordial" e noutras o acham "desprezível", que no seio da sua própria família o consideram assunto proibido, senão maldito, venham depois a aceitar programas que afinal irão contrariar todo essa estagnação que defendem e perpetuam ?!?

quem teve a ideia de colocar esta condição para aceite da disciplina, da duas uma, ou é um idiota chapado, ou é um dos tais !
(não me venham para aqui falar em "democracia"...)

os "números", como de costume, variam conforme o quadrante... tempos atrás (há 2 anos, creio) deram-me precisamente uma folha com as discrepâncias que rodeiam este assunto.
já a procurei e infelizmente não encontro, mas recordo-me que... o estado dizia que se leccionava E.Sex. em quase 90% das escolas... enquanto a A.P.F. alegava que em apenas 1/5 das escolas ela estava realmente implantada e organizada.
não importa se a ideia é mentir ou puxar "brasas a sardinhas"... a verdade é que, no estado em que as coisas estão, ninguém sabe ao certo esses números.

para uns, explicar a genitália e os processos reprodutivos é q.b. como Ed.Sex. - para outros não.
portanto, uns têm uns números, outros têm outros números.
a verdade é que, realmente, enquanto não houver um programa implantado à escala nacional (como outra disciplina qualquer) isto é impossível de quantificar !

a realidade actual continua, grosso modo, a ser a mesma da do teu filho há mais de uma década atrás... os professores "desenrascam" a coisa, um pouco à sua maneira, um pouco como seria se houvesse programa, algo como quase "às escondidas dos paizinhos"... inventam-se termos específicos e ideias satélites que na realidade em nada resultam... quer dizer... uma autêntica barafunda.

pessoalmente acho... esta situação é ainda pior e mais confusa para as crianças !
implante-se um programa, coloque-se como disciplina opcional - quem quer, inscreve os filhos, quem não quer, não inscreve - ponto final !
é nesta base que continuo a dizer : há repressão social (sexual) neste país !
senão... expliquem-me qual a "complicação" do que acabei de expor.

porque lá vem a tal "maioria" de paizinhos que até isto chumbam.

na escola do meu sobrinho mais velho, 14 EE's sob a ideia de um deles, que é professor (mas noutra escola), apresentámos um verdadeiro plano para que isto, a disciplina opcional, fosse criada.
já passaram 3 anos e nem uma resposta nos foi dada.
(deve lá estar para uma papeleira a ganhar pó...)




De sextrip a 23 de Fevereiro de 2008 às 12:42
« mais fácil para os educadores oferecer uma tv para o quarto dos pequenos porque assim os meninos não chateiem com perguntas »


ou deixam-nos horas e horas com a "corneta enfiada" na playstation...
mas depois... havendo oportunidade... são esses os primeiros a protestarem contra a violência na televisão ou os malefícios dos jogos vídeo...
a base é sempre a mesma, só são "pais extremosos" e "cidadãos exemplares" quando podem puxar o lustro à hipocrisia !


« As hora das refeições quando feitas em conjunto é a olhar para a caixinha... »

isso é porque os programas que passam nesse dito "horário nobre" das refeições é extremamente edificante, pedagógico e de uma moral irrepreensível !...
estás a criticar gratuitamente...


« E não me falem em falta de tempo... »

é evidente que há falta de tempo para ir às reuniões !!!... já viste a que horas fazem aquelas coisas ?!? às 19:00/19:30 ?!? lembra a alguém ?!?...
a esposa tem de fazer o jantar para o maridinho, que está de "saída tardia" com os colegas, ou há o compacto da telenovela X, ou não dá porque o atlético madrid-barça começa às 20:00 no sport-tv...

e para quê ?!?!? não me dizes !?...
então eles, a escola, não manda a cartinha com as notas e as faltas ?!?
é preciso ir à escola para se saber se há que afincar uns sopapos no puto porque teve más notas... ou dar-lhe outro jogo da playstation porque melhorou a francês ?!?
isso é tudo burocracias dos professores pá...



De sextrip a 23 de Fevereiro de 2008 às 13:04
« Quanto ao facto de se ir para trás do pavilhão (normalmente de educação física) não me parece que venha dai grande mal ao mundo... »

pode não vir... pode não vir...
ainda antes de se discutir essa questão, levantam-se outras, curiosas porque essenciais a esse respeito.

de certa forma, poder-se-ia resumi-la a um (1) exemplo:
o cavalheiro que agora usa isso como bandeira, muito provavelmente, ia para detrás do ginásio com a Aninhas... sabe bem o que ali sucede... mas agora tem uma filha que anda na mesma escola... e como, para ele, o que fez na sua juventude foi dar "umas quecas numa gaja que era uma granda vaca"... não quer a filha debaixo dessas rebaixarias.

digam o que disserem... isto existe !
e há mais exemplos... não apenas com mentalidades masculinas... mas este basta.

basta para se perceber que... o que está por detrás deste género de argumentos, não é o sexo que se possa fazer por detrás do ginásio ! é a mentalidade e a visão fecal que se tem acerca dele !


« Preparar um filho para a vida não é fácil...temos que nos por na (pele) deles... »

é difícil de pedir isso a quem vê um filho como uma "propriedade" !...

bfs...


De velhaseboas a 23 de Fevereiro de 2008 às 22:49
Os filhos nunca são nossa propriedade, são-nos confiados para que os criemos o melhor que pudermos e soubermos são um empréstimo que a vida nos dá .

E temos que os educar para uma vida cada vez mais competitiva e que cada vez exige mais.

O que falta a muitos pais é conseguir ver nos filhos um ser humano ,com vontades próprias ,direitos , opiniões.

Não custa ,garanto que não ,parar para ouvir , tentar ver o mundo do ponto de vista de um filho ..Isso pode fazer a diferença pela vida fora.
(É muito bom ter um filho como um amigo)

Alguns pais tem tanto que aprender com os mais novos… eu continuo a aprender com o meu e não me envergonho de o dizer.

Aqui o tema foi a sexualidade como poderia ser outro qualquer porque formar e educar um filho passa por isso e por muito mais .

(Tenho que confessar que na ultima parte do meu comentário foi incluído um pequeno “desafio”)
Boa noite.


De sextrip a 24 de Fevereiro de 2008 às 16:20
questionar a expressão/sentimento "o filho é meu !" em tudo o que implica em termos de significado e limites não deixa de ser um assunto dilemático.
e se as pessoas nunca se questionarem acerca desse respeito de que falas pelo ser humano, com vontade, direitos e opinião própria de que falas não vão perceber este problema de "propriedade" !

aqui sim, alguém me poderia agora perguntar como é que posso falar disto, com que direito o abordo, se não tenho filhos.
e eu poderia alegar outras coisas, nomeadamente o que é aquilo de que tanta gente fala e que dá pelo nome de "pedagogia"... que não é matéria exclusiva para quem tenha filhos (que eu saiba) e que até, pelo contrário, não parece ser coisa muito bem manipulada por muitos pais.
depois... teria de expor aqui algumas situações nesta triangulação "tio/sobrinhos/pais" para explicar certas opiniões que tenho e... isso é que está completamente fora de hipótese !

« Aqui o tema foi a sexualidade como poderia ser outro qualquer porque formar e educar um filho passa por isso e por muito mais. »

não !... não "poderia ser outro qualquer" !

este assunto surge aqui, exclusivamente por estar relacionado com sexo (e tudo o que o orbita) e por ser uma experiência pessoal, um testemunho na primeira pessoa de algo que se arrasta há década e como Encarregado de Educação dos meus sobrinhos.
outros aspectos do meu relacionamento com os meus sobrinhos nunca aqui serão abordados !

sei muito bem que formar e educar um filho vai muito além do UM aspecto, mesmo que esmiuçado, da sua vida.
não preciso que ninguém mo diga !
além de que, muito simplesmente, nunca foi coisa que reivindicasse.

agora... que há filhos extremamente mal formados e educados é uma realidade !... portanto, colocarei sempre em questão certas "arrogâncias" de progenitura !

gostaria sim... que certos pais que por vezes tanto se sentem indignados ou ameaçados com determinadas posições de pessoas que não são "pais", ao invés de se insurgirem logo com as suas atitudes de "indignação", de "lesados na sua pater/maternidade"... pensassem melhor as suas posturas e atitudes como tal.
isso sim, gostaria !
ser-se pai é uma coisa, saber-se sê-lo é outra... creio !


De velhaseboas a 24 de Fevereiro de 2008 às 18:01
((« Aqui o tema foi a sexualidade como poderia ser outro qualquer porque formar e educar um filho passa por isso e por muito mais. »

não !... não "poderia ser outro qualquer" !))

Eu disse AQUI foi.
Generalizando.. mas poderia ser outro qualquer porque se não me falha a memoria e não estou tão velha quanto isso, quando se fala de sexualidade envolve sempre outras coisitas mais.... é muito abrangente.( a menos que eu já esteja taralhouca )


(sei muito bem que formar e educar um filho vai muito além do UM aspecto, mesmo que esmiuçado, da sua vida.
não preciso que ninguém mo diga !
além de que, muito simplesmente, nunca foi coisa que reivindicasse.)

Calma…não tenho pretensão a tal, dizer a quem quer que seja como se educa ou deixa de educar ainda não é a minha especialidade.
Se assim o entendes-te azar não posso fazer nada para te mudar a opinião . somos livres para ler o que está escrito da forma que melhor nos convier.

Lamento se foi assim…
Paz :))




De sextrip a 24 de Fevereiro de 2008 às 18:41
não se trata de simples conveniência...

« Aqui o tema foi a sexualidade como poderia ser outro qualquer »

além da sexualidade portanto... como "aproveitamento escolar", "explicações de matérias", "civismo", "orientações em trabalhos escolares", "liberdade/responsabilidade" e N outras coisas mais que podem não ser tarefa exclusiva de pais mas que, no entanto, não me parecem grandemente discutíveis aqui... ou despropositadas pelo menos)

« porque formar e educar um filho passa por isso e por muito mais.»

nunca questionei tal, são meus "sobrinhos" não meus filhos...
no assunto deste artigo... para além da minha opinião pessoal (que qualquer um a terá, mesmo que não tenha filhos) dou a minha visão como Encarregado de Educação.

« (Tenho que confessar que na ultima parte do meu comentário foi incluído um pequeno “desafio”) »

na sequência do comentário final do idiota do VTT e tendo em atenção o carácter desta última parte senti-me "desafiado" a discorrer sobre as muitas "confusões" que se pretendem acerca do meu papel de "tio tutor".
discorri para "o geral", não para ti especificamente.
as minhas desculpas se não fui suficientemente claro nesse aspecto

se entendi mal o "desafio" que lançavas... peço então que o clarifiques melhor.
(eu, sinceramente, julguei que era aquele que referi... talvez me tenha precipitado)


De velhaseboas a 24 de Fevereiro de 2008 às 19:14
Sem desculpas porque não existem motivos .

Existem diferenças entre idiotas... uns são VTT ou seja anónimos ,outros comentam deixando o nome ou seja assinando por baixo. (é o meu caso)
Conheço o teu blog em retribuição de uma visita tua ao meu e nunca deixei de ser clara em tudo o que digo ,ou pelo menos tento..

Não sei se és tio tutor (soube agora) nem me parece que algum tenha alguma coisa a ver com isso , podes muito bem assistir as reuniões escolares dos teus sobrinhos por um motivo de ausência dos pais... o que não faz de ti tutor ,bom mas isso é o que menos me importa.

Achei foi despropositada uma parte do teu comentário porque em lado nenhum fiz referencia ao facto de seres tio /tutor/pai ou seja o que for muito menos fiz alguma insinuação que te poderia ensinar a educa-los.

Mas já que se fala nisso e sem falsas modéstias ( e embora tenha sito expulsa de dar aulas de catequese na paroquia cá da aldeia) poderia explicar algumas coisitas sim, a certos educadores da treta que existem por ai...

Com desafio ou sem ele por a minha parte o assunto está sanado .

Tambem peço desculpa se me expliquei mal

Boa tarde
P.M


De sextrip a 25 de Fevereiro de 2008 às 16:30
- 1 -
apenas chamei idiota ao VTT.
porque o é !

- 2 -
« podes muito bem assistir as reuniões escolares dos teus sobrinhos por um motivo de ausência dos pais... o que não faz de ti tutor »

foi isso exactamente que referi.
a minha relação com os meus sobrinhos não será aqui explicada - alguém especular acerca dela não é problema meu !
em lado nenhum se lê que me considere "tutor" deles pelo simples facto de ir às suas reuniões da escola... portanto...

- 3 -
o "despropósito"... já expliquei... surge em virtude disto:

« Não compare o que é ter filhos e ter sobrinhos. »...

observação idiota e costumeira de quem, com um argumento sem aplicação neste aspecto espera calar as opiniões que não lhe interessa !

mas é verdade... deixei-me arrastar.

o assunto do artigo é sobre a implantação do programa de educação sexual nas escolas e sobre os seus detractores e opositores.
assunto que pode receber opiniões de quem quer que seja, desde alunos, pais, não pais, professores, tios, etc...
se a lei me permite ser o E.E. de um sobrinho e com isso ter direito de voto em substituição dos pais e em representação da criança... ponto final !

devia ter dado o exemplo e devia-me ter cingido a isso.
mea culpa...

- 4 -
tudo bem... ainda que fique sem perceber afinal qual era o desafio.


De MissMe a 22 de Fevereiro de 2008 às 15:21
Sextrip, desculpa que te diga, mas aquela do(a) VTT insinuar que o Estado se preocupa com as nossas crianças foi mais hilariante que todas as minhas piadas juntas!!!
(Já a parte final mostrou qual era o verdadeiro propósito do comentário).


De sextrip a 23 de Fevereiro de 2008 às 13:11
o/a VTT é um daqueles casos de malta que pesquisa a net em busca de resultados que apenas espelhem a sua opinião (talvez para coleccionarem, pendurarem na porta do frigorífico, não sei...) e quando encontra um artigo que não confira com isso... "dão uma" de conhecedores, de informados e tal.

há muitos... aí pelos forums dos jornais e afins, onde eles podem "brilhar" com as suas tiradas.


De MissMe a 23 de Fevereiro de 2008 às 13:49
Menos mal... enquanto busca também se instrói...
Bom fds.


De sextrip a 24 de Fevereiro de 2008 às 15:43
é uma das coisa mais belas que o sermos inteligentes nos proporciona : a vontade constante de desejar aprender, conhecer, saber !
mas há uma condição primordial para que isto suceda : ser-se humilde.

há pessoas que tomam isso quase como um vício... quanto mais aprender, mas querem, mais procuram, sempre insaciáveis.

outras, são o oposto... só procuram "provas" de que já sabem tudo.

bom domingo


De MissMe a 24 de Fevereiro de 2008 às 17:14
Adorava que um dia escrevesses algo com o qual eu discordasse... mas ainda não foi desta.
Lol.
Bom domingo para ti também :)


De sextrip a 25 de Fevereiro de 2008 às 16:35
na altura, não te respondi a isto :

(Já a parte final mostrou qual era o verdadeiro propósito do comentário)

exactamente !
e infelizmente... deixei a minha afectividade falar mais alto neste aspecto.

não volta a suceder !

é uma daquelas situações, como alguém disse algures, que um "barda merda" bem português deve ser a resposta mais "educada" que se merece ouvir.


De MissMe a 25 de Fevereiro de 2008 às 17:43
Desculpa que te diga, mas não tenhas ilusões de que "não volta a suceder".
Quando frases daquelas têm como objectivo apenas chatear ou provocar, é dificil resistir à resposta ou à emotividade que pretendem tocar.
Sabes que mais? Eu tenho pena é dos maridos (ou mulheres) que têm de aturar pessoas assim tão... cansativas!


De sextrip a 26 de Fevereiro de 2008 às 01:25
o "não volta a suceder" era para o meu envolvimento nas resposta.
claro que quanto a "não voltarem a suceder comentários" como aquele, não me iludo !...

« Quando frases daquelas têm como objectivo apenas... »

pois... mas já houveram outras e eu não me envolvi.
foi deslize, desta vez...

« Eu tenho pena é dos maridos (ou mulheres) que têm de aturar pessoas assim tão... cansativas! »

eu não...
que se lixe... aturem-se !...
quanto muito, lamento os putos que crescem nessa atmosfera e que, muita vez, vão reflectir isso no seu carácter e ser outro tanto no futuro...
mas isso faz parte da vida, certo ?


De MissMe a 26 de Fevereiro de 2008 às 08:17
O meu "não tenhas ilusões" também era para o teu envolvimento na resposta, que em relação a comentários com 2ªas ou 3ªas intenções, claro que não vão deixar de existir. (Falo de comentários de BTTs)

"que se lixe... aturem-se !..."

Tadinhos!... Lol.

Os cachopos de agora são espertos!
De novo, tenho mais pena das futuras mulheres/maridos que vão ter de aturar estas sogras/sogros!
Lol.


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.tags

. todas as tags

.ESCOLHIDOS

. Alguma vez amaste uma mul...

. Trintonas e boas!

. Destinatário Ausente (Ree...

. O perfil masculino ideal ...

. Deixem as crianças em paz...

. raríssimas

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds