Terça-feira, 18 de Março de 2008

caminhos



olá a todos...


como alguns sabem, tive um problema de saúde na família...
àqueles que não sabem... tratou-se de um problema com a minha mãe.

depois de algumas questões anedóticas...
depois de mais uma vez se confirmar que neste país, cada vez mais, terá direito a bons cuidados de saúde quem tenha dinheiro...
está a situação estabilizada !

a minha mãe está em boa recuperação.

agradeço, muito sinceramente, os mails que recebi
e a vossa preocupação que sei ser franca !





entretanto... a carga profissional tornou-se quase asfixiante e... não só a motivação para aqui vir tem sido nula (o que peço que compreendam)... como também ando sem qualquer tempo livre e pessoal (népia, zip, zero...).
nem sequer para... (arrãããmmm...)  you know !!!...

tem sido dormir e trabalhar...

mas... como a fotografia sugere... há sempre caminhos
e conto que em breve esteja de volta ao vosso convívio.
pois é verdade que sinto falta "disto" e de muitos de vocês !



beijos
abraços

e tudo de bom para todos vós !


sinto-me: cansado...
música: Bleed It Out - (Linkin Park)

Sábado, 26 de Janeiro de 2008

beijos estonteantes




hoje foi dia de “tampa”.

é verdade, também levo “tampas”.

não há infalibilidades, julgavam o quê ?!

 

hoje era o 3º round, lol…

e dado que fora ela a telefonar…

a expectativa era grande.

parece-me natural, não ?!

 

jantar… e já uma hora de bar.

estava tudo “certo”.

iríamos para casa dela.

que preferia sentir-se em casa

mas obviamente que…

por mim… lindamente !

 

os beijos foram estonteantes

(sem duvida !!!)

o corpo muito insinuante

a reagir muito bem às minhas mãos

que era só um aperitivo…

interromperam-nos…

rimos, brincámos… voltámos.

 

mais um pouco de bar

para não dar muita bandeira

mas claro… sem stress.

estivemos de conversa no grupo.

nada de extraordinário.

nada de anormal.

 

fui ao carro buscar a câmara fotográfica.

tiraram-se umas fotos no grupo.

fui ao wc.

fui ao bar buscar duas bebidas.

nada notei de estranho…


 



 


 

foi de repente… juro !

- que tens ?

- hum… nada, nada…

não percebi o trejeito.

mas também não valorizei…

parecia que ia ao balcão.

nada perguntei.

volta de repente e diz:

- olha, esquece… o que querias não vai acontecer !

fiquei a olhar para ela… calado…

espantado, admito, claro !

- esquece… esquece…

tornou ela com maus modos.

- está bem !

disse eu apenas.


acho que foi ao wc…

que foi isto ?!?

perguntei a mim próprio

sem qualquer esperança de resposta.

depois…

vejo-a vir dos lados do wc.

já de mala na mão, passar ao longo do balcão, ir embora.

 

é verdade que tive um impulso de ir atrás dela.

mas não !... lamento… não.

 

aproximei-me do grupo.

com alguns cubos de gelo na cabeça, confesso.

ainda fiquei atento ao telemóvel…

talvez um telefonema curto, uma mensagem…

algo que me explicasse.

mas não... nada.

- onde está a XYZ ?

perguntou um amigo

- acho que foi embora… não se despediu ?

- foi ?!... não... não se despediu…

- então não sei !...

- deve ter ido lá fora… se calhar, telefonar…

- é capaz…

pouco depois…

- que aconteceu pá ?!

(pois… ele notou…)

- se queres que te diga… não faço a mínima !...

- mas ela foi embora ?

- parece-me que sim !

- mas… que disse ela ?

- olha… nada que me faça perceber.

 

acabei pois… por vir embora.

já passei em revista…

todas as palavras, todos os gestos,

até os olhares…

não escreva mais uma letra, se percebi o que aconteceu !

 

telefona-me ela, para nos encontrarmos…

“arrasta-me” ela para um canto e…

(enfim… interromperam-nos o "aperitivo")

preferia ela sentir-se em casa, mas

mais um pouco de bar, para não dar bandeira.

e…

o que EU queria não ia acontecer ?!?

 


enfim…

há vezes em que me engano, pronto !...

 

a observação que muitos farão, já eu a fiz várias vezes

“ alguma coisa aconteceu ! que foi ? “

 

não… faço… a mínima… ideia !....

 

sei que não vou atender amanhã no telemóvel,

a simples explicação que devia ter sido hoje.

e ainda há quem não entenda

o “esquecer e passar a outra” ?!?


passe bem… faça o mesmo.



( se vier a perceber... prometo que conto )


sinto-me: sonolento (finalmente)
música: Concerto para violino n.º 5 em lá menor -( N. Paganini )

Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2007

Ana #01



em 2006
por esta altura do ano
manhã de um sábado muito chuvoso





acordei… Ana não estava a meu lado.

apurei o ouvido…

estava na casa de banho.

 

a almofada tinha o perfume dela…

os lençóis tinham… os nossos.

gostei, sorri…

 

era a primeira vez que ela vinha a minha casa…

e também não costumo receber…

mas… soube-me bem…

aqueles outros sons além dos meus.

 

ela apareceu…

vinha com o meu roupão…

meio apanhado de um lado, meio rojando do outro…

parecia que tinha… “encolhido”.

ri-me por isso…

 

ela percebeu e riu-se também…

- gostas de mim, porque sou pequenita… indefesa…

disse, fazendo aquele beicinho pateta.

 

fiz apenas que sim… com ar de lobo mau.

 

num gesto teatral… deixou cair o roupão.

é baixa, de anca larga… mas com um tónus de meter inveja.

e depois… aqueles mamões… mamma mia !!!

o seu orgulho e a minha perdição.

 

- vem aqui para dentro… está frio.

 

deu uma risadinha…

pôs as mãos nas ancas… meneando-se provocadora.

- mentiroso… não está frio nenhum !!!...

 

(raios... para a próxima desligo a porcaria do aquecimento)

 

- está bem… mas vem cá que te quero mostrar uma coisa…

- o que é ?... é um boneco ?...

- é !... é um bonequinho careca… vem cá…

- é uma tataúga ninjica ???

- isso mesmo !...

 

agarrei-a pela cintura, puxei-a para mim e para dentro dos lençóis…

já tinha água na boca quando me atirei àquelas belas mamas...

ela ria-se, gritava, debatia-se…

como se quisesse que eu a largasse…

o seu corpo morno e macio roçando-se no meu…

pôs-me de pau feito num segundo.

 

agarrou-me nele...

- larga as minhas meninas ou quem paga é “ele”… ameaçou.

- não largo !... consegui dizer entre chupões… ela ria-se.

começou a “bater-mo” enquanto gemia entre apalpões e lambidelas

 

os dois, debaixo da roupa da cama… à luta.

entre gemidos, roncos, risadinhas e gritos…

devia ser uma cena  bem gira em vídeo !...

(nada daquelas mornices do BB…)

 

acabou por se pôr de barriga para baixo…

braços apertados ao corpo, pernas fechadas com força…

negando-se com risinhos de malícia.

 

muito as mulheres gostam desta brincadeira !!!...

claro que… para criaturas que sofrem de cócegas crónicas...

não escolheram uma estratégia muito eficaz.

(eu acho que elas gostam é de cócegas, mas pronto…)

 

pouco depois já a possuía como ela mais gosta.

de barriguinha para baixo, cuzinho arrebitado

e eu bombando que nem um desalmado…

(nem sei como ela aguenta comigo… lol)

 

é das poucas “mulheres barulhentas” que me dá tesão por isso.

quanto mais barulho faz, mais louco eu fico !

(e ela sabe…)

um vizinho que acorde com os gritos dela…

só tem que se considerar um felizardo…

e se tiver uma mulher a seu lado, vai comê-la pela certa !

(mas claro… há enconados que querem é sossego, já se sabe…)

 

é puro tesão !!!

em forma de gritinhos, gritos, uivos e sei lá que mais…

além disso ordena e pragueja as coisas certas…

nos momentos certos.

 

se diz “esporra-.te… já

eu cumpro !...

é ordem impossível de ignorar.


 

depois… arquejante...

diz das coisas mais doces que um homem pode ouvir !

 

se fosse “isto”… “aquilo” que dizem…

"que os homens querem-nas taradas, mas depois, querem-nas dóceis"

bem… então…

eu seria um desses homens e ela, assumidamente, uma dessas mulheres.

 

acabámos ambos ofegantes, aos beijos, gozando a acalmia…

(e o silêncio… lol)

 





 

devo ter “mergulhado”…

pois vim ao de cima a ser beijado com doçura….

com ela deitada sobre mim… fresca, do duche já tomado…

(sacaninha…)

 

- e pequeno almoço… vai ?  perguntou.

- deixa… eu faço…  respondi, com intenções de me levantar.

- não… deixa-me eu fazer… tens ovos ?

- ovos ?!?...

Riu-se.

- deixa-te estar… eu vejo o que tens no frigorífico.

- tá…

 

levantou-se… vestiu a minha camisa…

(adoro que uma mulher faça isso !!!)

saiu do quarto…

 

eu estava a precisar de um duche… saí da cama… sentei-me à beira.

ela voltou…

 

- ãããhh… antes de ir lá para dentro… há… hummm… algum sítio onde não queiras que eu mexa ?

 

fiquei a olhar para ela, meio surpreso.

admito que… gostei da pergunta.

poderá parecer descabida…

no meu/nosso caso nem necessitaria de ser colocada…

porque já nos conhecíamos havia algum tempo e tudo o mais, mas…

gostei, pronto !

 

- não fiques assim… foi só uma pergunta…  disse ela rindo-se.

- chega cá…

abracei-a pela cintura, acariciei-lhe as nádegas e beijei-lhe o umbigo…

- se já mexeste no dono, podes mexer na casa…

soltou uma gargalhada e “despenteou-me”…

 

- mas olha que… cada gaveta em que mexeres é “uma destas” que levas !...

avisei… acenando com a cabeça para a cama…

riu-se muito, soltou-se de mim é lá se foi aos pinotes… feita gaiata.

 

fiquei a pensar na pergunta…

sorri-me…

peguei no que precisava… fui para o duche.

 

ao passar para a casa de banho, algo me chamou a atenção no corredor.

 

todas as gavetas do armário que ali tenho… estavam puxadas para fora.


 


são oito…

 


sinto-me: hummmm !!! não digo
música: Pearl the Singer - (Elkie Brooks)

Sexta-feira, 16 de Novembro de 2007

vaipe nº 0000004 - yesterday...











sabes o que em ti me faz delirar ?


 

 

é que… mal te meto a mão entre as pernas…

 

já esses bicos ameaçam “romper” a blusa !!!

 

esse peito arfa com violência


os lábios ficam-te brilhantes, carnudos !!!

 

ficas a cheirar a calor quente e húmido !

 

os meus dedos quase pingam…

 

é impossível não te querer “estraçalhar toda”

 

estejamos onde quer que estejamos !!!

 

vira-te… sussurro, ordeno, obedeces…

 

 

caramba mulher !!!

 

tu adoras ser comida por mim !

 

dás-me cabo da cabeça !

 

transformas-me a vaidade em tesão


tão dura que até dói !

 

 



arranhaste-me as costas todas, doida !!!

 

(mmm… adoro)


 


sinto-me: arranhado
música: qualquer coisa da Nina Hagen...

Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

homens especiais (link)



porque deveras adorei...

porque o meu ego gostou...
(porque me sinto "especial" por vezes também)

porque vai sendo raro "ouvir" uma mulher falar assim de homens...

porque está "sentido"...

e também... porque não o consigo incluir nos "escolhidos" - não sei porquê.



excerto do artigo "Aos homens especiais deste mundo" de Marta,
uma menina escondida atrás de uma máscara...




Os homens, esse ser tão presente e tão distante!

Tão simples e tão complicados!

Tão fortes e ao mesmo tempo tão medrosos!

Esse ser que enfrenta com a maior das facilidades outro homem ainda maior, ainda mais forte, que enfrenta o maior dos animais selvagens, que enfrenta as guerras, as armas, os monstros marinhos e as tormentas, que enfrenta o desconhecido, mas que por vezes tem tanto receio em enfrentar a mais frágil das mulheres!

Não há nada de mais delicioso do que ver um homem a brincar com uma criança!

Não há nada mais espectacular do que ver um homem fazer festas a um cão!

Não há nada mais bonito do que ver uma lágrima de um homem escorrer-lhe pela face!

Não há nada mais doce do que descobrir a sensibilidade de um homem duro!

Não há nada mais sentido do que uma carícia meiga de um homem!

Não há nada mais respeitoso do que um homem dar-nos um beijo na testa!

Não há nada mais calmante do que a preocupação de um homem para connosco!

Não há nada mais protector do que a ternura dos seus abraços fortes!

Não há nada mais angustiante do que os silêncios de um homem!

Não há nada mais reconfortante do que aquele telefonema simpático quando menos esperamos!

Não há nada mais romântico do que o simples gesto de um homem abrir-nos a porta do carro!

Não há nada mais saboroso do que ele dizer-nos que estamos lindas!

Não há nada mais delirante do que um homem dançar connosco!

Não há nada mais excitante do que o olhar profundo de um homem quando fazemos amor com ele!

Não há nada mais libertador do que um homem fazer-nos rir!

Não há nada mais entusiasmante do que ver um homem sorrir!

Não há nada de melhor do que um pedido de desculpas sentido de um homem depois de nos fazer chorar!

Não há nada mais amoroso do que ele simplesmente nos perguntar se estamos bem!

Não há nada mais encorajador do que a força de um homem!

Não há plenitude maior do que partilhar o nosso mundo com o deles!



blog "Atrás da Máscara"

espreitá-lo ------>  AQUI





sinto-me: ... bem ! ....
música: When a Man Loves a Woman - (Percy Sledge)

Quarta-feira, 7 de Novembro de 2007

férias - engordar



um encontro, uma conversa...
pensamentos que levei na bagagem... ( #01 )
pensados, repensados...
postal ilustrado, telefonema...
e-mail...








é verdade... engordaste.


não te vou dizer que "ohh... não senhora!!!"...
não vou ser hipócrita contigo,
num fingir que não vejo o que é patente
e que tu sabes.

mas vou-te dizer que exageras
e vou-te dizer algo mais, ainda que o saibas sobejamente

que não tem cabimento
essa "preocupação" perante mim !

acaso viste algum espanto desagradado nos meus olhos ?
acaso me ouviste alguma palavra de circunstância ?
acaso sentiste nalgum momento qualquer constrangimento em mim ?

deixa-me responder por ti
não se podem ver, ouvir, nem sentir coisas que não existem !

eu sei que sabes !...
já lá vão anos... não semanas.
mas então... pergunta a ti própria :

achas que irias sentir...
menos fulgor nas minhas mãos ?
menos desejo nas minhas carícias ?
menos ternura nos meus beijos ?
menos ganas no meu tesão ?
menos verdade nos meus olhos ?


queres... primeiro... voltar "ao que eras".
tu o dizes... eu discordo.
apenas engordaste... não deixaste de ser o que és !
não cedas aos clichés.
não deixes que "nos importe" isso.
não me fales em decepção, quando sabes tu muito bem
o que me faz decepcionado com quem quer que seja !

não percebes o quanto as tuas próprias palavras te são nocivas ?
acaso julgas que não saiba o que é a auto-estima ?
sei ! e tu sabes que sei...
e sei o que é mais capaz de a agredir.

faz a tua dieta, monta o teu programa...
eu compreendo.
mas exclui apenas... o que há para excluir.


percebi o que aconteceu.
mas tenho de te dizer que era escusado.
não fui embora frustrado... fui "aguado".
(lol... que é diferente)
teria preferido provar-te no desalinho dos lençóis
o quanto estavas enganada !



21 de Agosto de 2007


º


viste... como nada se havia perdido ?




sinto-me: risonho...
música: Nights In White Satin - (Moody Blues)

Domingo, 4 de Novembro de 2007

crime travestido de arte




mais uma vez... não é de sexo que se trata...



recebi um mail da Culturgest com um conteúdo que me revolta.

não vou discutir este assunto aqui porque acredito que deveria haver um debate entre bloguers mas... que se deve concentrar o mais possível esse debate - que quanto mais disperso for esse debate menos conclusões se poderão tirar.

assim... porque o CrestFallen abriu um artigo sobre este mesmo assunto e nele expõe aquilo que eu exporia, vou fazer o seguinte:

vou colocar parte do conteúdo do mail que recebi (aquilo que importa)...
vou fazer link ao artigo do CrestFallen...
vou cancelar os comentários a este meu artigo...

espero que as minhas razões sejam compreensíveis para todos vós e avanço-vos já que aquilo que se discute é bastante chocante.


---||---



bem que podia ser uma brincadeira mas não o é

esta besta que não tem outro nome pegou num cão vadio e deixou-o
morrer à fome e sede numa galeria de arte – era um dos trabalhos da
sua exposição...

esta besta vai ser o representante da costa rica na bienal
centroamericana,  honduras 2008.

a não ser que as assinaturas sejam tantas que a direcção da bienal
"mude de ideias"...

vamos tentar que isso aconteça?

em nome do cão, em nome da nossa dignidade como pessoas... não se
deixa um animal morrer à fome como obra de arte...



Gabinete de Comunicação

Culturgest

Telf: 21 790 54 54
Fax: 21 848 39 03
www.culturgest.pt


---||---

um artigo que prezo :


"Eres lo que lees". A frase, escrita com biscoitos de ração para cães, foi colocada na parede branca de uma galeria de arte. Junto a essa parede, preso por uma corda e um fio de arame, foi deixado ao desprezo um cão de rua, abandonado e doente. A alguns metros foi colocado um incensário onde, alegadamente, se queimou crack e cannabis durante a inauguração. Sem água e alimento, o animal morreu na própria galeria durante o dia seguinte.
Passou-se na Nicarágua. Tratava-se de uma "instalação" do artista costa-riquenho Guillermo Vargas, conhecido como Habacuc.
A situação, denunciada pelo El País e documentada em várias imagens, tem merecido enorme divulgação na web e deu origem a uma petição online contra o seu autor que reúne, no momento em que escrevo estas palavras, perto de 50.000 assinaturas.

O assombro generalizado por este gesto cometido em nome da arte lançou uma discussão acesa sobre os seus limites. A questão não é nova. Desde que Duchamp assinou um urinol e o intitulou de "La Fontaine" que se debate o que é, afinal, a Arte. A piada centenária parece entretanto ter perdido a graça. Na sociedade do relativismo cultural o grotesco tornou-se uma demanda crítica. De vacas serradas ao meio conservadas em monólitos de fibra acrílica a diamantes encastrados em caveiras humanas, a produção artística contemporânea vive refém das lógicas do seu tempo. A arte tornou-se lugar para a execução de função do gesto estético. Tudo se submete à performance.
Que a arte se tenha de submeter a todo o tipo de degradação é uma triste consequência do desespero em ser visível. Uma arte demitida de qualquer desígnio que não seja a captura de atenção. De tanta pedrada no charco, os "artistas" tornaram-se patéticos denunciadores da hipocrisia alheia. Sob o manto da irreverência e a crítica não resta mais que moralismo seguidista.

Eis, então, Habacuc, o grande moralizador. Pelas suas próprias palavras afirma que " o importante para mim era a hipocrisia do povo: um animal torna-se o foco de atenção quando o ponho num lugar branco onde as pessoas vão ver arte, e não quando está na rua morto de fome".
Quando questionado sobre a razão para não utilizar outra forma de exprimir a sua mensagem, a desumanidade é total. "Recordo o que vejo… O cão está mais vivo do que nunca porque continua a dar que falar".

Não é preciso ser defensor dos animais para perceber o grotesco intelectual em que tudo isto vive. A exibição da morte de um qualquer animal em nome de mais uma pedrada no charco inútil. Habacuc contra o mundo, aos seus olhos carregados de preconceito onde todos seremos hipócritas.
Em nome do desígnio de mudar o mundo, ou de nos mudar a todos, célebres tiranos promoveram os maiores genocídios da história. A Habacuc, em nome de atentar contra a nossa hipocrisia, restou o poder de matar um miserável cão das ruas de Manágua. A arte, essa, já morreu há muito.

in Ideias no Escuro, 23/10/2007


ao "grande moralizador" Habacuc gostaria de dizer cara-a-cara... que antes de me chamar hipócrita, que se olhe no espelho !


ira para artigo
"Petição Online", de CrestFallen


sinto-me: ...
música: ...

publicado por sextrip às 19:16
link do post | adicionar aos escolhidos
Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

vaipe nº 0000002



fazes tiro com arco, é ?

sim, é.

humm, desporto invulgar.

sim... em Portugal é.

quer dizer que... tenho aqui um Robin dos Bosques.

êuu... sou mais para o Guilherme Tell.

.lol.

queres experimentar aquela cena da maçã na cabeça ?

( sorriso )

arriscas ?

lol... sou mulher de arriscar.

ora bem... e eu de fazer petiscos.

(gargalhada)







a d o r o     m u l h e r e s      e s p i r i t u o s a s   !



sinto-me: la la la lala laraaaa la la la
música: Irresistible - (The Corrs)

Domingo, 21 de Outubro de 2007

férias - convite para jantar - II




havia sido uma noite muito divertida e bem disposta

as duas amigas já haviam ido embora

- agora és só meu

disse ela, pondo música



 

10º dia de viagem
ou... da arte de satisfazer um homem

 

 


apreciou-a pela enésima vez

tinha um ar feliz no rosto – que lhe dava brilho

o cabelo curto, à garçonette, acentuava-lhe a beleza do rosto

o vestido preto, de certeza, vestira-o para ele

estava realmente deslumbrante !

 

gostava daquela mulher !

do alto dos seus quarenta-e-tais

olhava o mundo e a vida com uma serenidade invejável

com uma alegria e uma jovialidade

que o surpreendiam com frequência

 

tinha um sorriso franco e um riso contagiante

ninguém a seu redor ficava triste ou sequer indiferente

deslizando suavemente ao som da música

sentou-se a seu lado, em silêncio

olhando-o nos olhos, sorrindo apenas…

 

por fim, disse

- tive saudades tuas… sabes?

 

mesmo que não fosse verdade

dito daquela forma… era docemente arrepiante !

mas... era verdade !

ele sabia que era… sentia-o !

beijou-a docemente

fez que “sim” com a cabeça

 

- vá... conta-me coisas… que tens feito ?

 

na verdade… estava mais virado para lhe “saltar em cima”

e até achava que ela também

mas… era a modos que um ritual


contou-lhe as aventuras e desventuras mais recentes

fê-la rir bastantes vezes

ficava feliz com o som límpido do seu riso

gostava dos olhos a semicerrar e do leve arrepanhar no nariz

davam-lhe uma expressão tão gaiata

 

- então e…. de meninas, como tens andado ?

perguntou ela com uma gargalhada

 

- olha agora !!!! deves mesmo esperar que fale nisso…

 respondeu ele divertido


ela acariciou-lhe uma perna de forma inequívoca

que lhe despertou um formigueiro imediato

- então… que tem de mal !?!

perguntou com aquele ar maroto.


- nada… não tem mal nenhum… eu é que não te conto…

pôs “ar de zangada”.


- e neste momento… só me interessa uma “menina”.

 pensou que ela ia dar uma gargalhada, mas não…

simplesmente sorriu e veio sobre ele… com suavidade

desapertar-lhe a camisa, acariciar-lhe o peito

beijou-o


 


touch of ivory
bill brauer

*


 

ele quis soerguer-se

mas a pressão da mão dela no peito demoveu-o

ouviu os sapatos dela caírem no tapete

os lábios sedosos chuparam-lhe um dos mamilos

estremeceu

depois o outro

estremeceu de novo

- hummm… que sensível que ele está !!!

disse ela com satisfação


por todo ele roçava-se já o corpo dela, com desejo

entalava o membro já erecto entre as pernas

acariciou as nádegas dela

o vestido macio por cima

aumentou-lhe o tesão por aquele corpo bem torneado

o “fio dental” por debaixo espicaçava-o mais ainda

quis destapar aquelas delícias – ela não deixou

 

puxou-se um pouco para cima

sentou-se sobre a verga aprisionada dentro das calças

ele podia sentir o calor que ela já trazia bem no meio das pernas

e suspirou entre o prazer e a impaciência

a mão dela, contudo, continuava a exigir que aguardasse

 

pegou na mão dele e levou-a à alça do vestido

ele fê-la deslizar para o lado numa carícia

e ela, naquele gesto tão feminino, retirou o braço

o vestido não descaiu

ele quis retirar a outra alça – ela não deixou

com ar coquete, puxou o decote um pouco para baixo

só até assomar uma nesga de auréola

qual nascer da lua no horizonte…

pegou-lhe de novo na outra mão

e tudo se repetiu com a outra alça, com a outra auréola

ele estava em brasa…

 

roçando-se mansamente na verga já fremente

que ansiava por invadi-la

puxou o vestido para baixo, devagar

até o belo par de mamas fugir da sua prisão

aí… já não o conseguiu conter

ele atirou-se de cara aos dois montes sedosos

e desvairado por aquele toque, aquele calor

saciou-se, saciando-a…

 

se é possível levar um par de mamas à exaustão… ele tentou-o

apetecia-lhe rasgar aquele vestido em farrapos

mas essas coisas são muito bonitas… nos filmes

tinha saudades daquele corpo…

- não tires… quero assim…

pediu num gemido, quando ele a tentou despir

 

no ritmo, mandou ela

via-se que o estava a saborear

segundo a segundo, centímetro a centímetro

mal conseguiu olhar para a expressão dela

que de tão entesoada... o levava quase a vir-se

todo o corpo dela fremia, palpitava, exigia as mãos dele

soergueu-se de novo, abraçou-a, beijou-a, acariciou-a, chupou-a…

ela totalmente esmagada contra a verga

que quase rebentava de tusa

tudo pulsando, gritando por liberdade

 

- estou doido por ti… quero-te toda…

rosnou ele

- leva-me…

gemeu ela


 


 

 

__________________________________________


 *

pintura de Bill Brauer

< da qual sou orgulhoso proprietário de uma litografia - lol >

biografia do artista

galeria e venda
espero que gostem


sinto-me: já saudoso novamente
música: You Are So Beautiful - (Joe Cocker)

Sábado, 11 de Agosto de 2007

há coisas fantásticas, não há??? (01)




e esta!?!?!...


uma senhora que definitivamente estava afim de mim
passou claramente a repudiar-me
desde que, numa conversa de grupo
admiti que ouvia Marilyn Manson e ser fã dos Prodigy



sinceramente...... nunca me havia acontecido uma assim!
não sei se vá a correr mostrar-lhe a minha discografia de Callas
se aprenda com urgência qualquer coisa do Sardet

é certo que concordo com o Veloso
« não se ama alguém que não ouve a mesma canção »
mas... por favor... a ideia eram apenas umas quecazitas!!!

não sei se a mulher ficou temerosa que eu...... nu
ficasse com ar andrógeno,
com um olho de cada cor,

e de cabelo verde e roxo...
mas, okay!


contraponho que não sou assim tão crítico
cheguei mesmo a ir para a cama com uma fã do Marco Paulo
não fizemos nenhuma tertúlia musical
ela não cantarolou que tinha dois amores enquanto fornicávamos
tudo correu lindamente...

mas pronto
lá fiquei conotado com a "malta esquisita" e lixei-me
terei de viver com mais esta injustiça
( eu e a minha grande boca, fosga-se!!! )





curiosamente:
já depois da "tampa", comentava um gajo conhecido:
- também, que esperavas?!? um gajo da tua idade a gostar dessas barulheiras!!!

pronto... está decidido...
vou comprar um cachimbo com os respectivos acessórios
e esgalhar alguns comentários catedráticos
acerca da poesia de Cohen ou dos acordes de Piazzolla


dar uma queca está cada vez mais difícil
caraças!!!


sinto-me: desquecaízado
música: escolham vocês... que eu já não digo nada

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 37 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.tags

. todas as tags

.ESCOLHIDOS

. Alguma vez amaste uma mul...

. Trintonas e boas!

. Destinatário Ausente (Ree...

. O perfil masculino ideal ...

. Deixem as crianças em paz...

. raríssimas

.links

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

SAPO Blogs

.subscrever feeds